Recurso para ampliação do aeroporto somente no ano que vem, a troca de secretários no governo Buligon, Barozzi assume a ACIC entre outros destaques

No dia 23 de novembro eu escrevi que desde o dia 04 de Julho, a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC) aguarda o envio da documentação técnica do aeroporto de Chapecó, para encaminhar a liberação dos R$ 10 milhões para a ampliação e melhorias no terminal.

Também alertei que se o documento não fosse enviado até o fim do mês passado, que a capital do Oeste poderia perder o recurso. Liguei na época para o secretário de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Cardoso, o Vampiro, que explicou que houve uma tramitação obrigatória da documentação do aeroporto Serafin Enoss Bertaso, na procuradoria e na direção de transportes, mas, que havia sido informado pelo diretor, José Carlos Müller, que o documento estava pronto e que deveria chegar até o dia seguinte às suas mãos, para ser encaminhado ao secretário de Articulação Nacional, Acélio Casagrande, que faria a entrega à SAC.

Ontem eu liguei para Casagrande, que após verificar em seu gabinete não encontrou o documento, ou seja, não foi enviado para ele. Mais para o final da tarde eu consegui falar com Müller, que explicou que a intenção era de ter enviado através de Acélio Casagrande, mas, como não conseguiram contato, enviaram para a SAC via e-mail e Sedex. Segundo Müller a documentação já voltou, porém, mais alguns ajustes precisam ser feitos para o encaminhamento da documentação e a liberação do recurso.

10,5 milhões

José Carlos Müller se disse preocupado, pois, a Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC), ainda não tem todo o dinheiro para ser repassado a Chapecó. Enquanto isso, ele relatou que o Estado tem ajudado, a exemplo do novo caminhão de bombeiros que permitirá o aumento de categoria do aeroporto, processo que está sendo realizado pelo diretor municipal, Diego Ferraz. Müller também destacou que junto a SAC, serão liberados R$ 8,5 milhões, mais R$ 2 milhões de contrapartida do Governo do Estado para a ampliação do terminal. Mais R$ 500 mil serão repassados ao município para ampliar a área contra incêndio. Agora, o que me preocupou é que Müller disse que no próximo ano devem ser liberados pela SAC, R$ 5 milhões em meados de abril, e o restante somente no fim do ano que vem, ou início do ano seguinte. Já a contrapartida de R$ 2 milhões do Estado, também será liberada neste próximo ano. “Tudo depende do caixa do Governo Federal”, informou Müller.

Reforma administrativa

De acordo com uma fonte, o atual presidente da Câmara de Vereadores de Chapecó, Valmor Scolari (PSD), ao deixar o cargo para atender a um acordo com Itamar Agnoletto (PSDB), que será o presidente no próximo ano, assumirá a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), no lugar de Franklin Brum. Como a pasta pertencia ao PSB que perde o cargo para o PSD, o partido ficará com a Secretaria de Cultura, devendo escolher um novo nome para o setor. Com a troca de peças, Civaldo Mendes (PSD) permanecerá na Câmara.

Scolari assumirá a SEDUR.
Foto: CMC

Esporte

Outra mudança prevista é a entrada de Ivan Carlos Agnoletto (PSDB), conforme divulguei em primeira mão, no cargo de Secretário de Esportes de Chapecó, em substituição ao seu irmão, Itamar Agnoletto, que retorna à Câmara. Acontece que segundo uma fonte, tem setores do governo que defendem que Ivan assuma a Secretaria de Comunicação, que hoje pertence ao PP, que ficaria com o Esporte com a indicação de Mário Tomasi que seria remanejado.

Em Buenos Aires

O prefeito de Chapecó Luciano Buligon (PSB), embarcou ontem para Buenos Aires para assinar a Ata Constitutiva de Criação do Bloco Regional de Intendentes, Prefeitos, Alcaides e Empresário do Mercosul (BRIPAEM). O presidente da Fundeste, Vicenzo Mastrogiacomo o acompanha na viagem. A assinatura ocorreu com o secretário de Fronteiras do Ministério de Segurança da Argentina, Luis Green, que é o responsável pelas fronteiras do país vizinho. Segundo Buligon que retorna amanhã, Green é um apoiador da rota do milho.

Buligon participou da assinatura em Buenos Aires.

Sem recesso?

Na discussão da Lei Orçamentária do município de Chapecó, os vereadores aprovaram quatro requerimentos apresentados pelo vereador, Cleiton Fossá (PMDB), que pede informações técnicas e contábeis ao Governo Municipal. Acontece que o documento ainda não foi entregue na prefeitura, que terá 30 dias para responder antes da matéria ir a plenário. Como a Câmara não pode entrar em recesso sem votar a lei, é possível que os vereadores não tenham férias, ou somente iniciará após as festividades de fim de ano.

Enxadrista

O pré-candidato a governador, deputado Gelson Merisio (PSD), ficou surpreso com o presente que ganhou do defensor público Geral do Estado, Ralf Zimmer Júnior: um xadrez para ser jogado a três. A novidade surpreendeu e desafiou o parlamentar que é enxadrista, que quis saber como se joga. Júnior respondeu que seria fácil para Merisio. “Você é um mestre nessa arte do xeque mate”, disse o procurador.

Foto: Valquiria Guimarães

ACIC

Comprometido em dar continuidade aos projetos, consciente dos desafios inerentes à função de presidente da maior associação empresarial do Oeste e grato pela confiança, o empresário Cidnei Luiz Barozzi foi eleito para presidir a diretoria executiva da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) na gestão 2018-2019. A eleição e posse da nova diretoria ocorreram ontem em reunião ordinária do Conselho Deliberativo da entidade, conduzida pelo presidente Marcos Moschetta. Barozzi assume no lugar de Josias Mascarello.

Barozzi(em pé) destacou o desafio.
Foto: MB Comunicação

Sem acordo

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, e o presidente do Democratas, Agripino Maia, informaram ao Palácio do Planalto que os seus partidos não aceitaram a proposta do PTB, PP e PRB para que os cinco partidos apoiassem a votação da Reforma da Previdência.

Telefone

Depois de recurso do Ministério Público Federal em Santa Catarina (MPF), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) determinou que a Oi S/A instale telefones de uso público nos postos da Polícia Rodoviária Federal, nas áreas rurais situadas a 30 km ou distâncias maiores do limite das sedes dos municípios catarinenses. Foi decidido, por unanimidade, que a ré cumpra a decisão no prazo máximo de 90 dias, sob pena de multa diária no valor de R$ 100 mil.

Destaque

“Frases do economista Raul Veloso no evento do Estadão ontem na Fiesc. “Quem dera o Brasil tivesse os problemas de SC. Atribuo a situação de SC a uma gestão competente de dois mandatos de um governo que fez o dever de casa. A última coisa que o próximo governador pode dizer, é que herdou um abacaxi”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest