PSD poderá deixar o governo em fevereiro, Mariani não abrirá mão da prévia no MDB, Bolsonaro nega convite entre outros destaques

Merisio não aceitará que o PSD fique no governo de Pinho Moreira.
Foto: Marcelo Lula

Ainda não está confirmado, mas, o PSD poderá desembarcar do Governo do Estado no próximo dia 16 de fevereiro. Acontece que desde o ano passado, o presidente estadual do partido e pré-candidato a governador, Gelson Merisio, anuncia que os pessedistas deixarão os cargos assim que Eduardo Pinho Moreira (MDB) assumir o comando do Estado, o que começará a acontecer no próximo mês, quando o governador Raimundo Colombo (PSD) se licenciará.

Uma liderança do PSD me disse que o projeto político exige comprometimento, lembrando que a legenda deixou o então governo de Luiz Henrique da Silveira em 2010, pois, estavam integrados ao projeto de Raimundo Colombo (PSD) que disputaria a sua primeira eleição majoritária. Naquela época, Pinho Moreira havia vencido a prévia que disputou contra Dário Berger, se tornando o candidato natural dos emedebistas a governador.

Por outro lado, Leonel Pavan (PSDB) havia assumido o comando do Estado e, se colocava como o pré-candidato natural à reeleição, o que acabou não acontecendo, culminando com a aglutinação em favor de Colombo. Pelo visto, dessa vez não será diferente. Assim que o governador passar o posto para Pinho Moreira, quem estiver aliado ao projeto de Merisio terá que deixar os cargos. Eu não consegui falar com o líder pessedista para confirmar a data do desembarque.

Defende a prévia

Após viajar com a esposa e filhas para Porto Belo e Foz do Iguaçu, o pré-candidato a governador e presidente estadual do MDB, Mauro Mariani, irá realmente marcar uma reunião da executiva estadual, para discutir a realização de uma prévia para março. Mariani me disse ontem que não está disposto a abrir mão da prévia, e criticou quem se posiciona contrário. “Por mim, tudo bem, eu não tenho que renunciar, não tenho cargo executivo. Como que vamos resolver? Me admira quem será beneficiado com isso, ser contra, pois, como irá renunciar sem saber se poderá ser o candidato?”, questionou Mariani.

Ajudarão a definir

Mauro Mariani afirma que o MDB precisa ter candidato a governador. “Estamos há duas eleições sem termos candidato. Infelizmente nós somos reféns das nossas próprias escolhas. Se não tivermos candidato, acabaremos com o partido”, afirmou. Ele ainda destacou que Gelson Merisio (PSD) e Paulo Bauer (PSDB) serão candidatos. “Até é bom que cada partido tenha o seu candidato no primeiro turno”, destacou Mariani.

Não foi

Convidado para um jantar promovido pelo empresário Luciano Hang, dono da Havan, o deputado federal João Rodrigues (PSD) não compareceu. Ele ficou no apartamento que tem em Itapema, onde recebeu alguns amigos. Hang que na semana passada se colocou à disposição para ser candidato, reuniu alguns empresários e o senador do Mato Grosso, Cidinho Santos (PR). O teor das conversas não foi divulgado. Além do Novo, outros partidos estão interessados em Hang, incluindo o Patriotas.

Rodrigues não foi ao encontro.
Foto: Marcelo Lula

Negou o convite

Ontem eu conversei com uma liderança do Rio de Janeiro ligada ao pré-candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), que negou a informação que correu no litoral aqui do estado, de que o presidenciável teria convidado o empresário Luciano Hang para ser o seu vice. “É boato, o nosso vice está sendo guardado a sete chaves”, afirmou. De acordo com a fonte que pediu para não ter o nome divulgado, o general Antônio Mourão também não será o vice, porém, deverá ter um posto caso Bolsonaro seja eleito. “O vice não será um empresário”, destacou a liderança, dizendo ainda que o senador Magno Malta pode ser uma possibilidade.

Hang não foi convidado por Bolsonaro.

Conversas

Hoje em Florianópolis em seu escritório, o deputado federal e pré-candidato a governador, João Rodrigues (PSD), receberá o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Júlio Garcia, e o deputado federal João Paulo Kleinubing (PSD). Eles falarão do cenário político e discutirão estratégias. Uma informação que Rodrigues nega, é da possibilidade de ele se filiar no Democratas. Acontece que Kleinubing já está decidido a trocar o PSD pelo DEM, enquanto que Rodrigues pode buscar a legenda para viabilizar uma candidatura. Por hora, ele está de olho no próximo dia 06 de fevereiro quando será julgado pelo STF.

Pavan fica?

O presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, já me disse mais de uma vez que o seu partido não integrará o governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), porém, o atual secretário de Estado do Turismo, Leonel Pavan, pretende ficar. Na verdade, Pavan pretende se manter no cargo até abril, prazo máximo para a desincompatibilização de quem deseja disputar a eleição. Ele quer deixar a sua marca na inauguração do Centro de Eventos de Balneário Camboriú. “Se o Eduardo entender que eu devo ficar, vamos conversar. A intenção é inaugurar o Centro de Eventos”, afirmou Pavan, que sonha em disputar o Senado ou a vice-governador.

Pavan vai esperar pela decisão de Pinho Moreira.
Foto: Agência Alesc

Posses

Ontem aconteceram duas posses no governo de Luciano Buligon (PSB). De manhã, Valmor Scolari assumiu a Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Chapecó (Sedur). O ato foi prestigiado pelo vice-prefeito Elio Cella (PR), a secretária de Governo e Gestão Fernanda Danielli, o empresário Josias Mascarello e o também secretário Ivaldo Pizzinatto o Gringo. Scolari se disse animado com o desafio e confirmou que pretende aproximar a secretaria do setor empresarial.

Agnoletto assume

O radialista Ivan Carlos Agnoletto assumiu o comando do Esporte de Chapecó. O novo secretário também teve uma posse concorrida com a presença de lideranças e autoridades. Agnoletto me disse que encontrou no setor as condições favoráveis para a realização de um grande trabalho. O tucano quando foi secretário pela primeira vez, se destacou inclusive na realização dos Jogos Abertos e do Parajasc.

Mal estar

A palestra do médico Dráuzio Varella gerou constrangimento tanto ao palestrante, quanto à Assembleia Legislativa. Acontece que Dráuzio ficou contrariado ao saber que havia sido publicado no Diário Oficial da Alesc, que o pagamento teria sido de R$ 150 mil, enquanto ele teria cobrado R$ 50 mil. Ontem em entrevista à CBN de Florianópolis, o presidente da Casa, Silvio Dreveck (Progressistas), mostrou desconforto com a situação dizendo que não sabe por qual razão, um servidor colocou o valor de R$ 150 mil, ao invés dos R$ 50 mil pagos. “Se foi intencional ou não, não posso dizer. Ele criou um constrangimento para o Dr. Drauzio, mas, para nós também. Não tem nada de R$ 150 mil, é apenas um erro de digitação”, afirmou Dreveck.

Dráuzio palestrou na Alesc.
Foto: Agência Alesc

Destaque

“Os Cartórios Eleitorais e a sede do Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina retomaram as atividades ontem, no horário de expediente normal. A Sede voltou a funcionar das 13h às 19h. Já o horário de atendimento ao público externo de cada Cartório Eleitoral pode ser consultado no site do TRE-SC. Os prazos processuais, as audiências, julgamentos e sessões plenárias seguem suspensos e serão retomados no próximo dia 20.”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest