Renúncia fiscal deve atingir Colombo, Merisio critica Pinho Moreira, governo teme uma paralisação da PM entre outros destaques

Pinho Moreira em anúncio na semana passada.

Quem pensa que o auge do mal estar entre o governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), e o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) já passou, se engana. Nos próximos dias ou até semanas, a questão da renúncia fiscal será trazida à tona. A equipe ligada ao Secretário de Estado da Fazenda Paulo Eli, já está fazendo os levantamentos e hoje, o valor renunciado estaria entre R$ 5 e R$ 6 bilhões.

Sem dinheiro em caixa e com a necessidade de realizar um governo transparente e austero para cumprir a Lei de Responsabilidade, ao mesmo tempo em que precisará ser criativo para aumentar a arrecadação, uma das alternativas é antecipar qualquer problema que possa ocorrer jogando na conta de Colombo, o que teria um efeito administrativo, mas principalmente de desgaste político aos pessedistas futuros adversários na eleição.

Por isso, os incentivos fiscais serão a bola da vez e, para potencializar a situação, nas próximas semanas a chamada Tropa de Elite do Tribunal de Contas do Estado deverá apresentar as suas primeiras conclusões, a respeito do mesmo tema. Todas as concessões de incentivo estão sendo vistas, uma a uma por cinco técnicos do TCE. Dessa forma, será atribuída também a essas renúncias, a falta de dinheiro para o pagamento das contas, sobretudo no setor da Saúde.

Há quem compare nos bastidores com a situação do Rio de Janeiro, muito embora, os números sejam bem diferentes, pois, o Estado Fluminense passa dos R$ 400 bilhões em renúncia fiscal. Essa situação promete azedar mais um pouco, a já abalada relação entre Pinho Moreira e Colombo, já que do lado pessedista, todas as declarações feitas pelo governador emedebista são vistas como uma desconstrução do que falava o ex-governador. “A verdade é que não tem mais relação”, me disse uma fonte governista, destacando ainda que a tendência é piorar.

Essa situação poderá expor o que o próprio Pinho Moreira pensa a respeito de Colombo, mas não diz publicamente, sobre o pessedista não ter tido a responsabilidade de dizer não e, nem a coragem para fazer as mudanças necessárias sem temer o embate político. Um desses “nãos”, não foi dado ao próprio MDB, por exemplo, no caso das regionais que já poderiam ter sido extintas para a criação de um novo modelo de desconcentração real de recursos. Neste caso, Raimundo Colombo pregava que não poderia terminar com um modelo que o ajudou a se eleger e, que era defendido pelo maior sócio de seu governo. Mas é claro que enquanto pôde, manteve os cargos comissionados que poderiam ter sido cortados antes.

Outra situação que deverá ser esclarecida a partir de todo esse clima de separação litigiosa, é sobre qual era a verdadeira participação de Pinho Moreira como vice? Não era ouvido e foi isolado das principais decisões, ou fazia parte, mas, mesmo não concordando, manteve um casamento dormindo em quarto separado só a espera da herança?

Preocupante

Outra questão preocupante envolvendo o Governo do Estado, é que terá que renegociar e jogar as suas dívidas com financiamentos e com a União mais para a frente, ao mesmo tempo, em que Pinho Moreira busca a liberação junto ao BNDES, de cerca de R$ 700 milhões para a realização de obras, conta essa que também cairá no colo do próximo governo. O processo para a liberação desse valor era para irrigar o Fundam, que de acordo com o então governador Raimundo Colombo (PSD), iria distribuir recursos aos municípios. Com a inviabilização do programa por não ter sido aceito o modelo pelo BNDES e, tendo o nome Fundam extinto por Pinho Moreira, sobrou a tentativa da liberação do dinheiro para a realização de obras estruturantes no Estado.

Recursos para todos

Esse financiamento junto ao BNDES sendo liberado, o mesmo será pago com o dinheiro de todos os catarinenses, portanto, é preciso olhar para todos com igualdade. Boa parte desses recursos vão para obras essenciais para o turismo de nosso estado, que são os acessos ao aeroporto Hercílio Luz e ao Norte da Ilha. Também estão previstas construções de presídios e penitenciárias, além da recuperação de estradas, a exemplo da rodovia entre Major Vieira e Canoinhas. Porém, mais uma vez elas aparecem como destino de novos milhões. As pontes Colombo Sales e Pedro Ivo, verdadeiro poço sem fundo de recursos que saem dos cofres públicos do Estado, receberão recursos. E as obras no Norte, sem contar o Sul e o Oeste, regiões que tem um déficit absurdo de atendimento. E o Contorno Viário em Chapecó? Portanto, esse financiamento é preocupante tanto pelo seu futuro pagamento, quanto aos projetos e regiões que serão beneficiadas.

Sem coragem

Em entrevista que concedeu ao colega Roberto Azevedo, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) voltou a dar uma cutucada. Ao se dizer preocupado com o próximo governo que poderá não ter recurso até para pagar a folha, Pinho Moreira disse: “É necessário que se tome medidas, não é crítica, não tiveram vontade de fazer e a Alesc tem que se parceira”, disse atribuindo aos governadores anteriores as dificuldades atuais, por não terem feito, segundo ele, o que precisava ter sido feito e chamou o parlamento a avaliar a Lei de Diretrizes Orçamentárias de forma estritamente técnica, para que não haja mais prejuízo ao Estado. Pinho Moreira também falou que as ações que já realizou não foram surpresa para Colombo, que foi informado um dia antes do anúncio.

Diretas

O pré-candidato ao Governo do Estado pelo PSD, deputado Gelson Merisio, não mediu palavras para o público que lotou o auditório da AMMVI em Blumenau, na sexta-feira (20), na 13ª edição da Sabatina Regional, um encontro promovido com imprensa e lideranças locais nas 21 Associações de Municípios do Estado. Entre os muitos temas debatidos, Merisio destacou a recente medida tomada pelo governador Eduardo Moreira (MDB), de modificar a alíquota de ICMS de 17% para 12%. “Foi uma estupidez, porque não houve debate com os principais interessados. Essa mudança vai impactar negativamente no setor têxtil da região, porque a indústria já vendeu a coleção de verão com custo definido, agora vai ter que arcar com esses 5% ou aumentar o preço ao consumidor. O clima é de total insegurança jurídica”, disse. Para Merisio, a medida só seria positiva se abarcasse todos os elos da cadeia produtiva, com debate, e não com uma canetada conforme definiu.

Em Blumenau

Gelson Merisio (PSD) visitou o novo prefeito de Blumenau, Mário Hildebrandt (PSB). Foi uma cortesia institucional, mas também de aproximação. O deputado se colocou à disposição pra ajudar em temas de interesse do município na Assembleia Legislativa. Antes, na sabatina, Merisio fez uma contundente defesa do ex-governador Raimundo Colombo (PSD), criticando a postura de Eduardo Pinho Moreira (MDB) de agir como se nunca tivesse feito parte do governo. “A situação financeira complicada continua a mesma, basicamente, só mudou o piloto”, afirmou.

Botelho sai

Preterido na indicação para o cargo de secretário de Estado do Planejamento, o adjunto da pasta, indicado pelo ex-governador Espiridião Amin (Progressistas), Fábio Botelho, pediu exoneração do cargo a contar do dia 1º de maio. O pedido foi encaminhado diretamente ao Secretário de Estado da Casa Civil, Luciano Veloso. A Secretaria de Estado do Planejamento foi negociada com o PTB e hoje tem no comando o ex-presidente Estadual do partido, Francisco Camargo.

PV no governo

Há quem garanta que Fábio Botelho que é o atual presidente da Liga das Escolas de Samba de Florianópolis (LIESF), tenta uma triangulação com o ex-presidente da LIESF, Joel Costa, atualmente assessor do deputado estadual Manoel Motta (MDB). Ele quer ser indicado pelo deputado para o cargo de presidente da Fundação Catarinense de Cultura, substituindo o professor Rodolfo Pinto da Luz, que deixou o cargo por ser pré-candidato a deputado estadual pelo PSD, e irá viabilizar uma dobradinha com César Sousa Júnior (PSD), que é pré a federal. Se der certo, o acordo manterá o PV no alinhamento com a coligação de Eduardo Pinho Moreira (MDB), pois Botelho é da direção do partido em Santa Catarina.

Na Agronômica

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), então avesso a morar na Casa D’Agronômica por preferir a convivência maior com a família, decidiu se mudar. Na semana passada acompanhado da esposa Nicole Torret Rocha e o enteado Bernardo, se instalou na residência oficial situação que facilitará os despachos fora do Centro Administrativo.

Jantar

Hoje a noite o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), recebe para um jantar na Casa D’Agronômica os prefeitos e vices do MDB do Extremo-Oeste. Entre os convidados, deputados e o pré-candidato a governador Mauro Mariani, a quem Pinho Moreira fez questão de convidar.

Missão

Em entrevista que concedeu na sexta-feira (20) ao Estúdio Condá na Super Condá AM 610, com a Raquel Lang, e que teve a minha participação, o secretário de Estado da Fazenda Paulo Eli, foi sincero ao dizer que a sua única missão será a de garantir que a folha dos servidores seja mantida em dia até o final do ano. Para isso, Eli defendeu as medidas como a redução da alíquota do ICMS para atacados, além da cobrança dos devedores que serão algumas das principais ações, sem aumentar impostos, além da revisão da renúncia fiscal. “Tem que mexer nesse vespeiro”, afirmou.

Paralisação?

Há um temor no Governo do Estado sobre uma possível paralisação da Polícia Militar. A Associação dos Praças de Santa Catarina (APRASC), se reúne amanhã em Florianópolis para discutir a situação dos vencimentos que não são reajustados há alguns anos. No encontro deve ser acertado um pedido de audiência com o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB). Os policiais vão querer um posicionamento sobre a possibilidade ou não de um reajuste, para depois avaliarem a resposta, se houver. Uma fonte me disse que a probabilidade de uma greve no segundo semestre, caso não haja qualquer sinalização de reajuste, é muito grande.

Lions

Através de um projeto de lei apresentado por Altair Silva (Progressistas), quando estava com mandato na Assembleia Legislativa, a Associação Centro de Atividades Leonistica de Chapecó – CL Hilton Rôvere, foi declarada de Utilidade Pública. A lei foi promulgada e está em vigor. Com este documento, entre os benefícios, a associação pode inscrever-se em editais e estar apta também a receber recursos públicos.

Homenagem

O deputado federal Pedro Uczai (PT), foi homenageado pela Câmara de Vereadores de Curitibanos no Meio-Oeste, com o título de cidadão honorário. Ao todo foram três homenagens, sendo uma ao próprio Uczai, a segunda ao ex-reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier, e foi entregue uma Comenda de Mérito para a UFSC, que foi proposta pelo vereador Bruno Piercinger (PR). Também coube ao republicano entregar a Uczai a homenagem pela articulação feita por ele para a ida do curso de medicina para o município.

Sabotagem?

Uma perícia particular poderá reabrir as investigações sobre a morte de Eduardo Campos, morto junto a assessores em um acidente aéreo durante a eleição passada. Campos disputava a Presidência. A família tem em mãos as análises que inclusive, mostrariam que o sensor de velocidade do avião teria sido desligado de propósito. Para eles, a hipótese de sabotagem ganhou uma grande força.

Dias nega

Uma informação que circulou neste final de semana, dava conta de que setores do PSDB procuraram o pré-candidato a presidente da República, senador Álvaro Dias (Podemos), para que recuasse de seu projeto para ser vice de Geraldo Alckmin (PSDB). Liguei para Dias que negou a informação. Segundo ele, o contato não foi feito e se recusou a fazer qualquer comentário a respeito do assunto. O presidenciável estará em Balneário Camboriú no próximo dia 28, para o tradicional encontro evangélico dos Gideões Missionários.

Cooperativas de crédito

O cooperativismo de crédito do Brasil destaca-se como o 16º melhor colocado no mundo e, a tendência é que conquiste ainda mais expressão nos próximos anos, oferecendo taxas cada vez mais competitivas. Nesse cenário de crescimento, no último ano a Unicred Desbravadora Sul recebeu a autorização do Banco Central do Brasil para a abertura do quadro social como cooperativa de crédito com a expansão para o Paraná. A conquista foi um dos temas abordados na Assembleia Geral Ordinária realizada em Chapecó. O encontro de prestação de contas para cooperados e colaboradores da Unicred também destacou as movimentações financeiras de 2017 que fechou o ano com quase R$ 270 milhões em carteiras de crédito. A singular também registra crescimento considerável em diversos índices. Nos últimos três anos, o patrimônio líquido cresceu quase 27% e já é superior a R$ 75 milhões. Os ativos totais evoluíram em quase 56%, chegando a R$ 636 milhões.

Direita vence no Paraguai

Mário Abdo Benítez do Partido Colorado, venceu ontem a eleição no Paraguai e presidirá o país nos próximos anos. Ainda faltando poucos votos, ele vencia por 46,46%, contra 42,73% de Efraín Alegre do Partido Liberal, mas que encabeçou uma aliança de centro e esquerda. Benítez promete manter a política econômica que vem sendo adotada no país e já está dando resultado. Ele é filho de Mário Abdo, um dos homens mais influentes da ditadura de Alfredo Stroessner. Essa foi mais uma derrota dos partidos de esquerda na América do Sul.

 

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest