Governo deve fechar o ano com déficit de 1 bi, as movimentações dos candidatos, Aldo desiste de concorrer entre outros destaques

Conforme eu já havia divulgado, o Governo do Estado fechará o ano com uma dívida na casa de R$ 1 bilhão. Ontem o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) lembrou que ao assumir no lugar de Raimundo Colombo (PSD), recebeu o Estado com uma previsão de dívida na casa dos R$ 2 bilhões.

Segundo ele, R$ 800 milhões já foram reduzidos dessa conta, estando a dívida neste momento, em R$ 1,2 bilhão, com previsão para que alcance o valor de R$ 1 bilhão. “As contas deste ano nós vamos pagar. O problema é que não conseguiremos resolver a questão dos restos a pagar deixados pelo Raimundo (Colombo)”, relatou Pinho Moreira, que não confirma publicamente, mas segundo pessoas próximas teria se mostrado contrariado ao ter se deparado com notas nas gavetas, que nem empenhadas foram.

Mesmo assim, a prioridade do atual governador segue sendo a manutenção dos salários de servidores em dia e, a conta não é pequena. É R$ 1 bilhão por mês para custear o atividade meio que é a estrutura do Estado, dinheiro que falta lá na ponta na atividade fim que é o atendimento ao cidadão.

Além disso, ainda tem o décimo terceiro para ser custeado, o que segundo Pinho Moreira, a situação financeira fez com que a primeira parcela fosse dividida em duas partes, sendo que a primeira foi paga e a segunda, mesmo com o governador não confirmando, será depositada na primeira quinzena de setembro. “Nos questionam, mas o décimo terceiro geralmente é pago até dezembro. Qual empresa começou a adiantar o décimo?”, questionou o governador, após eu ter perguntado a respeito do fracionamento.

Por fim, com a caneta na mão, ao lado do secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, e fazendo projeções, Pinho Moreira entende que a exemplo de julho quando houve uma reação da arrecadação deixando o resultado, 12% maior em comparação ao mesmo mês do ano passado. Que é possível projetar uma pequena recuperação da economia catarinense. Enquanto isso, seguem os trabalhos até o próximo dia 21, quando será conhecida a arrecadação de agosto.

Projeção

Ontem durante a conversa, o governador Eduardo Pinho Moreira fez a seguinte projeção: “Se o Geraldo Alckmin (PSDB) ou o Jair Bolsonaro (PSL) vencer a eleição, o mercado reagirá positivamente e a economia poderá crescer. O Bolsonaro pela coragem, disse que privatizará tudo, discurso que alegra o setor empresarial, enquanto que o Alckmin é pelo preparo que tem”, afirmou Pinho Moreira.

Primeira pesquisa

Amanhã será publicada a primeira pesquisa após o início do período eleitoral em Santa Catarina. Contratado pelo grupo NSC, o Ibope está realizando os levantamentos que serão divulgados no Diário Catarinense, entre outros veículos do grupo. A princípio, os números serão ao Governo do Estado, Senado e Presidência da República.

Rodrigues em Chapecó

Quando desembarcar hoje por volta das 15h40, no aeroporto Serafin Enoss Bertaso em Chapecó, o deputado federal João Rodrigues (PSD) não somente volta à liberdade, mas também para a disputa eleitoral. Para quem devido ao desânimo chegou a marcar para a próxima quarta-feira, um anúncio de que desistiria de tentar disputar a eleição e, que priorizaria a sua defesa. Rodrigues vira o jogo através da ação de seus advogados, voltando totalmente ao cenário político. Vai ao evento de Gelson Merisio (PSD) amanhã em Chapecó, e neste final de semana entre o descanso ao lado da família, planejará o lançamento oficial de sua campanha que acontecerá no final da semana seguinte.

No Sul

Ontem a noite mais de 500 pessoas estiveram no Centro de Eventos Germano Rigo, em Criciúma, para o evento da coligação “Aqui é Trabalho”, que tem Gelson Merisio (PSD) como candidato a governador, e João Paulo Kleinubing (DEM) de vice. Lideranças como os candidatos à Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PSD), Ricardo Guidi (PSD), Valmir Comin (Progressistas), José Milton Scheffer (Progressistas) e o delegado Ulisses Gabriel (PSD) ajudaram a mobilizar a região.

Tomou a frente

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD), tomou a frente do evento e fez um discurso que passou pelos índices de Santa Catarina durante o seu governo, até chegar a questão política no geral. Ao mencionar os candidatos ao governo, Colombo destacou que a chapa com Gelson Merisio (PSD) para governador, João Paulo Kleinübing (DEM) para vice-governador, além dele próprio e Esperidião Amin (Progressistas) para o Senado, é um projeto de união. “É um projeto para caminharmos juntos, com solidariedade, para que a nossa chapa represente acima de tudo, força da soma, dos ideais, de fazer mais e melhor”, ressaltou. Até a próxima semana a caravana passará por Lages São José, Joinville, Videira, Canoinhas, Blumenau, e Chapecó amanhã a noite no Clube Industrial.

Força e unidade

A coligação “Santa Catarina Quer Mais”, reuniu os seus candidatos a deputado estadual e federal. Ao todo, são 107 postulantes à Assembleia Legislativa e outros 76 que buscam a Câmara Federal. Líder da chapa que congrega nove partidos, o candidato ao Governo do Estado, o emedebista Mauro Mariani, disse não ter dúvidas da capacidade dos colegas de eleger a maior bancada de deputados e as duas vagas em jogo para o Senado, disputadas por Jorginho Mello (PR) e Paulo Bauer (PSDB). “Faremos uma eleição consagradora. Vamos rodar todos os cantos desse estado para buscar esse objetivo”, discursou Mariani.

Grudou no MDB

Candidato ao Senado Federal, Jorginho Mello (PR) lamentou que Casildo Maldaner (MDB) não poderá acompanhar o roteiro de campanha da chapa majoritária durante as eleições. Em tratamento médico, Casildo confessou que os médicos recomendaram repouso, mas que vai gravar vídeos e disparar telefonemas para mobilizar as lideranças e eleitores do MDB, a votarem em Mello e Paulo Bauer (PSDB). O republicano que tem como a sua primeira suplente na chapa, Ivete Appel da Silveira, viúva do ex-governador LHS, grudou nos emedebistas para dar mais musculatura à sua candidatura.

Campanha petista

O candidato ao Governo do Estado pela Coligação “Renova SC”, o deputado Décio Lima (PT), cumpre agenda em Florianópolis no dia de hoje, elaborando o seu plano de governo na sede do PT, que será apresentado as 14h na Federação dos Trabalhadores no Comércio no Estado de Santa Catarina (Fecesc). Também estão previstas entrevistas, além da preparação para o debate do SBT que acontecerá amanhã. Lima que esteve ontem em Brasília ao lado de Fernando Haddad (foto), participando do ato de registro da candidatura do ex-presidente Lula, deverá vir ao Oeste amanhã. Ele dará a largada em sua campanha de rua em São Miguel do Oeste e em Guarujá do Sul. Também tem agenda em São Domingos, terra de seu vice, Alcimar de Oliveira, o Kiko, além de Chapecó e Xanxerê no sábado (18).

Campanha do PSOL

Hoje logo cedo, as 06h50 no Ticen em Florianópolis, o candidato ao Governo do Estado, Leonel Camasão (PSOL), acompanhado de sua vice, Carol Bellaguarda (PCB), darão início a campanha. Ao lado de filiados e simpatizantes, os candidatos farão o que chamaram de “panfletaço” no local.

Aldo declina

Conforme eu já havia antecipado, o presidente da Assembleia Legislativa, Aldo Schneider (MDB), declinou da candidatura à reeleição a deputado estadual. Em coletiva no Alto Vale, que contou com a presença do deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB), e da esposa de Aldo, Marita Otto Schneider, foi oficializada a decisão. Para o lugar de Schneider, foi escolhido para disputar o seu ex-chefe de gabinete, Jerry Comper.

Lula atrapalha o PT

No Partido dos Trabalhadores já há um grupo angustiado com a situação do ex-presidente Lula (PT), que teve registrada a sua candidatura à Presidência da República. A candidatura será indeferida, ou seja, a candidatura não será aceita. Críticas começam a surgir internamente no PT, por lideranças que entendem que a situação somente atrasa a campanha do partido, pois, Fernando Haddad (PT) não poderá ir às atividades eleitorais até uma solução. O fato é que Lula exagera na personificação sem entender que é o nome com o maior poderio de transferência de votos. Enquanto insiste numa candidatura que não prosperará, atrapalha o seu próprio partido

Reconhecimento

O ministro do Tribunal Superior do Trabalho, Alexandre Ramos, indicou o aposentado Walter Orthmann, que há 80 anos trabalhou na mesma empresa aqui no estado. “Ele ilustra como o trabalho é um instrumento para desenvolvimento das potencialidades humanas”, declarou o magistrado. Aos 96 anos de vida, Orthmann recebeu em Brasília a Comenda da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, e possui o certificado do Guinness World Records, o livro dos recordes, como o trabalhador com mais tempo de serviço na mesma empresa, tendo sido admitido em janeiro de 1938. Na foto, o ministro  a sua esposa, a diretora de comunicação da Assembleia Legislativa, Thamy Soligo e, o homenageado no centro.

Estranho

Ao mesmo tempo que o Grupo Celesc fecha o segundo trimestre com um lucro líquido de R$ 69,22 milhões, ao contrário do ano passado quando apresentou um resultado negativo, algo em torno de R$ 99 milhões, inclusive, com o presidente Cleverson Siewert, dizendo que entre as principais razões, estão o alto consumo de energia e a redução de custos operações da companhia. A conta de luz terá um reajuste médio de 13,86%, a partir do próximo dia 22. Para ter uma ideia, a alta supera em duas vezes a inflação oficial. Quem explica?

De olho

A informação divulgada ontem pelo colega Moacir Pereira do grupo NSC, de que o ouvidor Geral da Secretaria da Administração, Coronel Dejair Pinto, enviou uma mensagem aos servidores ocupantes de cargos comissionados solicitando contribuição de R$ 1 mil para a coligação “Santa Catarina quer mais”, visando apoiar a Mauro Mariani (MDB) e Napoleão Bernardes (PSDB), gerou constrangimento. O pedido de ajuda ainda facilita o pagamento, que poderá ser feito em duas parcelas de R$ 500,00. Há inclusive indicação de um aplicativo. Agora, a questão que deve ser apurada é se ele pode fazer isso em ambiente de trabalho, ainda mais num local público. Sem contar o constrangimento dos servidores que de fato, não desejem declarar.

Renovação

As eleições programadas para próximo dia 7 de outubro vão determinar uma renovação de pelo menos, 27,5% nas cadeiras da Assembleia Legislativa. Isso porque, 11 dos 40 deputados titulares não vão tentar a reeleição para mais um mandato no Parlamento estadual.

Na disputa

O coronel Paulo Henrique Hemm (PSB) tem visitado os setores da segurança pública, sobretudo a Polícia Militar. Levando a bandeira do fortalecimento da segurança, Hemm também tem sido constantemente convidado a participar de reuniões e, a partir de agora, deverá estar nos eventos da majoritária que o seu partido apoia, que é formada por Gelson Merisio (PSD) e João Paulo Kleinubing (DEM).

Preocupado

O senador Dalirio Beber (PSDB) manifestou preocupação em relação aos vetos presidenciais, ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2019, a LDO, divulgados pelo Ministério do Planejamento em entrevista coletiva. Beber que é o relator da LDO acredita que, principalmente, no que diz respeito às áreas sociais, o texto foi descaracterizado.

Energia

Santa Catarina está próxima de ter isenção de ICMS para a produção de energias consideradas limpas como a biomassa, solar, hídrica e eólica. Em audiência na Secretaria de Estado da Fazenda, o deputado Natalino Lázare (Podemos) recebeu a informação do secretário Paulo Eli, de que o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou a adesão do Estado ao convênio e, assim que passar o período eleitoral, o Executivo encaminhará um projeto de lei para aprovação na Assembleia Legislativa. A expectativa é de que a adesão do Estado incentive novos investimentos no setor, gerando mais empregos e desenvolvimento em diversas regiões.

ATENÇÃO!! As atividades eleitorais dos candidatos à majoritária, são divulgadas conforme são repassadas as informações pelas coligações.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest