Os desafios para o próximo governador, deputados ameaçam trancar a pauta se não tiver o recurso do Orçamento Impositivo, comércio catarinense apresenta melhora nas vendas, entre outros destaques

Centro Administrativo guarda muitos desafios ao próximo governador.
Foto: Secom

Caros amigos chegamos ao final deste ano, com uma grande expectativa para o ano que se aproxima e, que promete muitas movimentações. O certo é que teremos aqui no estado uma eleição muito mais equilibrada em comparação ao pleito passado.

É importante observar as pautas, entender o que será proposto para que o seu voto seja destinado a quem realmente pensa em atender as necessidades da sociedade. Porém, não bastará ouvir e acreditar, será fundamental a construção de um novo comportamento, de controle e cobrança para que as propostas realmente se efetivem.

Temos um estado diferenciado, porém, ainda há muito que deve ser feito. A violência é crescente, enquanto vemos a redução de policiais, mesmo com os concursos públicos realizados, mas, que não estão acompanhando o número de PMs que vão para a reserva, ou no caso da Polícia Civil, que se exoneram.

A continuidade da descentralização ou não é outra questão: se continuar, de que forma torná-la realmente eficaz, mudando a realidade que temos hoje, com as ADRs apenas gerando cargos e fortalecendo cabos eleitorais, enquanto as regiões seguem recorrendo as secretarias setoriais para obter os recursos que necessita.

Já quanto a infraestrutura, será que não está na hora de nos abrirmos para uma questão fundamental, que são as parcerias público privadas e concessões, que nos permitirão termos mais qualidade, inclusive, ajudando a um setor fundamental que é o agronegócio, que precisa escoar a sua produção?!

E a educação, de que forma é possível mudar o nosso ensino, ao ponto de termos professores bem remunerados, ao mesmo tempo em que os alunos tenham acesso a mais mecanismos de aprendizado, fazendo com que melhore os nossos índices.

Na saúde, primeiramente, como sanar a dívida bilionária, além de otimizar os recursos a começar pelo repasse dos hospitais administrados pelo governo, à iniciativa privada, já que somente consomem recursos sem produzir o suficiente para atender as demandas da população.

Em suma, o desafio será grandioso para quem deseja assumir a cadeira de governador, a começar pelo endividamento do estado que poderá limitar as ações da próxima administração. Mas, caberá a quem assumir, entender o cenário e ser desapegado, um verdadeiro estadista a ponto de equilibrar as contas, mesmo que isso não lhe permita realizar grandes obras, pois, dessa forma, irá preparar Santa Catarina para os governos seguintes.

O que precisamos, é aproveitar algumas vantagens que temos, a exemplo dos impostos mais baixos, o que nos torna atraentes às empresas, além do fortalecimento do nosso turismo e a facilitação das condições para o setor produtivo. Penso que é isso o que todos nós esperamos. Um ótimo Ano Novo para todos nós e, que tenhamos somente boas notícias!

Reação dos deputados

Após eu ter divulgado que o Governo do Estado terá dificuldade de caixa para custear o Orçamento Impositivo, ou emendas destinadas pelos deputados estaduais, alguns parlamentares já deixaram claro que, ou sai o dinheiro que eles prometeram para vários municípios, ou então a pauta da Assembleia Legislativa será trancada. Um deputado chegou a dizer que sem os recursos, o governo não conseguirá aprovar nada. Pelo visto, Eduardo Pinho Moreira (MDB) quando assumir, terá que ter um bom líder no parlamento, além de bons articuladores políticos para dialogar com os deputados que se sentirão insatisfeitos.

Governo terá que articular com deputados.
Foto: Agência AL

O orçamento

Penso que deveria partir dos deputados estaduais a iniciativa de discutir o fim do orçamento impositivo. Os recursos que são destinados para eles, uma espécie de emenda, acabam atrapalhando as finanças e o planejamento do governo, além de promover algumas vezes, uma relação não tão republicana, ainda mais em ano de eleição. Por outro lado, as dificuldades de caixa enfrentadas pelo Estado, podem colocar os deputados em dificuldade com as suas bases, pois, prometem recursos aos municípios, anunciam e o dinheiro não sai. Neste caso, o constrangimento é inevitável. Penso que seria uma boa pauta para o nosso parlamento.

Vendas no comércio

De acordo com dados da Federação das CDLs de Santa Catarina (FCDL/SC), as vendas de Natal apresentaram um aumento de 2,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A média dos valores das compras foram de R$ 187,83, superando a expectativa que era de R$ 172. Os itens mais comercializados foram roupas, calçados, óculos, joias e relógios. Segundo o presidente da entidade, Ivan Tauffer, 31,8% do consumidor usou mais o crediário, enquanto que 48,3% usaram o cartão de crédito. Já as consultas ao SPC tiveram um aumento de 3,6%.

Tauffer comemora o desempenho.
Foto: FCDLSC

Comércio em Chapecó

De acordo com o presidente da CDL de Chapecó, Clóvis Spohr, neste ano um novo fôlego foi dado ao setor, muito embora, de forma lenta e gradativa. Ele aponta a redução das taxas de juros e da inflação, resultado da estabilização da economia do país, situação que gerou um melhor ânimo aos lojistas. Spohr acredita que o próximo ano será melhor ainda para o comércio, mesmo com a possível instabilidade política que deverá ser provocada pela eleição. “Espero que em 2018 a inflação fique muito próxima de zero, e a economia se estabilize alcançando um crescimento real de 5%”, prevê o dirigente.

Spohr acredita em um melhor ano.
Foto: MB Comunicação

Segue trabalhando

O pré-candidato ao Governo do Estado Gelson Merisio (PSD), não descansa um minuto pensando na eleição. Entre as comemorações natalinas com a família, ele seguiu com a agenda. Nessa quinta-feira (28) esteve em Joinville, onde foi convidado para reuniões com políticos e empresários.

De volta

Quem já está de volta ao Brasil, é o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Júlio Garcia. Ele me disse que agora é momento de passar o fim de ano com amigos e familiares e, que as movimentações políticas serão retomadas após o Dia de Reis, marcado para 06 de Janeiro. Garcia assinará ficha no PSD em um evento que está sendo organizado para fevereiro.

Moreira descansa

O vice-governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) não quer saber de política até janeiro. Está curtindo com a esposa, filhos e netos as festas de fim de ano. Sobre trabalho, somente após o Ano Novo. Ele deverá se reunir com a cúpula emedebista para discutir a formação de seu governo, na semana do dia 10 de janeiro.

Colombo em Lages

O governador Raimundo Colombo (PSD) tinha agenda particular em Lages, porém, não foi informado se ele deverá fazer alguma viagem para passar a festa de Ano Novo. Por hora, a única viagem prevista é a de março para Madri na Espanha, onde participará de um curso realizado pelo Partido Popular.

Contestado de luto

Faleceu na manhã de quinta-feira (28) o historiador Vicente Telles. Ele foi o responsável por preservar as memórias sobre a Guerra do Contestado. Em 2009, Telles recebeu do deputado federal Jorginho Mello (PR) o título de cidadão catarinense na Assembleia Legislativa. O sepultamento foi em Irani, região onde ocorreu o maior conflito de Santa Catarina.

Telles (esquerda) foi a voz do Contestado.

Desgaste

O presidente Michel Temer (MDB) tem um apreço pelos desgastes. A ministra do STF Carmen Lúcia concedeu liminar, acolhendo os questionamentos da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que protocolou uma ação na Suprema Corte para suspender os efeitos do decreto natalino, assinado por Temer, que reduziu o tempo de cumprimento das penas a condenados por crimes cometidos sem violência ou grave ameaça. A medida beneficiava os que cumprem pena por corrupção, incluindo, mensalão e Lava Jato.

Destaque

“A CASAN está orientando a população a fazer um uso consciente da água, sobretudo neste período de verão. Somente no último ano a Companhia investiu cerca de R$ 80 milhões nos Sistemas de Abastecimento de Água (SAA), no entanto, diante do grande número de turistas, especialmente no litoral, e do consumo elevado em todo o Estado nesta época, a Companhia pede a colaboração da população no sentido de usar esse recurso de forma responsável.”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest