Líderes acertam que aumento de gastos ao Estado serão barrados na Alesc, Pinho Moreira anunciará novos cortes, Colombo é criticado nos bastidores do governo, entre outros destaques

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) recebe a imprensa hoje as 10h em seu gabinete, para anunciar algumas medidas, entre as quais, mais cortes de cargos comissionados. Ele abrirá a sua fala fazendo o papel de médico que é a sua formação, traçando um diagnóstico da grave situação financeira enfrentada pelo Estado e, anunciará algumas medidas de impacto para conter a crise que afetou os cofres do governo.

Por ter extrapolado o limite máximo estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal, para o custeio da folha de pagamento dos servidores ativos e inativos, Santa Catarina está sem a Certidão Negativa que lhe permitiria receber transferências da União, ter acesso a financiamentos, tanto que recursos para obras do Pacto por Santa Catarina não puderam ser liberados pelo BNDES.

Cobalchini tem articulado as conversas com outros parlamentares.

Em uma reunião articulada pelo líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Valdir Cobalchini (MDB), líderes das bancadas receberam um apelo para que não entre na pauta do parlamento, ou não seja aprovado mais nenhum projeto ou derrubado vetos que acarretem em mais gastos para o Estado. Ao final do encontro, os líderes saíram fazendo o mesmo discurso a respeito da orientação que darão aos demais deputados.

Se realmente for cumprido o acordo, propostas de reajustes que estão na fila, a exemplo dos que versam sobre vantagens salariais e emendas que beneficiariam algumas categorias com aumento, não serão aprovadas. Duas matérias que testarão a força dos parlamentares, são as que criam novos cargos no Poder Judiciário, o que também ficou definido que não será colocado na pauta e se entrar, não receberá a aprovação, e a análise do veto ao aumento para os servidores da Udesc que também não passará. “A saúde financeira do Estado já está combalida. Não podemos deliberar mais nada que contribua para comprometer ao ponto, de virarmos um Rio de Janeiro ou um Rio Grande do Sul”, teria dito Cobalchini segundo uma fonte, aos demais deputados durante o encontro de líderes.

Deputados ajudarão

Ainda no encontro de líderes ontem na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Valdir Cobalchini (MDB) disse que o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) está fazendo a sua parte, mas, que precisa ter a tranquilidade que os parlamentares também farão a parte deles. “Todos os poderes terão que fazer a sua parte”, afirmou o emedebista, segundo um dos participantes da conversa.

Críticas a Colombo

Nas internas do governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), as críticas partindo de lideranças emedebistas ao ex-governador Raimundo Colombo (PSD), devido a situação financeira do Estado, tem sido uma constante. Uma fonte me disse que o pessedista sabia da situação relacionada a folha de pagamento dos servidores ativos e inativos, ainda em dezembro passado, quando já estava em 49% da receita corrente líquida. “No dia 27 de fevereiro o TCE encaminhou um aviso que o Estado havia ultrapassado o limite. Isso não aconteceu a partir de 16 de fevereiro (Data em que Pinho Moreira começou a assumir o governo), isso é resultado de algo anterior”, afirmou uma liderança do governo que pediu para não ter o nome identificado. E as críticas a Colombo não pararam por ai, quando a fonte pediu para que todos encarem a realidade como ela é, sem “escamotear”. “Temos que pensar no futuro do Estado, a situação não é novidade para ninguém”, destacou.

Colombo tem sido criticado nos bastidores.

Estado enxuto

Quem também demonstrou preocupação com a situação financeira do Estado, foi o pré-candidato a governador, deputado Gelson Merisio (PSD). Em conversa revelada por um pessedista, com lideranças de seu partido e de legendas aliadas a ele, Merisio disse que a situação por que passa o Estado potencializa o que ele tem defendido, a exemplo da extinção das Agências de Desenvolvimento Regional e o corte de cargos públicos.

Merisio relatou preocupação.

Mariani na Alesc

O primeiro almoço da bancada do MDB na Assembleia Legislativa sob o comando do líder Carlos Chiodini, contou com as participações do presidente da executiva estadual do partido, deputado federal Mauro Mariani, do secretário da Casal Civil Luciano Veloso Lima, e do chefe de gabinete do governador Eduardo Pinho Moreira, o ex-deputado Miguel Ximenez. A proposta de integração com o comando estadual do partido e do governo foi entendida pelos deputados como uma estratégia eficiente, no momento em que o MDB responde pelo governo estadual e comanda a Assembleia sob presidência do deputado Aldo Schneider.

Mariani será mais participativo nos almoços da bancada estadual.

Mais presente

O deputado federal Mauro Mariani (MDB), que é pré-candidato ao Governo do Estado, adiantou à bancada de seu partido na Alesc, que pretende ampliar a assiduidade nos encontros com os deputados. “Eu mesmo me convidei para o encontro de hoje, e pretendo estar por aqui todas as semanas, se a agenda permitir”, avisou. Veloso por sua vez, disse que manter a Casa Civil aberta aos deputados é prioridade em sua gestão, o que inclusive, lhe rendeu elogios pelo trato dispensado aos deputados. Por sua vez, Ximenez, sempre familiarizado com o parlamento, disse que a sua participação no gabinete do governador, reflete a disposição de Eduardo Pinho Moreira em ter sempre um canal aberto ao diálogo político com a bancada. Entre abordagens de cenários nacional e estadual, o encontro serviu para o líder do governo Valdir Cobalchini, reforçar o apelo para o controle de gastos públicos. “O momento não é propício para isto”, alertou.

Cassação da homenagem

O deputado estadual Mauro De Nadal (MDB), não quer ser o relator do projeto apresentado por Maurício Eskudlark (PR), que casa o título de Cidadão Catarinense entregue ao ex-presidente Lula (PT). A decisão de ontem, somente reflete o sentimento anterior de Nadal, que desde o início já não teria gostado da indicação para relatar a matéria. A relatoria deverá ficar com João Amin (Progressistas), e a escolha se deve ao projeto do mesmo parlamentar que cassou uma homenagem feita a Geddel Vieira Lima (MDB), que foi preso pela Operação Lava Jato. Segundo uma fonte, a pressão feita por deputados do PT gerou um grande desconforto. “O argumento é que se tirar do Lula, precisa tirar do João Rodrigues (PSD) e de outros homenageados com problemas na justiça”, relatou.

De Nadal declinou da relatoria.

Pavan é o líder

Em clima de unidade e descontração, o deputado estadual Leonel Pavan foi confirmado como o novo líder da bancada do PSDB na Assembleia Legislativa. A tradicional reunião-almoço com a presença dos demais deputados integrantes, a exemplo de Marcos Vieira, Serafim Venzon e Vicente Caropreso, teve a escolha da liderança e a discussão do evento de lançamento do nome do senador Paulo Bauer como pré-candidato ao Governo do Estado. Inclusive, amanhã durante o ato, o senador Dalírio Beber deverá ser homenageado pelo seu aniversário comemorado na segunda-feira (16) desta semana. Pavan, que voltou à Alesc após 15 meses de atuação frente à Secretaria de Estado do Turismo, Esporte e Cultura, agradeceu a confiança dos colegas parlamentares, e disse que a missão será de grande responsabilidade. “Me exigirá discernimento num ano de muitas restrições parlamentares em função do processo eleitoral”, afirmou.

Escolha por Pavan foi unanime.

Defesa do turismo

No primeiro discurso como líder da bancada do PSDB na Assembleia Legislativa, o deputado Leonel Pavan salientou a importância de conciliar o interesse público catarinense nas relações do partido e do parlamento, com o Executivo estadual na análise e votação de projetos, bem como destacou o crescimento do setor turístico do estado, do ano passado para cá, segundo pesquisa mensal de serviços do IBGE. Neste sentido, Pavan disse que os resultados mostram a necessidade de se manter e fomentar constantemente o setor com políticas públicas e em parceria com a iniciativa privada, além de aumentar o investimento em promoção interna e externa.

Novo secretário

O vereador de Guaraciaba Paulo Meneghini (MDB), assumirá na próxima semana o cargo de secretário executivo da ADR de São Miguel do Oeste. Ele foi indicado pelo deputado estadual Mauro De Nadal (MDB). Ainda ontem o novo secretário conversou com o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), quando foram acertados os detalhes. Meneghini assumirá a ADR em uma nova fase, em que terá que atender as regiões de Itapiranga e Dionísio Cerqueira, que foram anexadas a regional de São Miguel do Oeste.

Cabo eleitoral

Ninguém pode negar que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), poderá ser um importante cabo eleitoral no pleito deste ano à Presidência da República. Mesmo preso cumprindo pena na Polícia Federal em Curitiba, o petista aparece liderando as pesquisas e poderá sim, transferir os seus votos para Fernando Haddad ou José Eduardo Cardozo, que são os dois nomes cotados para disputar a Presidência da República. Se Lula com o seu discurso de vitimização e de politização de sua condenação conseguir levar o candidato petista ao segundo turno, atrairá importantes apoios, principalmente se o adversário for Jair Bolsonaro (PSL).

Patinando

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), segue patinando nas pesquisas à Presidência da República. Na realizada pelo Datafolha no final de semana, o tucano ficou entre 6% e 8%, demonstrando que tem dificuldade. É claro que uma coisa é a pesquisa pré-eleitoral, e a outra os números de quando a eleição de fato começa. Porém, a situação de Alckmin tem se complicado, inclusive, agora por causa do senador Aécio Neves (PSDB) que se tornou réu por ter supostamente recebido propina. Além disso, uma outra questão chamou a atenção. De acordo com o jornal Folha de São Paulo, somente 9% dos eleitores paulistas sabem que Márcio França (PSB) assumiu o governo no lugar de Alckmin. Essa situação já gerou críticas ao tucano que foi acusado de não ter dado espaço ao aliado.

Fatos novos

Uma possível aliança entre Marina Silva (Rede) e Joaquim Barbosa (PSB), poderá mexer significativamente com o cenário eleitoral à Presidência da República. A questão é que os pessebistas não abrem mão de que seja Barbosa, o candidato a presidente, enquanto que Marina não aceita ser a vice na chapa. Mas se chegarem a um acordo, vão com força para o pleito.

Segurança

O projeto da vereadora Marcilei Vignatti (PT) já ganhou força de Lei, devendo dar uma maior segurança para as mulheres em Chapecó. A importante iniciativa permite que as passageiras do transporte coletivo, possam pedir que os motoristas parem fora do ponto de ônibus, para que elas possam desembarcar mais próximo de seus destinos.

Ótima notícia

A Coreia do Sul nos próximos dias irá anunciar a compra de carne suína de Santa Catarina. O estado foi o escolhido por ser o único livre da febre aftosa sem vacinação. O Ministério da Agricultura confirmou a informação que poderá aliviar os efeitos dos prejuízos gerados pelo escândalo da BRF. A Coopercentral Aurora que tem a sua qualidade reconhecida em todo o mercado, deve ser uma das empresas que exportarão os maiores volumes aos sul-coreanos, que são reconhecidos por pagarem um valor acima de outros mercados.

Conversa com os russos

Está agendada para o próximo dia 24 uma reunião entre as autoridades sanitárias do Brasil e da Rússia, para definitivamente baixar o embargo à carne suína brasileira. De acordo com o Ministério da Agricultura a expectativa é boa para a reabertura do mercado russo. Porém, para o reinicio das exportações os valores deverão ser negociados um pouco mais abaixo do que estava sendo praticado. Uma outra boa notícia é a confirmação da vinda de uma missão chinesa ao Brasil, para a inspeção e o anúncio da ampliação de plantas frigorificas que produzem carne bovina, de frango e suína, além da Indonésia que também tem uma missão inspecionando nesta semana empresas brasileiras. Será a luz no fim do túnel?

Serve para todos

A decisão do STF de tornar o senador Aécio Neves (PSDB), réu de um processo em que ele teria recebido propina de R$ 2 milhões da JBS, tranquiliza a quem realmente quer que todos os envolvidos em corrupção paguem pelos seus erros. Aécio não terá vida fácil, as gravações e provas são comprometedoras e o seu destino deve ser a condenação. Por outro lado, essa situação serve para enfraquecer o discurso do PT de que Lula é um preso político, algo totalmente fora da realidade. A mesma operação que condenou Lula, também condenará Aécio e todos os demais envolvidos do MDB, Progressistas entre outros. Inclusive a presidente nacional petista, senadora Gleisi Hoffmann, que também é ré na Lava Jato poderá caso assim a justiça entenda, também sofrer uma condenação.

Congresso dos prefeitos

Entrou no ar ontem o hotsite com a programação do maior evento municipalista de Santa Catarina: o Congresso de Prefeitos, que acontecerá entre 11 a 14 de junho, em Florianópolis. Em sua décima sexta edição o evento terá três eixos temáticos: Conversa de Prefeitos, Cidades Inteligentes e Gestão Eficiente. Ao lançar publicamente o evento, o presidente da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), Volnei Morastoni (MDB), prefeito de Itajaí, destacou que serão quase quatro dias intensos de integração e debates dos agentes públicos e políticos que compõem a força do municipalismo catarinense.

Projeto 171

O deputado estadual João Amin (Progressistas) ironizou na tribuna da Assembleia Legislativa uma colagem que resultou no falso projeto de lei 171, divulgado como de sua autoria, que concedia 15 dias de folga aos deputados estaduais. “Está correndo nos grupos de WhatsApp o PL 171, que autoriza os deputados a tirarem quinze dias de folga para praticarem esportes dentro e fora do país. O artigo terceiro é sensacional, permite aos que não têm condições de praticar esportes, ficar em casa com as suas esposas ou então viajar com as suas amantes. A assinatura é minha, mas eles recortaram ela do PL 29, que dispunha sobre a capacitação em primeiros socorros dos professores das escolas públicas”, descreveu Amin.

Amin ironizou a Fake News.

Registrou um B.O

O deputado estadual João Amin (Progressistas) contou que registrou boletim de ocorrência para descobrir quem está por trás da falsificação. “A polícia vai ter a inteligência suficiente para vir aqui na Assembleia e descobrir quem é o dono do computador da Apple comprado em 2012 e que fez isso aí”, afirmou.

Homoafetivos

Assegurar proteção e segurança jurídica à família homoafetiva e garantir a aplicação dos mesmos direitos e políticas públicas das uniões estáveis constituídas por homem e mulher. Esses são os principais objetivos de um projeto de lei de autoria do deputado Cesar Valduga (PCdoB), aprovado na Assembleia Legislativa no fim do ano passado. Um dos artigos da proposta, que trata de convênios e contratos, tinha sido vetado pelo então governador Raimundo Colombo (PSD). Os deputados estaduais analisaram e derrubaram esse veto por unanimidade durante a sessão de ontem.

Valduga conseguiu apoio para derrubar o veto.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest