Governo quer incentivar o consumo de produtos catarinenses, os prejuízos da greve, o desgaste do PSDB-SC entre outros destaques

De acordo com fontes do Governo do Estado, a situação em relação as paralisações em estradas de Santa Catarina está controlada. Ainda ontem, o nível de risco chegou a escala laranja, baixando no início da noite para verde. As operações policiais seguirão e durante a próxima semana, novas prisões serão realizadas em decorrência das investigações que mapearam líderes e infiltrados.

Na pauta econômica, hoje o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), se reúne as 14h com os presidentes da Fecomércio, Bruno Breithaupt; Fiesc, Glauco Corte; FCDL-SC, Ivan Tauffer; da Faesc, José Zeferino Pedroso entre outras entidades. Pinho Moreira quer construir uma pauta em parceria com todos e, analisará os números que lhe serão apresentados de cada setor. Um governista adiantou que o Estado tentará colaborar para a recuperação da economia, mas não adiantou as ações, pelo fato do governador querer validar algumas propostas que fará às entidades.

Porém, o que é possível anunciar, é que uma grande campanha será realizada nos próximos dias, de incentivo à compra de produtos catarinenses. A ideia, é fazer com que o consumidor opte por marcas produzidas aqui no estado, como forma de ajudar na recuperação econômica das empresas que sofrem com os impactos da greve. “A ordem do governador foi expressa. A campanha tem que ser produzida com a maior agilidade”, informou a fonte, destacando que o secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira, está cuidando pessoalmente dos detalhes.

Outro ponto que é pacífico no Centro Administrativo, é sobre a impossibilidade de baixar o ICMS dos combustíveis. No núcleo do governo o entendimento é de que não há margem para a redução, pois, Santa Catarina já trabalha com uma alíquota muito reduzida, no caso, os demais Estados teriam que baixar os seus percentuais para alcançarem o ICMS catarinense. Porém, se houver uma compensação interessante, a questão poderá ser avaliada.

Cortes

Ficou definido que o Governo do Estado intensificará a redução de gastos, fazendo ajustes como cortes de funções gratificadas, inclusive, hoje a Secretaria de Estado da Educação anunciará novos cortes, prevendo uma economia de R$ 2 milhões ao mês. Além disso, os contratos com fornecedores seguem sendo revisados.

Impacto político

Segundo uma fonte governista já há uma preocupação no núcleo duro do governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), quanto aos impactos políticos para a sua gestão, e também para o partido, que é o mesmo do presidente Michel Temer (MDB). Uma liderança chegou a reclamar nos bastidores, da aproximação de Pinho Moreira em relação a Temer, o qual, de acordo com o emedebista, nunca deveria ter acontecido. Quanto a um possível descolamento, o que já é possível perceber nas críticas feitas pelo governador, à postura do Governo Federal em relação a greve dos caminhoneiros, a fonte informou que até o momento não há nada definido. “Imagino que agora com as coisas apaziguadas, vamos sentar e conversar sobre tudo isso”. A preocupação é que o período curto para campanha, que ainda será atrapalhado pela Copa do Mundo, deixará uma margem apertada para o afastamento de Temer, que mantém uma rejeição histórica.

Conversa entre caminhoneiros

Alguns áudios dos caminhoneiros que foram removidos pelo exército em Blumenau, vazaram. Não foi possível identificar, mas o setor de segurança já está de posse da conversa. É possível ouvir um caminhoneiro falando da abordagem do exército para acabar com a paralisação. Ouça:

Vão depor

A pedido da subprocuradora geral da República e coordenadora criminal do Ministério Público Federal, Luiza Cristina Frischeisen, está sendo aberta uma investigação contra grupos suspeitos de inflar a greve dos caminhoneiros por interesses políticos e econômicos. A informação está no site da CBN, e consta que empresários, políticos e militares da reserva buscam se promover a partir do movimento, defendendo até mesmo uma intervenção militar no país. O empresário catarinense Luciano Hang, dono de uma das maiores varejistas do país, a Havan, será chamado a depor, por ter autorizado o uso do estacionamento de uma de suas lojas como ponto de apoio e distribuiu comida para os manifestantes. O perfil da empresa no Facebook tem feito várias publicações em apoio à greve. Hang é defensor da intervenção militar, pauta que ganha cada vez mais força entre os grevistas, especialmente entre os caminhoneiros da região Sul. Além dele, Emílio Dalçoquio, que se afastou da direção da Transportadora Catarinense também será chamado, além de pessoas de outros estados. O grupo é investigado por incitar a quebra do regime democrático. A subprocuradora ressalta que há liberdade de expressão, mas que incitar a quebra da democracia é crime.

Impacto em Chapecó

Conversei ontem à noite com o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB), a respeito dos impactos que serão gerados pela greve dos caminhoneiros no município. Buligon se disse aliviado com a volta da normalidade, pois, faltaria gás e afetaria consideravelmente os serviços na Educação e na Saúde. O município se encontra em situação de emergência. Ele explicou que ainda não é possível mensurar os prejuízos, e que na sexta-feira da próxima semana o secretário da Fazenda Geralci Ampolini, deverá apresentar os primeiros números a ele. Mesmo assim, Buligon numa previsão mais otimista, entende que os impactos serão sentidos até outubro, porém, numa análise mais pessimista a normalização poderá acontecer somente em meados de dezembro. Uma das primeiras ações serão mais cortes de cargos comissionados, que poderão chegar a 60% do quadro. “Será de 20%, e 20%, até baixar o nosso custo”, disse Buligon. Se mesmo assim não adiantar, cortes em infraestrutura e, a redução de máquinas no interior e da equipe da coleta de lixo, poderão ser anunciadas.

Prejuízos

Na iniciativa privada de Chapecó, as perdas também estão sendo contabilizadas. Conversei com o empresário Gelson Dallacosta, que é um dos donos da Apti Alimentos, que me contou que serão R$ 2 milhões de prejuízo neste ano. Já na Assembleia Geral da Coopercentral Aurora, foi informado que a agroindústria poderá suspender investimentos em parceria com a Alfa, na ordem de R$ 290 milhões. A expectativa é que a Aurora leve cerca de dois meses para recuperar o ritmo normal de suas atividades. Já a boa notícia, é que as demissões estão descartadas.

Dallacosta contabiliza os prejuízos.

Proeza

Para o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB), a greve dos caminhoneiros conseguiu unis dois lados opostos. Tanto esquerdistas quanto pessoas da extrema-direita, se juntaram aos manifestantes.

Blumenau

O prefeito Mário Hildebrandt (PSB), me disse que Blumenau perderá até 2020 com a retirada da CIDE, cerca de R$ 1,5 milhão. Porém, o rombo será maior, pois, ainda serão calculados os prejuízos em relação ao ICMS e ISS. “A queda no ICMS do Estado está sendo de 35%. O impacto nos municípios será equivalente”, destacou. Hildebrandt também antecipou as negociações coletivas com os servidores municipais. Já avisou que não será possível repor a inflação em relação aos salários, prevendo que somente no próximo ano será possível atender a categoria, porém, mesmo sem conceder o reajuste, a folha impactará em R$ 21 milhões os cofres de Blumenau. O prefeito reclamou da queda da receita, sobretudo por causa da decisão do Supremo Tribunal Federal que alterou o ISS do cartão de crédito e também à operação de leasing. “Somente neste ano, teremos R$ 18 milhões a menos”, relatou Hildebrandt.

Desgaste

Sem sombra de dúvida, o PSDB catarinense sob o comando do deputado estadual Marcos Vieira, apresentou um crescimento considerável, tanto que lhe alçou à condição de impor uma candidatura própria ao Governo do Estado, quanto para ter força nos próximos pleitos municipais. Por outro lado, os impactos de denúncias e investigações contra os dois senadores tucanos, Paulo Bauer no caso Hypermarcas, e agora Dalírio Beber na Operação Registro Espúrio, tornam o ambiente do partido turbulento e cheio de incertezas. A pergunta que algumas lideranças tucanas se fazem, é quanto tudo isso poderá influenciar no eleitorado, sobretudo na campanha a governador caso Bauer mantenha a sua disposição para disputar.

Dalírio e Bauer podem se desgastar com investigações.

Disposição

Por hora, a ordem dentro do PSDB estadual é de manter o discurso, inclusive com total apoio público ao seu pré-candidato ao Governo do Estado, senador Paulo Bauer, e também ao senador Dalirio Beber. Será defendida a necessidade de esclarecimento e das investigações, porém, já há vozes tucanas contestando a situação e direcionando o projeto do partido a uma possível candidatura do ex-prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes, que atualmente é pré-candidato ao Senado. Bernardes tem dito por onde passa, que segue apoiando Bauer, porém, se for chamado para o desafio não pensará duas vezes.

Nome de Barnardes já é defendido por tucanos.

Pegou mal

O acidente envolvendo o ex-prefeito de Florianópolis, Cesar Souza Júnior (PSD), que estava acompanhado de uma ex-namorada e, que segundo o Boletim de Ocorrência, ambos estariam embriagados, não pegou bem na capital e demais regiões. É claro que uma coisa é a vida pessoal de Souza Júnior, e que cabe somente a ele e a sua família, mas, por outro lado, todo mundo sabe dos perigos da direção sob o efeito de álcool, e o quanto é arriscado não somente para quem conduz e está no veículo, mas para quem trafega nas ruas por onde passa o condutor alcoolizado. Em suma, se confirmada a embriaguez, foi um péssimo exemplo dado pelo pessedista que é pré-candidato a deputado federal. A ex-capa de revista, Janine Chávez Neves, que acompanhava o político, diz que ele estava ao volante, enquanto a defesa do ex-prefeito nega a afirmação.

Foto tirada na delegacia.

Congresso da Fecam

De 11 a 14 de junho a Federação Catarinense de Municípios (Fecam) promove o Congresso de Prefeitos, no Centrosul, em Florianópolis. É o maior encontro de gestores públicos de Santa Catarina com perspectiva de público superior a 1.500 lideranças. O evento neste ano está diferenciado e, entre as novidades, está a realização do I Seminário Estadual de Educação. O objetivo é debater e orientar as práticas na área da educação pública, tratando da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e do Plano Nacional para a educação básica. As inscrições são limitadas e gratuitas. Os interessados podem se inscrever pela Internet no endereço: www.congresso.fecam.org.br.

Observatório

Integrantes do Observatório Social de Chapecó estiveram em reunião com o secretário executivo da Agência de Desenvolvimento Regional, Sérgio Galli. Além de cumprimentar o novo secretário, os voluntários do OS foram apresentar as atividades desempenhadas na capital do Oeste. Na ocasião, Galli foi informado que a entidade tem como objetivo, contribuir para o controle social na aplicação dos recursos públicos e para a promoção de uma sociedade ética e cidadã, por meio de práticas transparentes e apartidárias. “Foi um momento de conversa em busca de sensibilização quanto a necessidade urgente de implantar nas instituições de ensino estaduais e municipais, disciplinas a serem ministradas, bem como a realização de campanhas abertas para a sociedade que tratem de temas como, educação fiscal, moral e civismo, além de cidadania e transparência”, informou o presidente Armelindo Carraro.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest