“Eu não admito pecha de traição”, diz Amin; a conversa entre Merisio e Bauer; Carmen Zanotto dirá sim ao convite de Mariani entre outros destaques

O candidato ao Governo do Estado, deputado Esperidião Amin (Progressistas), tem passado os últimos dias mais recolhido a conversas fechadas. Segundo uma liderança próxima, parece mais reflexivo, mas sem perder o habitual bom humor. Ontem em uma conversa que durou cerca de 14 minutos, o questionei com quem tem conversado e, como andam as tratativas com os outros partidos. Em resposta, Amin disse que nenhuma conversa será narrada por ele antes das 17h de domingo, quando a executiva homologar a ata, ou seja, os progressistas vão esperar até o último prazo para tentar construir uma aliança que dê mais força ao seu projeto. Mesmo assim, ele me disse ao menos, por três vezes, que as coligações a que busca, são prósperas.

Também perguntei sobre as falas de que ele poderá declinar de sua candidatura a governador e, a resposta foi através de um pedido. “Não imponha à minha candidatura, mais dúvidas que você tem em relação as outras. Eu sou candidato a governador e nós vamos ganhar a eleição. O sentimento de mudança é o que nos move”, declarou.

Amin somente mudou o tom, ao ser questionado a respeito de seu sentimento quanto as críticas que tem recebido, até mesmo, dentro de seu partido, por não ter seguido com o PSD. “A única coisa que eu repilo, são as versões que dão a ideia de que houve traição a alguém. De minha parte, nenhuma. O nosso parceiro Gelson Merisio e eu, Esperidião Amin, sempre declaramos que na reta final deveria haver um entendimento entre nós. Eu sempre admiti que poderia apoiá-lo e vice e versa. Me surpreendi quando o Merisio disse na frente do João Paulo Kleinubing (DEM), que não poderia desmanchar os acordos com os outros partidos, que seriam inviabilizados se fosse vice. Que entendimento é esse que só pode pender para um resultado?”, questionou.

Amin foi além, ao dizer que se for necessário, dará mais detalhes do que foi dito durante as conversas com Merisio e, que o fará caso haja reincidência em lhe atribuir o ato de falsidade. “Eu não admito pecha de traição, porque eu cumpri o acordo para buscar o entendimento. O Merisio declarou em 26 de julho que não poderia ser vice, porque perderia o apoio de outros partidos que compuseram a coligação após 21 de agosto, firmando o acordo. Não estou acusando que tenha havido traição, porque o entendimento racional é estar bem localizado na eleição. Que traição é essa eu estar em primeiro lugar e ter que desistir? Quem está em primeiro e desiste, é que pode ser questionado pelo povo”, disse o progressista.

Encerrando a conversa citando “As Ordenações Manuelinas”, que são três diferentes sistemas de preceitos jurídicos que compilaram a totalidade da legislação portuguesa, Amin falou: “Trair é a aleivosia sob mostrança de amizade”, e encerrou a conversa. “Por hoje é só Marcelo Lula”, afirmou antes de desligar.

Preocupados

Ponticelli ligou para Marcos Vieira.

Alguns nomes progressistas começaram a tentar fazer contato com outros partidos, para tentar reforçar a aliança entre o Progressistas e o Democratas. O prefeito de Tubarão é uma dessas lideranças, que ontem ligou para o presidente tucano, deputado Marcos Vieira. Ponticelli quer construir uma aproximação com o PSDB, ao mesmo tempo em que sonha com a retomada das conversas com o PSD. Segundo uma fonte, outro que tem tentado alguns contatos é o secretário geral dos progressistas, Aldo Rosa. Ambos se mostraram preocupados com a possibilidade de isolamento e, do crescimento de desistências de candidatos à proporcional.

Conversas

Ontem as conversas começaram com toda a força. Tiveram início com um encontro no gabinete de Gelson Merisio, na Assembleia Legislativa, que recebeu o ex-secretário de Estado da Fazenda Antonio Gavazzoni, o presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira e o senador Dalírio Beber (PSDB). Mais detalhes não foram revelados, porém, ficou agendado para o fim do dia um novo encontro, só que seria restrito a Merisio e ao senador Paulo Bauer (PSDB), dois candidatos a governador.

O encontro

Merisio e Bauer começaram a conversar.

A tarde Gelson Merisio (PSD) foi ao encontro de Paulo Bauer (PSDB). Conversaram sobre o cenário e, sobre as possibilidades dos partidos estarem juntos na eleição. Segundo o entendimento de ambos, não havendo um acordo, tanto o PSDB quanto o PSD sofrem o sério risco de ficarem de fora do segundo turno. Merisio e Bauer também analisaram os cenários na majoritária, e deixaram as portas abertas. A única exigência do tucano, é que todas as conversas sejam na presença de Napoleão Bernardes (PSDB). Até amanhã as lideranças ajustarão uma nova data, que terá uma mesa mais ampliada com a presença de mais lideranças, de ambos os partidos.

Sem inversão

Os tucanos tem afirmado que tanto Napoleão Bernardes quanto Paulo Bauer, estão seguros de que estarão na majoritária. Sobre o questionamento se é possível inverter a chapa do PSDB, tendo Napoleão como candidato ao Governo do Estado e, Bauer ao Senado, o entendimento é que após a convenção de sábado (4), qualquer outra possibilidade se tornou praticamente impossível.

Preocupação

O candidato ao Governo do Estado, Gelson Merisio (PSD), ao mesmo tempo em que está animado para buscar uma parceria com o PSDB, por outro, também se preocupa com os rumos de dois partidos que estão na aliança que construiu. Acontece que um eventual casamento com os tucanos, poderá provocar a saída do PDT e do PCdoB do acordo. Muito embora, o que pode manter os trabalhistas é a amizade de Merisio com Ciro Gomes e, a possibilidade real de atingir ao maior objetivo pedetista, que é eleger Manoel Dias à Câmara dos Deputados.

Dias é a prioridade do PDT

Emedebista ao Senado

Até esta sexta-feira (03) um dia antes de sua convenção, o MDB deverá realizar uma reunião de sua executiva para definir as vagas ao Senado. Conforme já divulguei é difícil, mas não impossível ao partido, ter um único candidato a senador, ainda mais na situação sonhada pelo deputado federal Jorginho Mello (PR), que deseja ser o único nome à Câmara Alta. Lideranças emedebistas não aceitam ficar sem candidato a senador, a menos, que o partido abra mão da vaga para buscar mais um parceiro ao seu projeto. Mesmo assim, tem setores do partido que já defendem o apoio a Mello como candidato único. Até sexta deve ser anunciada uma definição.

Jorginho quer ser o único candidato apoiado pelos emedebistas ao Senado.

Preocupação

Conforme divulguei há algumas semanas, boa parte da cúpula emedebista teme pela exposição que poderá ser gerada ao partido, caso o ex-governador Paulo Afonso Vieira apareça como candidato ao Senado. A lembrança das “letras dos precatórios” já começam a ser lembradas pelos adversários do MDB. Essa situação reforça a possibilidade do deputado federal Valdir Colatto, se tornar o nome do partido na disputa ao Senado.

Efeitos…

Caso Valdir Colatto (MDB) seja homologado como candidato ao Senado neste sábado (4), um outro nome do Oeste poderá aparecer como candidato a deputado federal. Lideranças do partido sugeriram o nome do vereador de Chapecó, Cleiton Fossá (MDB), para ocupar a vaga que Colatto deixará em aberto. Já teve deputado estadual pensando até mesmo, em uma dobradinha com Fossá.

Fossá pode disputar a federal.

Chiodini

Chiodini tem rodado o estado em busca de apoio.

O ex-secretário de Desenvolvimento Econômico e Sustentável, deputado estadual, Carlos Chiodini (MDB), segue cumprindo uma extensa agenda por todo o estado. Pré-candidato a deputado federal, Chiodini será um dos nomes homologados neste próximo sábado para a disputa. Nesta semana ele esteve no Oeste, onde cumpriu agenda em vários municípios.

O sim de Zanotto

Carmen será a vice de Mariani

Entre hoje e amanhã a deputada federal Carmen Zanotto (PPS), dará o sim, ao convite do MDB para a disputa ao Governo do Estado, no cargo de vice de Mauro Mariani (MDB). Um dos principais articuladores foi o senador Dário Berger (MDB).

Fake News

Ontem o pré-candidato a governador, deputado Mauro Mariani (MDB), e o pré-candidato a deputado estadual, Júlio Garcia (PSD), desmentiram os boatos de que estariam negociando a formação de uma tríplice aliança. O mais lamentável é o compartilhamento de “fake news”, sem o mínimo cuidado, o que é um desserviço à população. Ao site da colega Karina Manarin de Criciúma, Mariani disse: “Não sei de onde surgiu essa informação. A pré-candidata a vice na chapa continua sendo a deputada federal Carmem Zanotto, do PPS e estou muito feliz com a minha chapa”, declarou Mariani, desmentindo a absurda informação.

Nome tucano

O PSDB de Chapecó terá no empresário, João Patussi, o seu candidato a deputado estadual. A definição aconteceu em uma reunião na manhã de ontem.

Ferrovias

A Assembleia Legislativa realiza hoje, às 19h, audiência pública para debater a situação das ferrovias e dos projetos de expansão da malha ferroviária no estado. A ação é uma iniciativa do deputado Dirceu Dresch (PT), coordenador da Frente Parlamentar Catarinense das Ferrovias, atendendo à solicitação da Associação Nacional do Transportador e dos Usuários de Estradas, Rodovias e Ferrovias e entidades do setor.

Indígena candidato

A REDE Sustentabilidade está lançando em Santa Catarina a candidatura do líder indígena Leopardo Sales a deputado federal. Ele é originário da etnia Huni Kuin, chamada de Kaxinawá na documentação da Funai. Nasceu numa reserva às margens do rio Jordão, no sudoeste do Acre próximo à fronteira com o Peru, e descende de defensores históricos dos direitos dos povos indígenas: seu pai e avô lutaram com Chico Mendes pelo fim da exploração nos seringais, onde milhares de índios eram escravizados e torturados.

Solidários

Eu não poderia deixar passar em branco os telefonemas, mensagens via WhatsApp e contatos pessoalmente, de colegas, representantes das classes empresariais, política e o público em geral, a respeito da nota agressiva enviada pelo ex-governador Raimundo Colombo (PSD) a este jornalista. Como não consultei os autores dos atos de solidariedade, não citarei nomes, mas quem fez o gesto sabe que tem a minha mais sincera gratidão.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest