Napoleão pode disputar o governo, Colombo ataca para se defender, Décio Lima e as coligações entre outros destaques

Napoleão pode assumir a majoritária.

As conversas entre o PSD e PSDB tem se intensificado e, a verdade é que nada está descartado. Se por um lado, o senador Paulo Bauer (PSDB) insiste na sua candidatura e como principal argumento, usa os números das pesquisas. Por outro lado, Gelson Merisio entende que somente conseguirá manter o PDT e o PCdoB ao seu lado, se ficar na cabeça da aliança tendo os tucanos de vice. Para isso, o PSB mais uma vez aceita abrir mão da majoritária, como forma de facilitar o entendimento.

Ontem eu conversei com um deputado do PSDB, que garante que todas as hipóteses postas em jogo são possíveis, inclusive, até mesmo a saída de Bauer do cenário abrindo vaga para uma chapa com Napoleão Bernardes ao Governo, e Merisio de vice.

Também segundo uma outra liderança tucana, o PSDB não abre mão de estar na cabeça e, de ter duas vagas, sendo uma a governador e a outra ao Senado. “Partindo desse ponto, estamos abertos para um entendimento que ajudará a todos”, relatou.

O certo é que muitas conversas acontecerão até sábado (4), e ninguém quer dar um passo em falso, para não inviabilizar uma conversa que poderá fazê-los sonhar com o segundo turno.

Porta fechada

Uma fonte do alto escalão do PSD, afirmou que o candidato a governador Gelson Merisio (PSD), não quer saber de reaproximação com o também candidato Esperidião Amin (Progressistas). Quando questionei o percentual de chance de reaproximação, ouvi como resposta: “Mil a zero, mil a zero de chance”, afirmou.

Colombo responde

Através de sua assessoria, o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) respondeu a informação que divulguei ontem, de que fora aceita a denúncia contra ele por suposto uso de caixa 2 nas eleições de 2010 e 2014. Segue a nota: “O ex-governador Raimundo Colombo denuncia a política velha onde o ódio substitui o bom senso. “É uma matéria velha e está sendo requentada e faz parte da política nojenta de um denuncismo covarde”, ressalta. Colombo lembra que o Ministério Público Federal já arquivou a denúncia de corrupção passiva relativa às ilações e acusações feitas pela Odebrecht e, recentemente, o Ministério Público de Santa Catarina arquivou as acusações feitas pela JBS. O ex-governador diz ter a certeza que o resultado final na Justiça Eleitoral também será pelo reconhecimento de sua inocência” – Assessoria – Raimundo Colombo

 Ataque como defesa

Mais uma vez o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) e a sua assessoria, pecam pela condução que dão ao trabalho da imprensa. Ao invés de explicar à população baseado em fatos, a sua versão é atacar. Primeiro de tudo, a decisão do judiciário sobre o suposto caixa 2 da Odebrecht, não se trata de matéria velha, mas, sim, uma decisão que ainda não havia sido noticiada. Portanto, não faz sentido chamar o que foi publicado de “notícia velha e requentada”. Além disso, outra palavra foi usada de forma totalmente descabida que é “denuncismo covarde”. Quem conhece o verdadeiro significado da palavra, sabe bem que ela é usada para acusar uma estratégia ardilosa de fazer denúncias falsas para prejudicar a reputação da pessoa denunciada. Por tanto, é no mínimo equivocado o uso de tal palavra, quando a fonte da informação é o próprio judiciário.

Para entender

É preciso que as pessoas saibam que o ex-governador Raimundo Colombo (PSD), não foi condenado em nada. Ele se tornou um denunciado, isso sim, já que a justiça eleitoral acatou o pedido do Ministério Público, mas, como qualquer cidadão, ele tem todo o direito aos prazos de recursos para provar a sua inocência, que é o que defende. Vale lembrar que a acusação de “crime por corrupção passiva” foi arquivado e, o que neste momento tramita é apenas na esfera eleitoral. Sobrou agressões na nota enviada pela assessoria de Colombo, mas faltou o mais importante: dizer que não houve o caixa 2.

Acesse a decisão:     https://www.jusbrasil.com.br/diarios/documentos/593414934/andamento-do-processo-n-8-7220186240000-acao-penal-25-06-2018-do-tre-sc?ref=topic_feed

MDB quase…

Os emedebistas estão praticamente acertados com a deputada federal, Carmen Zanotto (PPS), que será a vice na chapa de Mauro Mariani (MDB). Hoje, Mariani conversará com Jorginho Mello (PR) para chegar a uma definição. O republicano insiste em ser o único do partido a disputar ao Senado, situação que tem preocupado lideranças do MDB, a exemplo do deputado Valdir Colatto e do ex-governador Paulo Afonso Vieira (MDB).

 Convenção do PR

O Partido da República realiza sua convenção partidária neste domingo (5), e vai homologar a candidatura de Jorginho Mello ao Senado Federal. O ato ocorre a partir das 9h, no auditório Antonieta de Barros, na Assembleia Legislativa. Além da candidatura de Mello ao Senado, o PR também deve lançar Jorge Goetten a deputado federal, e cerca de 20 candidatos a deputado estadual.

Pavan: o retorno

No dia em que a Assembleia Legislativa retornou às atividades, após o recesso de julho, o deputado estadual Leonel Pavan, líder da bancada do PSDB, também retomou seus trabalhos no parlamento. Pavan usou a tribuna do Parlamento para agradecer a solidariedade e a corrente de orações dos colegas, familiares e de todas as pessoas que torceram pelo restabelecimento de sua saúde.

Presidenciável

O pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos, senador Álvaro Dias, confirmou agenda política em Videira, para amanhã. O líder nacional do partido estará na Câmara de Vereadores, às 14h30, para conversar com lideranças, a população e também apresentar algumas de suas principais propostas.

Frente de esquerda

Conforme o que eu já havia divulgado, o deputado Décio Lima pré-candidato a governador pelo PT, está em busca de partidos de esquerda. Ontem as conversas foram com o PDT, PCdoB e PSOL, sendo que foi prometido a todos, vagas na majoritária. A esperança de Lima, é formar uma frente de esquerda, tanto, que hoje na reunião da executiva vai sugerir que vagas fiquem em aberto até o dia da convenção, para dar tempo aos demais convidados que pensem.

Inelegível

Um nome que ganhou força nos últimos dias para ser vice de Décio Lima (PT), era o do ex-prefeito de São Domingos, Alcimar de Oliveira, o Kiko (PT). Porém, a contas do exercício de 2016, quando Kiko era prefeito, foram rejeitadas pelos vereadores. Por força da lei da ficha limpa, o ex-prefeito ficou inelegível por oito anos. A decisão é definitiva, não cabendo recurso.

Outsider

Empresário bem sucedido, marido, pai e avô, Ericsson Luef (MDB), um blumenauense que foi o mais jovem presidente da Companhia Hemmer de Alimentos e, que mudou a empresa de patamar deixou seu posto de CEO para disputar as eleições deste ano. As posições de Luef são as de um defensor ferrenho doa deputado federal Estado mínimo, que oferte serviços de qualidade em Educação, Saúde, Infraestrutura e Segurança/Forças Armadas. A candidatura será homologada na convenção do partido, marcada para o dia 4 de agosto.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest