Pinho Moreira reduzirá mais 20% dos comissionados, denúncia contra deputados petistas é arquivada, Colombo perde o foro privilegiado entre outros destaques

Pinho Moreira fará nova redução de cargos.

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), deverá exonerar entre esta e a próxima semana, mais 20% do total de cargos comissionados. Se mesmo assim não baixar o índice de gasto com o pagamento de salário, que já ultrapassou o limite máximo estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, os cortes chegarão até mesmo aos servidores concursados, mas que estão em estágio probatório.

Em conversa no dia de ontem com Pinho Moreira, notei o seu descontentamento com a Assembleia Legislativa, que derrubou o veto parcial do então governador Raimundo Colombo (PSD), em relação ao vencimento dos servidores. Colombo não queria deixar passar a progressão funcional, adicionais, funções gratificadas, comissionadas, quadro de cargos comissionados, além da tabela de referência para o cálculo dos vencimentos.

Atualmente o setor tem 163 servidores, entre técnicos e analistas, com salários entre R$ 2,8 mil e R$ 4,2 mil, respectivamente. Com a aprovação há a expectativa de impacto na folha do Estado. “É uma questão de responsabilidade, estão brincando com coisa séria. O PSD fechou questão e os demais seguiram. Quarenta pessoas vaiando não podem definir o futuro do Estado”, disse Pinho Moreira, mencionando a presença dos servidores que pressionaram os parlamentares.

Porém, o governador foi claro ao afirmar que não irá pagar os aumentos, pois, inviabilizará o Estado que poderá ser incluído no Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias (CAUC), uma espécie de Serasa do Governo Federal, que acarretará com o bloqueio de repasses da União para Santa Catarina, incluindo o financiamento junto ao BNDES.

Pinho Moreira também lamentou que tenha ficado para ele pagar o valor de R$ 2,8 milhões ao Ministério do Trabalho, por erros em prestação de contas antigas. Quanto as exonerações, o questionei se prejudicará os serviços prestados pelo Estado, ouvindo como resposta que há excesso de servidores em alguns setores. Todos esses fatores, mais a questão política eleitoral, são os ingredientes do deterioramento da relação entre emedebistas e pessedistas, situação admitida abertamente por Pinho Moreira.

De saída?

Após Raimundo Colombo (PSD) ter renunciado ao Governo do Estado, o seu partido deveria ter desembarcado totalmente do governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB). Será que os ocupantes de cargos não cumprirão a determinação?

Construção

O ex-governador Jorge Bornhausen, mesmo em São Paulo tem sido ativo na tentativa de construir uma aliança forte aqui no Estado. O novo sonho de Bornhausen é ver uma coligação com o senador Paulo Bauer (PSDB) ao Governo do Estado, Gelson Merisio (PSD) de vice, Raimundo Colombo (PSD) e Esperidião Amin (Progressistas) ao Senado. Paulinho Bornhausen (PSB) neste caso, seria o primeiro suplente a senador. Essa situação poderá empurrar o Democratas e o PR para o lado do MDB, salvo, se o presidente estadual demista, deputado João Paulo Kleinubing, levar mais em conta o projeto eleitoral do que a histórica relação com Amin.

Denúncia arquivada

Foi arquivada pelo Conselho de Ética da Assembleia Legislativa, a denúncia apresentada pelo empresário Luciano Hang, contra os deputados Luciane Carminatti (PT), Dirceu Dresch (PT) e Cesar Valduga (PCdoB). Hang que é dono da rede de lojas Havan, acusou os parlamentares de quebra de decoro, por terem participado de uma manifestação em Chapecó, que teve até um ato de pessoas não identificadas de fechar as portas de uma das lojas de Hang com um cadeado, o que fez com que a Polícia Militar tivesse que agir no local. A decisão é que não houve nenhum ato que se configurasse em quebra de decoro.

Sem foro

No dia 3 deste mês anunciei neste espaço, que o processo por suposto uso de caixa 2 contra o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) iria para a Comarca de Lages, pois ele não tem mais o foro privilegiado. Se conseguir se eleger na eleição deste ano e o processo não tiver sido concluído, no próximo ano a ação subirá novamente para o STJ. Ontem por determinação do Superior Tribunal de Justiça, o inquérito por suposto uso de caixa 2 contra o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), foi enviado à Justiça Eleitoral de São Paulo, situação que deverá se repetir aqui no Estado em relação a Colombo, que enviou a seguinte nota: “A Procuradoria Geral da República arquivou​ o inquérito sobre prática de corrupção passiva referente à delação de executivos da empreiteira Odebrecht. Sobre a decisão da PGR de encaminhar o inquérito sobre caixa dois para a primeira instância, temos todos os elementos e todas as condições de fazer os esclarecimentos necessários”, escreveu Colombo.

Colombo tem o seu caso remetido ao estado.

PROS com o PSD

O presidente do Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Tânio Barreto, pré-candidato a deputado estadual, anunciou ontem na Alesc o apoio e participação no projeto do PSD para o Governo do Estado, que tem o deputado Gelson Merisio como pré-candidato a governador. “Estamos conversando há pelo menos oito meses sobre a coligação. Essa decisão foi tomada em grupo e com apoio da Executiva Nacional. O PROS quer ser o 7º maior partido do Brasil e vai lançar mais de 300 candidatos nessa eleição. O projeto local é equilibrado, conta com partidos muito bons, e isso nos motivou”, disse Barreto. Merisio destacou que o projeto que agora conta oficialmente com o PROS, vai além das siglas. “Nosso entendimento tem base em projetos consistentes com respeito ao Estado e às pessoas”, declarou. Participaram do ato os deputados Rodrigo Minotto (PDT), Antonio Aguiar (PSD), Jean Kuhlmann (PSD), Milton Hobus (PSD), Ismael dos Santos (PSD), Silvio Dreveck (Progressistas), Valmir Comin (Progressistas), José Milton Scheffer (Progressistas) e Natalino Lázare (Podemos). Ao todo já são 11 legendas ao lado do PSD.

Estímulo

Para estimular a competitividade da indústria catarinense, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) assinou uma Medida Provisória para diminuir de 17% para 12% o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS). A redução visa as operações com mercadorias destinadas a contribuinte para comercialização, industrialização e prestação de serviços. “Estamos adotando ações práticas e simplificando o sistema tributário catarinense, para fortalecer nossa base e estimular a competitividade, gerando mais empregos”, explicou o governador. Na prática, a redução da alíquota incide nas mercadorias comercializadas nas operações entre contribuintes, da produção até o consumo.

Oncologia

O Secretário de Estado da Saúde Acélio Casagrande, em reunião com o ex-diretor de Operações do Badesc, José Carlos Grando, garantiu a ampliação do contrato com o Instituto Santé, que administra o Hospital Regional de São Miguel do Oeste. O aditivo tem por objetivo colocar em funcionamento o setor da oncologia junto ao HRE até o mês de julho. O custo dos novos serviços gira em torno de R$ 1 milhão por mês. Os valores serão incluídos no atual contrato com o Santé. O hospital realizará 650 cirurgias, correspondendo a uma média de 55 procedimentos por mês, e 5,3 mil sessões de quimioterapia por ano, além de 500 consultas oncológicas por mês e exames especializados.

Grando (esquerda) foi recebido por Casagrande.

Pensando na segurança

O ex-presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado (Adepol/SC), Ulisses Gabriel, encerrou ontem a sua agenda pelo Oeste com algumas reuniões em Chapecó. Pré-candidato a deputado estadual, ele já conta com o apoio de delegados e advogados. Genro do ex-prefeito de Orleans José Carlos Librelato, o Lussa, Ulisses tem o interesse em estimular um maior investimento do Estado em segurança pública, sobretudo no apoio às polícias.  Ele também defende medidas mais duras contra a criminalidade e, proporá que dos 1440 cargos comissionados no Estado, que pelo menos a metade seja excluída para que se permita com a economia que será feita, a realização de mais concursos públicos para o aumento do efetivo policial.

Conselheiro

O ex-secretário de Estado da Fazenda Antonio Gavazzoni, tem sido procurado por pessoas interessadas em se candidatar na eleição deste ano. Foi através dele que o delegado Ulisses Gabriel decidiu disputar a eleição a deputado estadual, além do auditor fiscal, Fabiano Dadan. O ex-secretário se empolgou com a missão de incentivar pessoas jovens e de bom nível intelectual a disputar o pleito.

Parisotto

Por proposição do vereador James Michel Cerniak (DEM), o deputado estadual Narcizo Parisotto (PSC) foi agraciado com o título de Cidadão Honorário de Papanduva. Pastores e lideranças políticas da região parabenizaram o deputado através de uma carreata.

No DEM

O ex-secretário executivo da ADR de Quilombo e atual vice-prefeito Jaksom Castelli, também se filiou ao DEM e irá disputar uma vaga a deputado estadual pelo partido. As filiações de Fabiana Rodrigues, Castelli entre outros, fazem parte do novo momento vivenciado pelo Democratas.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest