Gilberto Agnolin é cotado para assumir a Educação estadual, governo poderá ter problema de caixa, dívida da Saúde é astronômica entre outros destaques

Pinho Moreira terá dificuldade de orçamento.
Foto: Marcelo Lula

Enquanto não assume o comando mesmo que interino do Governo do Estado, Eduardo Pinho Moreira (MDB) já faz os cálculos pensando no orçamento para o próximo ano. Mesmo recolhido para as festas de fim de ano com a família, ele sabe que não pode perder tempo, pois, assumirá o comando em fevereiro quando iniciarão as licenças do governador Raimundo Colombo (PSD).

Nessa semana que passou, a Assembleia Legislativa aprovou o projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA), para o próximo ano, que prevê a disponibilidade ao Estado de gastar R$ 26,42 bilhões, o que representa um crescimento de 2,5% do que foi orçado para este ano. Ainda há uma expectativa de que sejam arrecadados mais, através de impostos, algo em torno de 4,4%.

Segundo uma fonte, a situação financeira preocupa Pinho Moreira, sobretudo com o aumento obrigatório do percentual mínimo de investimento na Saúde, que passa dos 12% para 14%. Mais um motivo para dor de cabeça, são as dívidas correntes e os aumentos salariais. “Não cabe nem no orçamento, e nem na arrecadação do estado”, relatou uma liderança, alertando que será um ano difícil, até porque, tem que ser cumprida a lei de responsabilidade fiscal.

Outro ponto é que para qualquer investimento a partir de maio, será necessário que se tenha recurso em caixa, o que fará transparecer ainda mais o aperto. Porém, pelo menos os servidores podem ficar tranquilos, pois, em conversas a portas fechadas, teria sido dito que os salários serão pagos em dia, pois, sempre serão uma prioridade.

Orçamento impositivo

Ainda de acordo com a fonte governista, mesmo que tenham sido aprovadas as emendas dos deputados estaduais, ou, tecnicamente, o Orçamento Impositivo. Será muito difícil a liberação dos valores para que os parlamentares os destinem aos municípios. Ao todo, foi reservado do orçamento do próximo ano cerca de R$ 200 milhões. Resta saber como em pleno ano eleitoral, o governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB) e Raimundo Colombo (PSD), lidará com um assunto tão delicado.

Dívida

Uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado, apurou que a dívida do setor da Saúde do Governo, é de R$ 1,08 bilhão. O passivo é com hospitais que chega a R$ 107 milhões, além de fornecedores, municípios, associações e federações hospitalares. Ainda de acordo com os dados do TCE, apenas R$ 591,53 milhões estão contabilizados, enquanto que R$ 492,42 milhões não teriam sido registrados. Agora, é preocupante a constatação de que na secretaria falta o conhecimento preciso dos valores relativos as despesas, o não conhecimento da realidade da execução orçamentária e, o reforço de empenho como regra de execução do orçamento.

Estado babá

Quem ainda não se conforma com o aumento autorizado pela Assembleia Legislativa aos delegados, é o deputado estadual Altair Silva (Progressistas). Ele me disse que está preocupado com o que chamou de transformação de Santa Catarina em um “Estado Babá”, o qual, segundo Silva, tem privilegiado as categorias que mais ganham. Vale lembrar que o deputado foi o único a votar contra o aumento nos vencimentos dos delegados. Além disso, Altair segue criticando as Agências Regionais, as quais, ele atribui a tarefa de abrigar quem perde as eleições municipais, além de preparar cabos eleitorais e pré-candidatos.

Mais nomes

O MDB de Chapecó se reúne neste sábado (23), para discutir os nomes que serão indicados a ocupar espaços no governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB). Um acordo entre as executivas municipal e estadual, estabelece que as definições passarão pela capital do Oeste, portanto, nomes de outros municípios da região somente se forem aprovados. Quem tem grandes chances de assumir a Secretaria de Estado da Educação, é Gilberto Agnolin, que disputou a eleição municipal de 2016 como vice de Cesar Valduga (PCdoB). De acordo com uma fonte, o próprio Pinho Moreira quando esteve em Chapecó, no 15 em Movimento, disse que o levaria para a pasta, devido a capacitação de Agnolin.

Agnolin poderá assumir a Educação.

ADR de Chapecó

As lideranças do MDB de Chapecó também não abrem mão de indicar o nome do secretário executivo da ADR. Aparecem como os nomes preferenciais para o lugar que hoje é ocupado por Astrit Tozzo, que por ser do PSD deixará o cargo no desembarque de seu partido, o juiz aposentado Írio Grolli, que já comandou a pasta quando ainda era SDR, e o empresário Leandro Sorgatto. Para o comando da Celesc na região, deverá ser indicado Clobis Cassaro, que é funcionário de carreira da estatal há muitos anos. A ideia dos emedebistas é de escolher pessoas capacitadas, técnica e politicamente.

Írio Grolli volta a ser lembrado.

Schneider animado

Considerado curado de um câncer na região da coluna, o deputado estadual Aldo Schneider (MDB), esteve na Assembleia Legislativa nessa semana passada. Ontem ele fez um roteiro pela região de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí e neste sábado (23) em outros municípios do litoral. Mesmo aconselhado por assessores a descansar, ele prefere enfrentar as agendas, enquanto recupera as forças após ter concluído o tratamento. No dia 02 de fevereiro, Schneider deverá assumir a presidência da Alesc, devido a um acordo com o atual presidente, Silvio Dreveck (Progressistas), que passará a ser o vice. “O acordo será honrado”, disse Dreveck em rápida conversa que tivemos nessa semana.

Notáveis

O pré-candidato ao Governo do Estado Gelson Merisio (PSD), tem uma equipe com profissionais de destaque, trabalhando para desenvolver projetos que servirão de proposta para o período eleitoral. Entre os quais, o ex-prefeito de Curitiba, Cássio Taniguchi, um dos principais expoentes na área de mobilidade urbana. Na semana que passou, Merisio se reuniu com o professor Antenor Naspolini, ex-diretor da Esag/Udesc, para discutir o setor da educação. Naspolini foi o responsável por ter implantado o sistema educacional no governo de Tasso Jereissati no Ceará.

Naspolini tem um extenso currículo.

Sabatina

Já foi agendada para fevereiro, a sabatina no Senado com o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho de Santa Catarina, Alexandre Ramos. Ele já foi o indicado pelo presidente Michel Temer (MDB) para o cargo de ministro do Tribunal Superior do Trabalho. A nomeação de Ramos é considerada como já encaminhada.

Feliz Natal

Caros amigos, desejo que todos tenham um feliz e abençoado Natal. Que o verdadeiro sentido desta data tão importante, toque o coração de todos nós. Aproveito para agradecer o presente que vocês, caros amigos leitores me dão diariamente, que é acompanhar o meu trabalho. Saibam que a gratidão é enorme pela audiência na rádio Super Condá AM 610 as 13h15, e por lerem o jornal Sul Brasil e o site www.scempauta.com.br que é destinado a política. Feliz Natal !!

Destaque

“Quem defende o presidente Lula tem uma grande expectativa a respeito do desembargador do TRF-4, Victor Laus. Eles entendem que ele poderá pedir a absolvição do petista no caso do tríplex do Guarujá, ou até mesmo, pedir vistas, situação que adiará o julgamento”.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest