O futuro de Colombo fora do governo, Pinho Moreira confirma governo austero, Merisio acredita na inocência de JR entre outros destaques

Colombo recebeu uma placa de Pinho Moreira.
Foto: Jeferson Baldo

Raimundo Colombo (PSD) deixa o Governo do Estado definitivamente, mesmo com a decisão de somente renunciar em abril. Licenciado, viajou na noite dessa sexta-feira (16) para a Espanha, onde participará na capital Madrid, de um curso realizado pelo Partido Popular do primeiro-ministro Mariano Rajoy. Na volta no próximo dia 27, irá diretamente para sua fazenda em Lages para ficar mais perto da família, pescar e se preparar pensando na eleição deste ano.

Colombo também irá até Florianópolis e São Paulo para fazer um check-up, afinal de contas, nos sete anos em que esteve à frente da Casa D’Agronômica, passou por uma série de dificuldades de saúde provocados pela forte carga de estresse. Desde um problema no coração que o obrigou a colocar um stent, passando por uma diabetes por vezes descompensada que o fez ter que reduzir o peso, a herpes zoster que lhe causava fortes dores, eu mesmo fui testemunha, pois o entrevistei quando ele ainda apresentava o problema, até a diverticulite que o fez ser internado às pressas. Toda essa situação chegou a render um puxão de orelhas de seus médicos, por isso, fará os exames para ter a garantia de que a saúde lhe permitirá enfrentar uma eleição.

Após, o ainda governador licenciado pretende realizar um roteiro pelo estado para visitar os veículos de comunicação e conversar com lideranças. Emocionado, agradeceu aos servidores que trabalharam com ele, e deixa um governo que enfrentou graves problemas devido a crise econômica que atingiu o país, o que levou o Estado a ter hoje uma dívida bilionária na Saúde, além do atraso no pagamento de fornecedores.

Mesmo assim, Raimundo Colombo conseguiu junto do ex-secretário de Estado da Fazenda Antonio Gavazzoni, evitar o aumento de impostos, o que nos deixa em vantagem em relação aos demais estados na busca por empresas e investidores, além de criar o primeiro Fundam, que permitiu aos municípios realizarem obras estruturantes. Conquistou importantes índices de desenvolvimento, e deixa o governo na liderança de geração de empregos e sem atrasar os salários dos servidores.

Também teve a coragem de enfrentar alguns debates acalorados, a exemplo da previdência, a greve de professores logo no primeiro ano e, em 2012, mais um momento difícil quando o Senado aprovou a alteração na lei do ICMS, o que fez o estado perder competitividade em relação a São Paulo, tanto, que Colombo recorreu à então presidente Dilma Rousseff (PT), para buscar uma compensação. Além disso, teve a onda de atentados a ônibus, a queda na arrecadação, e positivamente liderou a discussão para a revisão da dívida dos estados, o que lhe rendeu um reconhecimento nacional. Agora, resta saber a avaliação nas urnas a respeito do mandato de Colombo.

Bastidores

Raimundo Colombo (PSD) dorme pouco. Já tarde da noite após o jantar, tem o costume de fazer as suas anotações, aproveita para ler e colocar alguns assuntos em dia. Ficava mais tranquilo na enorme Casa D’Agronômica, quando os netos o visitavam, e ficavam correndo por todo o imóvel. Um dos momentos mais difíceis relatado por pessoas próximas, foi quando foram divulgadas as delações de empresários da Odebrecht e JBS, no âmbito da Lava Jato. A situação de fato o abalou e provocou inúmeras reuniões até altas horas com os seus advogados. Colombo reclamava que estava sendo acusado sem provas. Logo no momento em que o seu nome começara a aparecer até mesmo, como uma possibilidade para a majoritária nacional. Ainda aguarda a conclusão do inquérito, talvez por isso, ainda não tenha renunciado. Por fim, resolveu adiantar a posse de Eduardo Pinho Moreira (MDB), em reconhecimento ao apoio dos emedebistas.

Pinho Moreira

Mais de 3 mil pessoas prestigiaram a posse do agora governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB). Os temas do discurso que adiantei na coluna dessa sexta-feira (16), foram confirmados durante a fala do emedebista. Ele também destacou que Santa Catarina já dá sinais de retomada do crescimento econômico, mas que é preciso responsabilidade e prudência neste momento. Anunciou que diminuirá o tamanho da máquina pública e que buscará mais incentivos ao desenvolvimento, através de parcerias com a iniciativa privada e estímulos ao empreendedorismo. “Também teremos um olhar especial para a infraestrutura. Vamos fazer reivindicações junto ao governo federal para melhorar a qualidade de nossa malha viária. Nas rodovias estaduais e federais nós vamos dar atenção a todas as regiões”, garantiu Pinho Moreira.

Um grande público acompanhou o ato.
Foto: Jeferson Baldo

Agradecimento

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) aproveitou para agradecer ao agora governador licenciado, Raimundo Colombo (PSD), o chamando de amigo de todas as horas. Também lembrou do falecido senador Luiz Henrique da Silveira, e agradeceu a viúva Ivete Appel da Silveira. Recordou e agradeceu a sua falecida esposa Ivane, aos filhos, netos, a atual esposa Nicole Torret, e a seu enteado. Esse foi o início de um governo de menos de um ano, e que terá como palavra de ordem a austeridade. Dependendo dos resultados, Pinho Moreira entra no jogo eleitoral.

Pinho Moreira fez um discurso emocionado.
Foto: Júlio Cavalheiro

Merisio

Em entrevista no Estúdio Condá para a colega Raquel Lang, o pré-candidato ao Governo do Estado Gelson Merisio (PSD), se manifestou pela primeira vez a respeito do caso João Rodrigues (PSD). Ele lembrou que desde 2008 sempre esteve ao lado do deputado acompanhando o processo. Merisio lembrou da amizade que eles sempre tiveram, que considera Rodrigues inocente baseado no voto do relator Luiz Fux, no julgamento do STF. Na oportunidade, o ministrou afirmou que não houve nem dolo e nem dano ao erário público. Além disso, Merisio acredita que tanto a pena ainda pode ser revertida, quanto a prescrição do processo reconhecida. “Tenho convicção que não houve dolo. O julgamento efetivo do mérito pressupõe que ele é inocente”, afirmou.

Merisio acredita na inocência de João Rodrigues.

Força

Gelson Merisio (PSD) destacou que a região perde com a prisão de João Rodrigues (PSD), admitindo que ele próprio também terá perda, pois considera que os dois juntos tem grande força eleitoral. Para Merisio, tem lideranças nas outras regiões que tudo o que puderem fazer para inviabilizar o projeto de uma candidatura do Oeste, farão. “Nós precisamos de harmonia regional”, afirmou.

Não é imbatível

Para Gelson Merisio (PSD) o MDB não é imbatível. Segundo ele, os emedebistas tem 105 prefeituras, enquanto que PSD e Progressistas que estarão juntos no pleito, somam 120. Merisio disse que ele e Esperidião Amin (Progressistas) estarão juntos na eleição e, quem será o candidato, somente será decidido mais para a frente.

Nota

“O Progressistas esclarece que desde o conhecimento da data da licença do Governador Raimundo Colombo para dia 16 de fevereiro de 2018, jamais cogitou, juntamente com o nosso representante, Deputado Estadual Valmir Francisco Comin, a permanência no governo após a posse de Vice-Governador, Eduardo Pinho Moreira, solicitando ao nosso companheiro concluir seu brilhante e reconhecido trabalho frente àquela secretaria até a data da licença. Com isso, o Deputado Valmir Comin deixa a Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação nesta sexta-feira (16)” – Silvio Dreveck

Solidariedade

Desde que foi preso, o deputado federal João Rodrigues (PSD) tem recebido diversas manifestações de solidariedade, inclusive de lideranças de vários partidos. Além disso, nomes como Júlio Garcia, Eron Giordani, o delegado federal Rafael de Bona, e até prefeitos o visitaram em Porto Alegre. Agora, as visitas foram limitadas aos advogados e parentes de primeiro grau. Rodrigues se encontra em um local com mais 30 detentos, e com o uso de banheiro coletivo. Foi permitido o uso de ventilador por causa do calor no local.

Destaque

 “A partir da meia-noite deste sábado para domingo termina o horário de verão no Brasil. Moradores aqui de Santa Catarina e de outros nove estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, e também do Distrito Federal, devem atrasar os relógios em uma hora. De acordo com a Celesc, Santa Catarina teve uma economia de 4,5% no consumo de energia elétrica no período entre 18h e 21h.”

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest