Mariani lidera na pesquisa, mas eleitor tem dificuldade na espontânea

A primeira pesquisa ao Governo do Estado, após o início do período eleitoral, coloca o candidato Mauro Mariani (MDB) da coligação “Santa Catarina Quer Mais”, em primeiro lugar no levantamento estimulado, com 17,6% das intenções de voto. Em segundo aparece o candidato Décio Lima (PT) da coligação “Renova SC” com 12,6%, empatado tecnicamente com Gelson Merisio (PSD) da coligação “Aqui é Trabalho”, que tem 12,1%.

Depois aparece a candidata Ingrid Assis Leitemberg (PSTU), com 2,9% das intenções de voto, seguida de Carlos Moisés da Silva (PSL) com 2,7%, Ângelo Castro (PCO) com 2,6%, Leonel Camasão (PSOL) da coligação “Um Caminho Pra Gente”, com 2% e Rogério Portanova (REDE) com 1,6%.

Espontânea

Na pesquisa espontânea, quando não são apresentados nomes ao eleitorado, Mauro Mariani (MDB) lidera com 3,1%, seguido de Gelson Merisio (PSD) com 2,2%. Em terceiro aparece Décio Lima (PT) com 2,2%. Fora os nomes dos principais partidos, apenas Carlos Moisés da Silva (PSL) foi citado por 0,3% dos eleitores pesquisados. Os demais, Ingrid Assis Leitemberg (PSTU), Ângelo Castro (PCO), Leonel Camasão (PSOL) e Rogério Portanova (Rede) não foram citados.

Rejeição

Décio Lima (PT) é o candidato ao Governo, com o maior percentual de rejeição, com 33,4%. O segundo mais rejeitado é Mauro Mariani (MDB) com 17,7%, e em terceiro Ângelo Castro (PCO) com 16,5% de rejeição. O quarto mais rejeitado é Leonel Camasão (PSOL) com 15,6%, seguido de Gelson Merisio (PSD) com 14,5% de rejeição. Rogério Portanova (Rede) aparece com 14,3%, Ingrid Leitemberg (PSTU) com 13,9% e Carlos Moisés da Silva (PSL) com 12,7% é o menos rejeitado.

Análise

A primeira pesquisa reforça o equilíbrio da eleição e a importância de quem ficará em terceiro ao final do primeiro turno, que será praticamente decisivo a favor da candidatura de quem apoiar.

Chama a atenção que, de forma espontânea, o eleitorado ainda tem dificuldade de apontar um nome. Veja que 66,5% do eleitor consultado quando não é estimulado, não sabe ou não respondeu. Esse percentual reduz significativamente quando vai para a estimulada, onde o percentual de indecisos fica em 26,4%. Se somados os brancos e nulos, o percentual na estimulada também é grande, chegando aos 46%.

A margem de erro é de 3,1%, e a pesquisa foi feita entre 10 e 15 de agosto. A pesquisa realizada pelo Instituto Mapa está registrada SC 03759 /2018 e BR 03127/ 2018

 

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest