Há algo de estranho no PSD, Udo segue pensando na eleição ao Estado entre outros destaques

Kassab não se preocupou em responder.

Há algo de podre no reino da Dinamarca! A afirmação criada por Shakespeare, no romance Hamlet, escrito por ele entre os anos de 1599 e 1601, poderia ser usada como analogia para retratar a situação no PSD de Santa Catarina. Há algo de estranho nas movimentações e a fumaça ficou mais forte ainda no dia de ontem, mostrando que pode ter fogo.

Após alguns telefonemas ao ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab, presidente licenciado do PSD nacional, que não atendeu, talvez por já saber o conteúdo da conversa. Recebi de sua assessoria a resposta para esse simples questionamento: Existe alguma possibilidade de intervenção no PSD de Santa Catarina, para atender ao projeto do governador licenciado Raimundo Colombo ao Senado? Eis a resposta: “As coligações partidárias são fundamentais para o PSD e os demais partidos, e ainda estão em processo de desenho”, escreveram via e-mail.

Cheguei a argumentar com os assessores de Kassab, que haviam me dado uma resposta vaga, sem conteúdo e totalmente fora do que havia perguntado. Já sem muita paciência, um assessor escreveu o seguinte via WhatsApp: “As coligações ainda estão em desenho. E não há ainda qualquer posição sobre intervenção”, afirmou. Kassab já havia me atendido em outras oportunidades, mas dessa vez nem atendeu ao telefone e encaminhou a conversa ao seu staff. Essa atitude deixa claro que, ou não há o devido respeito a Santa Catarina, ou Kassab realmente pensa na possibilidade de uma intervenção. O que será?

O certo é que o clima dentro do PSD não é bom desde que ganhou força a tese de que forças externas, seriam usadas a favor de Colombo. Lideranças reclamam e se sentem desprestigiadas, pois, entendem que a executiva nacional não respeita os pessedistas catarinenses. Portanto, até que Kassab, que mesmo licenciado da presidência da legenda, é quem define os encaminhamentos do PSD, não responda aos meus questionamentos. Seguirei acreditando que há algo no mínimo, muito estranho no reino pessedista.

Garcia nega

Ontem eu questionei o ex-conselheiro do Tribunal de Contas e pré-candidato a deputado estadual, Júlio Garcia, sobre a possível intervenção no PSD. “Chance zero. Nos dias de hoje, no regime em que vivemos, não tem como isso acontecer”, afirmou.

Garcia nega intervenção.

Udo quer

Ontem a noite conversei com o prefeito de Joinville Udo Dohler (MDB). Desde que se colocou à disposição de seu partido para a disputa ao Governo do Estado, Dohler tem visitado prefeitos, lideranças e empresários. O prefeito disse que seguirá conversando com as lideranças, pois, o seu principal objetivo é formar uma tríplice aliança, com MDB, PSD e PSDB, claro, com ele na cabeça. Dohler também reclama de falta de diálogo dentro de seu partido e, segundo ele, não aconteceu o que era esperado. Além disso, deixou claro que pretende disputar o governo, mas, sem aventuras.

Dohler deverá disputar a convenção.

Nova conversa

O prefeito de Joinville Udo Dohler (MDB), se encontra hoje as 11h no Centro Administrativo com o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB). Além de discutir algumas questões de interesse municipal, Dohler também falará da eleição e, dirá a Pinho Moreira que é preciso levantar o debate no partido sobre qual será o compromisso do futuro governador. Para o prefeito não há sentido em ser candidato simplesmente por ser, por isso, não disputou as prévias, considerando a proposta como oportunista, pelo fato de propor apenas a escolha do nome, sem um debate mais aprofundado a respeito das propostas.

Roteiro

Udo Dohler (MDB) pensa na disputa ao Governo do Estado e, tem levado tão a sério, que já tem uma planilha com números do estado, onde também constam as ações que pretende realizar caso seja o governador. Ele também me disse que disputar a eleição é uma obrigação para com os seus eleitores e, que está disposto a correr os riscos, porém, sem se aventurar. Dohler também espera a abertura de um maior diálogo no partido, e o convite para que possa participar das discussões sobre a eleição. Ele tem conversado quase todas as semanas com o senador Paulo Bauer (PSDB), e terá encontros com o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), e com o ex-conselheiro do Tribunal de Contas, Júlio Garcia. “Em duas ou três semanas deveremos ter novidade”, alertou.

Antecipação

A bancada do MDB na Assembleia Legislativa, vai atuar para que a executiva estadual aceite antecipar a escolha de quem será o candidato ao Governo do Estado. Os deputados querem evitar divisão em uma eventual disputa na convenção, além do entendimento que se antecipar, será mais fácil para discutir com os outros partidos a formação de aliança, já que o nome emedebista será conhecido.

De malas prontas

O deputado federal João Paulo Kleinubing (PSD), está de mudança para o Democratas. Conforme já havia adiantado ele presidirá os demistas em Santa Catarina. Além disso, Kleinubing aguarda a possibilidade de participar de uma chapa majoritária. Ele já teve algumas conversas com o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), e com Júlio Garcia, que está indeciso entre se filiar no PSD ou no DEM.

Kleinubing quer disputar a majoritária.
Foto: Marcelo Lula

Rossari assume

O suplente de vereador Alzumir Rossari (PCdoB), assumiu por 60 dias, uma vaga na Câmara de Chapecó. Cleiton Fossá (MDB) que é pré-candidato a deputado estadual, se licenciou alegando questões pessoais. Rossari que assumiu ontem, fez 1.473, e devolve mesmo que por um curto período, uma cadeira aos comunistas.

Rossari durante o juramento.
Foto : CMC

Parisotto

O deputado estadual Narcizo Parisotto (PSC), segue firme na sua proposta de disputar uma vaga ao Senado Federal. Para isso, tem feito contatos e viagens para viabilizar o seu projeto.

Parisotto vai à disputa ao Senado.
Foto: Marcelo Lula

Pré-candidato

O ex-secretário executivo da ADR de Quilombo, e atual vice-prefeito Jaksom Castelli (PSD), anunciou que é pré-candidato a deputado estadual. Um de seus principais argumentos é de que ter um deputado estadual, seria a redenção para o município e região, principalmente a partir da desativação da ADR. Para que o seu nome ganhe corpo, já tem alguns encontros marcados. “Tenho recebido muitos apelos da região Oeste. Vou percorrer alguns municípios até o dia 15”, afirmou.

Castelli quer disputar a sua primeira eleição estadual.
Foto: Vinícios Ranzan

Ligado a Colombo

Jaksom Castelli foi enfático ao dizer que seu guia político é o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), e a candidatura não sairá sem ter o aval e o apoio total dele. Também atribuiu a Colombo a prerrogativa de definir o caminho que o PSD escolherá ao compor nas eleições deste ano. “A maior liderança do PSD no estado chama-se Raimundo Colombo e, é a pessoa que vai dar as diretrizes para o partido”, afirmou.

Prisão de Lula

O Ministério Público Federal apresentou o parecer com as contrarrazões aos embargos de declaração, ajuizados pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no processo do tríplex do Guarujá no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. O documento recomenda a manutenção da pena de 12 anos e um mês, e pede que, assim que o recurso for julgado, a decisão seja remetida à Justiça Federal no Paraná para que Lula seja preso.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest