ESTÁ CHEGANDO A HORA DO ELEITOR

Inicia hoje a semana da burocracia eleitoral. Ainda não chegou a vez do eleitor. Isso fica para quinta-feira, dia 16, que é quando os registros tiverem sido feitos no Tribunal Regional Eleitoral. Só então, de mão da homologação as candidaturas comecem a campanha. As majoritárias devem registrar entre hoje e quarta-feira os seus planos de governo, peças interpretadas pelos eleitores como de ficção. Até o momento apenas o PSOL e o PSL registraram suas candidaturas. As dúvidas sobe a lista de candidatos, entretanto, podem permanecer até 30 dias antes da eleição, que é até quando os partidos podem preencher as chamadas “vagas remanescentes”.

ESTÃO FORA
Dos 16 deputados federais, sete – ou oito – não voltarão à Câmara Federal com certeza. A dúvida é sobre João Rodrigues (PSD), que está preso e tende ser considerado inelegível. Outros sete têm caminhos diferentes. Décio Limas (PT) e Mauro Marini (MDB) são candidatos a governador; João Paulo Kleinubing (DEM) é candidato a vice-governador; Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) são candidatos ao Senado; César Souza (DEM) e Jorge Boeira não concorrerão mais.

PROMESSA ANTIGA
O Hospital Materno Infantil Santa Catarina em Criciúma existe no nome e no projeto desde o fim da década de 1990, quando o governo era do MDB e o Secretário Municipal de Saúde, Acélio Casagrande. De lá para cá houve avanços apenas na construção da UTI Neo-Natal, graças a um passo dado pelo prefeito interino da época, Sérgio Pacheco, que provocou o Ministério Público que obteve êxito quando Anderlei Antonelli assumiu a prefeitura.

ESPERANÇA
Mais de vinte anos após ser idealizado como Hospital “de fato” o Materno Infantil Santa Catarina pode se tornar realidade até o fim do ano. É o que está encaminhado pelo agora Secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande e o prefeito Clésio Salvaro. Os primeiros procedimentos burocráticos foram publicados no Diário oficial do município semana passada. Até setembro seria tudo com a prefeitura, e de outubro a dezembro ações divididas. Em janeiro de 2019 tudo com o Estado e o hospital funcionando.

PREÇO DO 15
Um dos preços que o prefeito Clésio Salvaro paga para ter inaugurado um hospital em sua gestão é colar o “15” no peito. Ele sempre foi adversário político, e em certas ocasiões jurídico, do MDB. Na convenção do seu partido foi voto vencido e o PSDB coligou com o MDB. Do limão parece que lhe resta a limonada.

SIMPLES ANOTAÇÃO
Junto com Glauco Corte – que deixou a presidência da FIESC na última sexta-feira – foi boa parte da esperança do setor empresarial do Sul. Se antes o Sul já estava em desvantagem, agora tende sofrer mais, apesar de estar bem representada, mas em cargos menos importantes. Se a região não se impuser na representação política empresarial seguirá coadjuvante como na política partidária.

OPERAÇÕES POLÍTICAS
A arte da política revela faces inacreditáveis para o cidadão comum. Uma delas é a construção que vem sendo feita nos bastidores, desde já. Não sabemos ainda quem serão os 40 deputados estaduais eleitos, mas a cadeira de presidente da Assembleia Legislativa já está sendo “mapeada”. Leitura “das internas” indica que Marcos Vieira, aquele que dizia que o PSDB tinha projeto e sabia onde queira chegar, estaria mapeado com apoio do MDB para ser o presidente. Só o tempo dirá se isso é fato ou fake. O fato é que Vieira é um dos mais hábeis construtores da política catarinense. Hoje, óbvio, o fato precisa ser interpretado com reservas pelo leitor, mas é uma informação forte dos bastidores. A leitura óbvia é que se o PSDB tivesse tido candidatura própria Vieira dificilmente chegaria à presidência da Assembleia. Assim, PSDB vice do MDB tinha como alvo mais do que as vagas de vice-governador e senador.
________________
EM TESE Leonel Pavan (PSDB) vai assumir a Secretaria de Turismo de Santa Catarina nos próximos dias. É mais um tucano contemplado pelo plano 60 (soma de 45 + 15). Assim, a rigor, só um tucano ficou na frigideira do óleo 60: Clésio Salvaro, de Criciúma, que sabidamente defendia chapa pura ou aliança com o PP.

REAÇÃO Não só presenciei como senti “na pele” o fato que testemunha que Paulo Bauer “entrou no pacote” numa costura para o PSDB ficar com o MDB. Ele parecia incomodado com o risco, quando logo após a convenção respondeu agressivamente quando lhe perguntei se o que acabara de dizer: “que a cabeça de chapa do PSDB era inegociável”, deveria ser interpretado como ponto mais importante da sua fala.

REVIDOU A pergunta naquele momento respondida com tom de agressão pelo senador que acabava de ser homologado candidato a governador era na verdade a melhor sentença que consegui fazer até agora sobre a eleição. Incomodou porque ele sabia de planos outros dentro do partido.

POLENTADA Os desdobramentos da eleição estadual em Nova Veneza (Sul do Estado) devem ser os mais intensos possíveis. Tanto no PSDB como no PP o processo estadual pode ter provocado uma oxigenação. Não será surpresa se a eleição de 2020 no município tenha como candidatos jovens como Ângela Panatto Ghislandi (PP) concorrendo com Aroldo Frigo Júnior (PSDB).

NA COZINHA Ângela Ghisandi vem sendo “cozinhada em banho-maria” por líderes do PP e a chance da visibilidade pode ter chegado com uma candidatura a deputada federal. Já Aroldo Frigo Júnior foi “fritado” pelo PSDB.

DIA 15 Assim como o ex-presidente Lula, o deputado federal João Rodrigues (PSD) tentará inscrever seu nome como candidato nas eleições. Ambos seguem presos, com a diferença de que o parlamentar apenas dorme na cadeia.

A MÁQUINA Uma das dificuldades que o candidato Mauro Mariani (MDB) terá vai ser explicar como cumprir a promessa de reduzir o número e funcionários se desde que o seu partido assumiu o governo aumentou de 92 mil servidores ativos em maro para 95 mil em julho.
___________
FRASE DO DIA
“Estamos coligados com Deus e com a voz do povo, nas ruas.”
Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL de Jair Bolsonaro, explicando porque o partido rejeitou coligações com alguns partidos.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest