Notas do Sul

Prato principal

O almoço de encerramento do ano, praxe do Governo do Estado, ontem na Casa da Agronômica, serviu o prato que vinha aguçando a pauta jornalística dos últimos meses. O governador Raimundo Colombo falou de forma mais clara sobre a transição para o vice-governador Eduardo Moreira. A transição acontece ao longo domês de janeiro e já nos primeiros dias de fevereiro Colombo se licencia e inicialmente viaja para duas a três semanas de um curso na Espanha. Renúncia de fato só no prazo, em abril. Isso é bom para Moreira, mas poderia ser melhor. Colombo pode voltar a qualquer momento entre fevereiro e final de abril, o que pelo que se ouviu dificilmente vai acontecer.

Entrelinhas
Nas entrelinhas da conversa sobre a transição do governo, ontem no Palácio da Agronômica, ficou subentendido que para afinar a aliança de PMDB e PSD em 2018 faltam alguns detalhes.

Via Rápida
A substituição do nome da Via Rápida de Rodovia Deputado Aristides Bolan para Rodovia Via Vêneto, é uma proposta justa ao reconhecer à colonização da região, mas divide opiniões. A divisão começa na própria família Bolan, que ao aceitar a substituição pode parecer desrespeitar a história do homenageado.

Nova Belluno
Uma substituição aparentemente mais simples, que é a mudança do nome da cidade de Siderópolis para Nova Belluno, nunca ocorreu.

Despedida
Os prefeitos da região carbonífera se reúnem amanhã pela última vez neste ano. Na reunião terão um balanço da coordenador do sistema CIS-Amrec, que é o sistema regional de gestão da cooperativa da Saúde. Daníria Natália Souza da Rocha, que está na função desde a criação do órgão, será substituída por Roque Salvan. A mudança é decisão política dos prefeitos.

O novo
O novo gestor do consórcio regional de saúde é Roque Salvan, que chegou ao cargo por articulação dos prefeitos do PMDB. Vai administrar um orçamento de R$ 7 milhões ano. Como o PMDB já tem a gerência regional de saúde, assume o consórcio regional, pode fechar a “tríplice coroa da Saúde” se Acélio Casagrande assumir a Secretaria de Estado da Saúde.

Carvão
No setor do carvão estão abertas as negociações da renovação dos contratos das seis mineradoras fornecedoras da Usina Jorge Lacerda. A renovação deve se dar com índice oficial de correção e com volumes idênticos a 2017. Já a expectativa para o novo leilão de energia, que deve ocorrer no dia 20 deste mês, não anima o projeto da Usitesc. A usina prevista para Treviso não vai participar por falta de investidores no projeto.

Aero
O Secretário de Articulação Nacional de Santa Catarina, Acélio Casagrande tratou com o delegado-geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Artur Nitz, da estratégia para busca de recursos para uma aeronave própria para o Serviço Aeropolicial da Polícia Civil (Saer) de Criciúma. Na semana passada houve audiência com o ministro de Justiça e Segurança Pública, Torquato Jardim, em Brasília. A atual aeronave continua locada.

Economia vale para todos
Nesta semana a Assembleia Legislativa de Santa Catarina anunciou o que denomina a economia de dinheiro público ao devolver cerca de R$ 85 milhões ao Estado. Quando o ano fecha com o Legislativo anunciando devolução tão significativa abrem-se dois questionamentos. O primeiro é se é que a dotação precisa ser nos números previstos inicialmente, mas principalmente se questiona porque outros poderes, especialmente o Judiciário, não consegue fazer a mesma economia. Vira uma espécie de cobrança indireta de economia nos demais poderes.

HOMENAGENS A pressão de setores do PMDB para tentar aprovar o mais rápido possível a mudança do nome da Via Rápida gera preocupações a famílias que cujos ente queridos são homenageados. A família de José Carlos Librelato deve colocar com recursos próprios mais algumas placas para identificar bem o trecho de acesso da BR-101 ao aeroporto de Jaguaruna.

MAIS UM Além do projeto do deputado Rodrigo Minotto, para alterar a denominação de Via Rápída Deputado Aristides Bolan, mais um projeto retirando a homenagem foi protocolado. O novo projeto é de autoria do deputado Luiz Fernando Cardoso Vampiro.

ETNIAS Nos bastidores o debate sobre a mudança de nome da Via Rápida faz eco também na associação de etnias.

EXEMPLO Os deputados estaduais passaram os últimos dias debruçados sobre planilhas para destinar R$ 5,7 milhões de verbas do orçamento impositivo, que passa a valer pela primeira vez em 2018. O deputado estadual Cleiton Salvaro, por exemplo, contemplou 43 municípios com as verbas.

GINÁSTICA A habilidade na distribuição das verbas pode ser fator de influência na própria campanha de reeleição dos deputados estaduais, em 2018.

PODER É o óbvio e natural: ontem, o governador Raimundo Colombo não tinha ainda terminado de falar que deve ir saindo do governo no início do ano que vem e os microfones todos se viraram para Eduardo Moreira. O almoço com a imprensa começou com Colombo no foco das lentes e terminou com Eduardo. Afinal, agora “o cara” é ele.

FRASE DO DIA
“Só para os municípios do Sul meu gabinete contemplou pelo menos 20 com mais de R$ 3 milhões de reais em verbas, neste ano de 2017. Então, quando dizem que estou pulverizando verbas e avançando em várias regiões como no Oeste é porque eu sou deputado de todo o Estado. Este tipo de crítica não me afeta, pelo contrário, me anima.”
João Amin, deputado estadual do PP, reagindo às críticas que recebeu de colegas de partido do Oeste, em fato que repercutiu aqui na coluna.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest