Lula deve se entregar, Lummertz será o novo ministro do Turismo, Bernardes foi o fato político de SC, entre outros destaques

Lula ao lado de Dilma e lideranças dentro do Sindicato ontem a noite.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) orientou ontem a noite os seus integrantes no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina, para que se deslocassem para Curitiba. De acordo com um comunicado interno da CUT que eu tive acesso, o ex-presidente Lula (PT) se entregará à Polícia Federal as 17h de hoje, por isso, foi pedido para que a militância o acompanhe até a sede.

Para quem tem acompanhado as falas do juiz Sérgio Moro, sobretudo o que ele disse no programa Roda Viva quando questionado sobre a prisão de Lula, sabe que o magistrado deixou bem claro que assim que a determinação chegasse até ele, que não o caberia outra coisa a não ser determinar a prisão, sob pena de prevaricação.

Moro de forma respeitosa destacou em sua decisão que devido a importância do cargo que Lula ocupou, que de forma alguma sejam usadas algemas nele e, concedendo a possibilidade da entrega do ex-presidente. A decisão de se entregar de acordo com o comunicado da CUT, teria partido dos advogados de defesa, que ao contrário de algumas lideranças nas quais se inclui, o senador Lindbergh Farias (PT), tentaram convencê-lo a resistir e não se entregar.

Outra ideia de lideranças mais radicais, é que Lula fosse levado a Brasília para se refugiar em alguma embaixada e pedir asilo político. Além disso, outras lideranças de movimentos sociais passaram a madrugada discursando, inclusive, um integrante do MST chegou a dizer que a “foice do MST está pronta para evitar a prisão de Lula”, em total desrespeito ao tão lembrado Estado Democrático e de Direito.

Mas é preciso lembrar que não é uma prisão política e, o julgamento foi em respeito a Constituição, assim como o recurso, embargos, ou seja, o ex-presidente teve todos os espaços ao contraditório. Portanto, com todo o respeito a história do político Lula, que promoveu avanços em seu governo e isso não pode ser negado. O que se tem hoje é o início de um cumprimento da pena de um brasileiro condenado, como qualquer outro.

Leia aqui a determinação de prisão expedida pelo juiz Sérgio Moro: 7847c8c959b35dffb758948280aeb3cc

Estado Maior

Este é o nome da sala onde ficará preso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ele ficará no quarto andar, longe da carceragem em local reservado e com constante policiamento. Fora isso, Lula terá o mesmo tratamento dos demais presos, recebendo três refeições ao dia, além da permissão a visitas que podem levar outros alimentos e itens de higiene. Lula também terá duas horas de banho de sol, em horário diferenciado.

Sede da PF em Curitiba onde Lula ficará preso.

Renúncia

Após o ato de renúncia ontem a tarde no gabinete da presidência da Assembleia Legislativa, onde entregou a sua carta a Aldo Schneider (MDB) que preside o parlamento. O agora ex-governador Raimundo Colombo (PSD) concedeu entrevista coletiva na sala de imprensa. Ele criticou o atual modelo político catarinense, porém, todos aguardavam a confirmação de sua pré-candidatura ao Senado, o que ele respondeu positivamente. Quanto ao projeto do PSD ao Governo do Estado, Colombo destacou que o pré-candidato é Gelson Merisio (PSD), reiterando o apoio ao deputado, e conforme eu já havia adiantado, ele começará a cumprir uma agenda por todo o estado. Hoje Eduardo Pinho Moreira (MDB) será empossado pelo presidente da Alesc e, amanhã Colombo realizará um ato em Lages a partir das 10h.

Colombo entregou a carta de renúncia a Schneider.
Foto: Guto Kuerten

Candidato do PSD

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD) disse ainda que sonha que o seu partido tenha candidato e, que Gelson Merisio (PSD) seja o candidato a governador e que o projeto se fortaleça. Ele também confirmou quando questionado, que ajudará Merisio e, que entende que um partido grande como o PSD precisa ter candidato. Colombo negou que estejam trabalhando para forçar uma aliança com o PSDB e MDB. “Eu sou um homem democrático, e vou fazer o que a maioria dos nossos líderes quiserem. A verdadeira aliança nasce de forma natural”, afirmou. Outro ponto questionado na coletiva foi sobre a declaração de Júlio Garcia de que Merisio não se viabilizou. “Se você olhar o cenário, não tem nenhum candidato destacado e, nenhum inviável”, disse o ex-governador, destacando que todos vão trabalhar.

Colombo reafirmou o apoio a Merisio.

Pedido

Ao deixar o governo, Raimundo Colombo (PSD) fez um pedido ao agora governador Eduardo Pinho Moreira (MDB): Que ele viabilize o Fundam. Porém, conforme já divulguei algumas vezes, o BNDES não aceita liberar o financiamento para que seja repetido o formato do primeiro Fundam.

Fato político

O agora ex-prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes (PSDB), pré-candidato ao Senado, prestou contas de seu mandato e transmitiu o cargo após a sua renúncia, ao agora prefeito Mário Hildebrandt (PSB). O ato que aconteceu no Teatro Carlos Gomes, reuniu um grande número de pessoas, inclusive lideranças, a exemplo do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), do ex-governador Raimundo Colombo (PSD), senador Paulo Bauer (PSDB), além de deputados federais a exemplo do pré-candidato Mauro Mariani, e estaduais. Bernardes sai em alta de seu mandato, prestigiado por grandes lideranças estaduais e com o apoio de seu partido para tentar uma vaga ao Congresso Nacional. Mas, também ficou claro que seguirá o assédio dos emedebistas aos tucanos, para que formem uma aliança pensando no pleito.

Trevisan X Garcia

O ex-secretário regional e atual prefeito de São Miguel do Oeste, Wilson Trevisan (PSD), voltou a criticar o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Júlio Garcia, que voltou ao PSD para ser pré-candidato a deputado estadual. Trevisan fez o seguinte comentário na coluna do colega Upiara Bosch do grupo NSC, que entrevistou Garcia. “Quem errou foi Júlio Garcia vir para o partido, provocar divisão, ainda tem tempo de ele ir para o Partido que mais gosta. Pelo jeito desaprendeu fazer política de uma jeito novo, o povo não aceita mais isso. O tempo dele era na base do coronelismo, isso acabou seu Júlio o PSD não vai aceitar isso”, escreveu Trevisan. Liguei para Garcia que chamou Wilson Trevisan de líder valoroso, destacando que a sua voz tem que ser ouvida. “Nunca houve problema entre nós. Eu apenas exponho as minhas ideias com todo o respeito aos outros. Minhas críticas não são pessoais e, nem seria em relação a ele. Sempre critico respeitando”, disse o ex-conselheiro.

Trevisan voltou a questionar Garcia.

Garcia nega interferência

Aproveitei para questionar a Júlio Garcia (PSD), se ele e o ex-governador Raimundo Colombo (PSD), tem buscado nos bastidores minar o projeto do pré-candidato a governador Gelson Merisio (PSD), para reaproximar o partido do MDB, ou do PSDB, oferecendo o candidato a vice para coligar. Garcia negou e desafiou. “Pergunta para o governador Raimundo (Colombo). Se ele disser que sim, eu retiro a minha candidatura. Nunca conversei com o Raimundo sobre isso, não trabalho nessa direção. Eu sou a favor de ouvir todos os líderes antes de tomar a decisão. Temos que ouvir as bases, desde prefeitos, vices, vereadores e lideranças. O bom líder lidera ouvindo seus liderados e, acho que o nosso líder maior é o Raimundo. Ele não vai tomar nenhuma atitude sem ouvir as lideranças”, afirmou.

Na briga pela aduana

O secretário da Receita Federal, Jorge Antônio Deher Rachi, comprometeu-se ontem a encaminhar uma equipe a Dionísio Cerqueira para avaliar a estrutura da atual aduana. O compromisso foi assumido durante uma reunião de trabalho com o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), deputado estadual Marcos Vieira (PSDB) entre outras lideranças, que foram a Brasília buscar uma solução que aumente a capacidade de atendimento da aduana. “Precisamos agilizar, pois não há sentido deixar mercadorias paradas por falta de estrutura e profissionais”, destacou o governador, que cobrou atenção especial da Receita Federal e do Ministério da Agricultura. “Dionísio Cerqueira é estratégica para que possamos trazer milho do Paraguai e da Argentina mais barato, aumentando a competitividade catarinense”, detalhou Pinho Moreira.

Presídio de Chapecó

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), tem demonstrado que tem trânsito junto ao círculo mais alto do poder no Governo Federal. Depois de ter conquistado R$ 120 milhões para a Saúde, esteve reunido com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann. Pinho Moreira que foi acompanhado do senador Dário Berger (MDB), pediu o apoio do ministro na liberação rápida de recursos para a conclusão das obras do Presídio Feminino de Chapecó, que já está com mais de 95% do projeto realizado. “A unidade prisional está praticamente pronta e contamos com recursos na Caixa Econômica Federal, então o que precisamos é de agilidade”, cobrou o governador.

Pinho Moreira em conversa com o ministro Raul Julgmann

Lummertz ministro

O presidente da Embratur Vinicius Lummertz, será o próximo ministro do Turismo. Em reunião entre líderes governistas, ficou definido o nome do catarinense para o lugar de Max Beltrão que deixou o governo por ser pré-candidato na eleição de outubro. Lummertz é considerado um dos maiores especialistas em turismo do Brasil. Na Embratur, ele assumiu por indicação do deputado federal Mauro Mariani (MDB).

Lummertz assumirá o Ministério do Turismo.

Ministro no TST

O novo ministro do Tribunal Superior do Trabalho, o catarinense Alexandre Ramos, tomou posse ontem em Brasília. A solenidade contou com a presença do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), senador Dário Berger (MDB), deputados e o ministro Jorge Mussi. Ramos já atuou na comarca de Chapecó.

Ramos (direita) foi empossado.

Fiscalização direta

Tudo o que o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) não quer, é contato com a Assembleia Legislativa, tanto, que buscou alternativas para iniciativas que precisariam de aprovação do parlamento. Mas por iniciativa do deputado estadual Valmir Comin (Progressistas), foi criada a Frente Parlamentar de Acompanhamento e Fiscalização do Pacto pela Proteção Social e do Programa de Regularização Fundiária. De acordo com Comin, os deputados vão acompanhar, fiscalizar e avaliar os procedimentos de contratação, aquisição e execução de serviços, equipamentos e obras do programa.

Comin presidirá a comissão.

Dilma ao Senado

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT), será lançada como pré-candidata ao Senado pelo estado das Minas Gerais. Dilma mudará para Belo Horizonte, onde passará a morar. Um anúncio oficial estava sendo preparado para hoje, porém, com a determinação da prisão do ex-presidente Lula, pode ser adiado até a próxima segunda-feira.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest