Novo presidente do TJSC diz que principal desafio da sua gestão será combater a morosidade da Justiça

Eleito hoje presidente do TJSC, Rodrigo Collaço se propõe a combater a morosidade da Justiça

Combater a morosidade da Justiça a partir da primeira instância, valorizando servidores e juízes. Este será o grande desafio da sua gestão, afirmou o novo presidente do Tribunal de Justiça de SC eleito hoje, o desembargador Rodrigo Collaço.

Ele foi eleito em sessão do Pleno do TJ realizada na manhã desta quarta-feira (6/12) obtendo, em segundo turno, 47 votos contra 44 obtidos pelo desembargador Cesar Abreu. Ainda no primeiro turno, além de Collaço (33) e Abreu (25), receberam votos os desembargadores Ricardo Fontes (20) e Alexandre d’Ivanenko (14).

Combate à morosidade da Justiça
Vencido o embate eleitoral, o presidente eleito falou em união de esforços para a conquista de objetivos comuns. “Tenho certeza de que o Tribunal sai fortalecido deste processo e volta a ser uma corte única, com todos trabalhando para ter um Poder Judiciário cada vez mais forte e reconhecido no cenário nacional”, disse.

Collaço adiantou que o principal desafio de sua gestão, a partir de fevereiro do ano que vem, será combater a morosidade da máquina judicial. Para isso, prometeu, buscará investir prioritariamente na atividade-fim, com reforço da estrutura de apoio aos magistrados – juízes e desembargadores.

A eleição para os demais cargos definiu o seguinte corpo diretivo: desembargador Moacyr de Moraes Lima Filho, 1º vice-presidente; desembargador Henry Petry Júnior, corregedor-geral da Justiça; desembargador Carlos Adilson Silva, 2º vice-presidente; desembargador Altamiro de Oliveira, 3º vice-presidente; e desembargador Roberto Lucas Pacheco, vice-corregedor-geral da Justiça. A posse acontecerá no dia 2 de fevereiro de 2018.

Saiba mais sobre os novos dirigentes do TJSC.

Presidente – Des. Rodrigo Tolentino de Carvalho Collaço
Natural de Florianópolis, 54 anos, começou a carreira como juiz substituto em maio de 1989. Atuou nas comarcas de Urubici, Papanduva, Palmitos e Porto União. Em setembro de 1993, foi promovido a juiz de direito e prestou serviços em Chapecó, Joinville e Capital. Teve nova promoção em janeiro de 2009, desta vez para o cargo de juiz de direito de 2º grau. Assumiu como desembargador em dezembro de 2012. Compõe a 4ª Câmara de Direito Criminal do TJ.

1º vice-presidente – Des. Moacyr de Moraes Lima Filho
Natural de Florianópolis, 71 anos, foi eleito desembargador em outubro de 2007, em vaga do Ministério Público pelo quinto constitucional. Integra a 3ª Câmara Criminal do TJ.

Corregedor-Geral da Justiça – Des. Henry Goy Petry Júnior
Natural de Porto Alegre/RS, 58 anos, começou a carreira como juiz substituto em agosto de 1988, em Xanxerê, depois em São Domingos. Foi promovido a juiz de direito em novembro de 1990 e trabalhou em Quilombo, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste, Lages e Capital. Passou a ocupar vaga de juiz substituto de 2º grau em maio de 2007 e foi promovido a desembargador em novembro de 2010. Integra a 5ª Câmara de Direito Civil.

2º vice-presidente – Des. Carlos Adilson Silva
Natural de Campos Novos, 56 anos, foi nomeado juiz substituto em maio de 1989, lotado na comarca de Mafra. Promovido a juiz de direito, atuou nas comarcas de São José do Cedro, São Lourenço do Oeste, São Miguel do Oeste e Joinville. Em janeiro de 2009, passou a ocupar vaga de juiz substituto de 2º grau. Foi promovido a desembargador em abril de 2014. Compõe a 1ª Câmara de Direito Público.

3º vice-presidente – Des. Altamiro de Oliveira
Natural de Florianópolis, 55 anos, ingressou na magistratura como juiz substituto em maio de 1989 e atuou nas comarcas de Criciúma, São José e Capital. Passou a juiz de direito em abril de 1992 e judicou em Campo Erê, Capinzal e Caçador. Foi promovido a juiz substituto de 2º grau em fevereiro de 2009. Posteriormente, foi promovido a desembargador em junho de 2015. Integra a 4ª Câmara de Direito Comercial.

Vice-Corregedor-Geral – Des. Roberto Lucas Pacheco
Natural de Florianópolis, 58 anos, começou a exercer a função de juiz substituto em agosto de 1988, na comarca de São José e, a seguir, Tijucas. Promovido a juiz de direito, seguiu para Pinhalzinho, Maravilha, Videira, Rio do Sul e Capital. Em maio de 2007, passou a ocupar vaga de juiz substituto de 2º grau e, em dezembro de 2010, foi promovido ao cargo de desembargador. Compõe a 4ª Câmara de Direito Criminal e coordena o Grupo de Monitoramento e Fiscalização (GMF) do TJ.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest