Mais um município litorâneo estuda implantar taxa ambiental: Itapoá

Parece que os prefeitos dos municípios do litoral de SC estão gostando da ideia de criar mais uma fonte de renda com um novo imposto sobre os turistas: a polêmica taxa de preservação ambiental. Hoje a cidade de Bombinhas, na região da Grande Florianópolis, já conta com esta taxa, a qual foi implementada em 2014. De lá para cá já rendeu aos cofres municipais cerca de R$17 milhões. Alvo de questionamentos junto ao Ministério Público, a taxa acabou sendo autorizada sob vários argumentos, entre eles a manutenção de serviços como coleta de lixo e distribuição de água na alta temporada, quando a população dobra de tamanho.

Depois foi a vez de São Francisco do Sul, litoral norte, adotar esta ideia. Para esta temporada já estão preparados questionamentos aos turistas para traçar o perfil e, já na temporada 2019, implantar a taxa com valores parecidos aos praticados em Bombinhas: cerca de R$26 por veículo de passeio. Agora Itapoá, também no litoral norte, estuda a proposta. Uma comissão técnica está sendo criada para avaliar a ideia a ser praticada na cidade. O prefeito, Marlon Neuber (PR) afirma que a coleta de lixo será o principal destino desta verba extra.

Se por um lado a taxa extra engorda o caixa dos municípios em um período onde as despesas são maiores, por outro aspecto é mais um imposto criado, encarecendo as viagens dos turistas na principal época do ano para o litoral.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest