Pessedistas e tucanos se encontram hoje, Amin manterá a candidatura, Buligon é importante cabo eleitoral entre outros destaques

Ontem foi um dia de calmaria, com poucos contatos entre as lideranças partidárias. Os candidatos ao Governo do Estado, Gelson Merisio (PSD) e Paulo Bauer (PSDB), apenas trocaram um telefonema. Eles marcaram para hoje um café da manhã em Florianópolis, em encontro que também contará com as presenças de Raimundo Colombo (PSD), Marcos Vieira (PSDB) e Napoleão Bernardes (PSDB).

Os tucanos querem formar uma aliança com os pessedistas, por isso, vão propor a formação de uma chapa com Bauer a governador, Merisio de vice e Napoleão acompanhado de Colombo ao Senado. Em resposta, Merisio deverá sugerir que ele encabece a aliança, tendo Bernardes de vice, e Colombo e Bauer ao Senado. Acontece que no evento do domingo (29) em Joinville, o PSDB decidiu que não abrirá mão da cabeça de chapa, o que poderá até mesmo tornar a conversa mais longa.

Por outro lado, um vereador de Chapecó me relatou ontem a noite, que Colombo ligou para o prefeito Luciano Buligon (PSB). Ele pediu o apoio do pessebista para a disputa ao Senado. Um entusiasmado Colombo, disse a Buligon que a sua preferência passou a ser pelo afastamento do Progressistas, além do enfrentamento a campanha com o PSD, PSB e partidos coligados. Neste caso, a chance de Colombo ser o único nome ao Senado é considerável. “O entendimento dele, é que nós temos uma boa aliança, tempo de rádio, TV e toda a estrutura”, me disse a fonte.

Progressistas

O partido está enfrentando uma série de discussões internas, após a decisão de Esperidião Amin (Progressistas) de disputar ao Governo do Estado. Uma liderança ligada ao partido, relata que a preocupação é grande com o número reduzido de candidatos a deputado federal e estadual, além da falta de estrutura. Tem até quem acredite num declínio de Amin da condição de candidato.

Não declinará

É quase que impossível a essa altura do campeonato, um declínio de Esperidião Amin (Progressistas) da condição de candidato a governador. Liderança de grande expressão e, com uma inteligência acima da média, o progressista que voltou à universidade para se capacitar, não pode mais declinar. Essa minha afirmação se baseia principalmente após tamanha movimentação e o discurso de que está melhor do que Gelson Merisio (PSD) nas pesquisas, aliás, Amin lidera todos os levantamentos. Portanto, declinar neste momento rasgaria uma biografia respeitável.

Conseguiu

O fato é que Raimundo Colombo (PSD) conseguiu isolar Esperidião Amin (Progressistas), inclusive, o tirando da eleição ao Senado ao convencê-lo a ser candidato a governador. Agora, também caberá a Colombo a tentativa de que o PSD lidere a aliança com os 12 partidos que já estão acertados, situação que manterá o senador Paulo Bauer (PSDB), também longe da eleição ao Senado.

Buligon

O prefeito de Chapecó Luciano Buligon (PSB), tem sido constantemente procurado para discutir a situação estadual. Segundo pesquisas internas, Buligon goza de uma boa imagem junto ao eleitorado catarinense, podendo se tornar um importante cabo eleitoral.

Do Oeste

O Progressistas quer no empresário Antônio Rebelatto (DEM), uma opção para integrar o projeto majoritário do partido. Nada foi adiantado, somente que o empresário seria uma forma de tentar anular o discurso de que Gelson Merisio é o nome do Oeste. A conferir.

Colombo me critica

Segue nota enviada pelo ex-governador Raimundo Colombo (PSD): “Ao longo dos mais de 40 anos da minha vida pública sempre respeitei a imprensa e a liberdade de expressão. Contudo, percebi já há alguns meses a sua simpatia por certas posições políticas e uma completa antipatia por mim. Se revisar todos os teus textos sabes do que estou me referindo. Sempre respeitei, mas com tristeza passei a desconsiderar as suas notas publicadas no site SC em Pauta. No entanto, as suas duas últimas colunas trazem afirmações absurdas sobre posições e compromissos, que mentirosos, comprometem completamente a sua honestidade profissional. Peço que analise e veja se a sua fonte merece que você seja usado e se desqualifique, não só como profissional da imprensa, mas como pessoa.” – Raimundo Colombo – Candidato ao Senado pelo PSD

Resposta

Eu sou um profissional que tenho o orgulho de dizer que nunca sofri um processo, apesar de algumas ameaças que acabaram não indo adiante pelo simples fato das pessoas envolvidas saberem que eu falava a verdade. Além disso, quando escrevo sobre o cenário político, não o faço baseado em um sentimento próprio, simpatia política e muito menos baseado em questões pessoais. A minha análise ou informação é sempre baseada nas fontes que me alimentam de informações e, que, após serem checadas com outras fontes, são publicadas. O grande problema que vejo com preocupação neste país é o ataque a imprensa. Talvez para alguns políticos seja o caminho mais fácil, ao invés de enfrentar com coragem os seus pares que sabe lá quando, voltarão a firmar parcerias por pura conveniência. Miram à imprensa a sua ira não observando que estamos simplesmente realizando o nosso trabalho. Esse tipo de agressão, me parece a mais pura falta de coragem em assumir os próprios atos, ou de debater com quem deveria. Além disso, deixo bem claro que nada há que me provoque antipatia a Raimundo Colombo. Se ele atua exclusivamente em prol de seus interesses, quem sou eu para não gostar? Me cabe apenas a divulgar, o que é o meu papel, pois, já quem deve gostar, ou não, são os seus companheiros de política, os quais acredito que já devem ter se manifestado.

Segue…

Eu respeito a qualquer cidadão. Não tenho partido e nem interesses políticos, até porque, após a eleição a minha vida seguirá a mesma, independentemente de quem vencer o pleito. Agora cabe ao ex-governador Raimundo Colombo (PSD) fazer uma reflexão de como tem se relacionado com a imprensa, ou pelo menos, com alguns profissionais a exemplo deste jornalista. Graças a minha forma de trabalhar, tenho acesso a autoridades catarinenses e de abrangência nacional, porém, o acesso a Colombo sempre foi de uma dificuldade imensa, sobretudo através de sua assessoria. O seu assessor diz que não posso reclamar, porque entrevistei o ex-governador em pelo menos, cinco oportunidades, o que é uma piada de péssimo gosto. Se Colombo fosse mais acessível e menos seletivo em relação a imprensa, a exemplo dos demais, com toda a certeza eu teria a chance de apurar o contraditório. Agora, é inaceitável o ataque pessoal, me chamando de desqualificado como profissional e pessoa. A infelicidade da declaração é absurda e, a propósito, com todo o respeito, EU não teria o mínimo problema em conversar com Colombo sobre honestidade e qualidade.

Mentira?

Para encerrar, fui o primeiro a divulgar que o Fundam estava inviabilizado. Não por um erro de Raimundo Colombo (PSD), que de uma forma correta tentou fazer o que a União nunca fez, que é a descentralização de recursos. Absoluta falta de visão do BNDES que deixou de promover o desenvolvimento em Santa Catarina. Mesmo com a descoberta da informação e sua divulgação, Colombo seguiu discursando a lideranças regionais prometendo a liberação de um recurso que até hoje não apareceu. Também é verdade que deputados, inclusive de seu partido, reclamam que Colombo não liberou os valores das emendas impositivas entre outras situações. Quanto ao Fundam, quem faltou com a verdade?

Fossá confirma

O Diretório do MDB de Chapecó se reuniu na manhã de sábado (28) com a participação de membros do MDB Mulher e JMDB. Durante o encontro, o vereador Cleiton Fossá confirmou sua pré-candidatura a deputado estadual. Seu nome deve ser homologado durante a convenção do partido, que ocorre no próximo sábado, dia 4 de agosto, em Florianópolis. Além de Fossá para a Assembleia Legislativa, o diretório referendou o nome do deputado federal Valdir Colatto como pré-candidato à reeleição e traçou estratégias para a eleição de Mauro Mariani ao Governo do Estado. O vice-presidente do MDB de Chapecó, Leandro Sorgatto, conduziu a reunião e pediu união e participação de todos.

Fachini se prepara

Um dos vereadores de Joinville que disputarão a eleição deste ano, é Rodrigo Fachini (MDB). Ele é o primeiro parlamentar da cidade, entre os 19, que se licenciou do cargo para agora se dedicar exclusivamente à pré-campanha e, posteriormente, à campanha de deputado estadual. Fachini é o líder do governo de Udo Döhler (MDB) na Câmara.

Saiu de cena

O empresário e vereador de Joinville, Ninfo König (PSB), cotado para ser o vice de Gelson Merisio (PSD), caso não haja acordo entre o pessedista e o PSDB, deu uma saída de cena para aguardar os resultados. Tem quem revele que König ficou chateado com o fato de João Paulo Kleinubing (DEM), ter sido oferecido na época em que pessedistas e progressistas ainda estavam unidos, para vice da chapa. König respondeu em rápida mensagem: “Estimado Lula. Desculpe não ter atendido a tua ligação, pois, estou em viagem pelas serras gaúchas muitas vezes sem sinal, além disso passarinho na muda não canta. Vamos aguardar o desfecho para, alegres e felizes, voltar a cantar” – Ninfo König.

Amigo da imprensa

Um dos maiores empresários do estado, Izair Gambatto, comemorou o seu aniversário durante a noite de ontem, em sua chácara em Chapecó. Gambatto que tem uma longa história na sociedade da capital do Oeste, sempre teve uma boa relação com os profissionais da imprensa a quem sempre apoiou. Vale ressaltar que Gambatto é um dos principais responsáveis pela profissionalização da Chapecoense, sem contar o volume de recursos que doou ao clube, sobretudo nos momentos mais difíceis. Um trabalho que trouxe o clube para os patamares atuais.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest