A eleição “se ajeita” para ter PMDB, PSDB, PSD, PT e os “nanicos”

Eleição de três grandes
Os novos ajustes do jogo eleitoral 2018 começam a mostrar que o PMDB finalmente decidiu encarar que precisa decidir quem é o seu candidato para só então viabilizar conversas com futuros aliados. Se o PSD já decidiu que seu candidato é Gelson Merísio, e não deixou mais espaço para o PP criar uma candidatura, agora é a vez do PSDB e o DEM decidirem. A tendência é que farão isso junto. Lê-se por esta interpretação que serão mesmo três consideradas grandes candidaturas, mais a do PT e a dos chamados “nanicos”. Isso garante eleição de segundo turno em Santa Catarina.

Com o PSD não
O PSDB não estará com o PSD por traumas recentes. Quando ganharam a eleição na tríplice aliança, os tucanos consideram que foram sendo espremidos para fora aos poucos. Isso sem contar a aproximação de Raimundo Colombo com Dilma Roussef. Por fim, recentemente Colombo convidou tucanos para entrar no governo e a promessa era de caneta cheia, o que não aconteceu. Por isso tucanos não estarão com o PSD.

Nem com Amin
Existe uma corrente tucana que alimenta a tese da recomposição ao menos parcial de siglas da mesma origem “genética”. Esta é outra possibilidade impraticável. Difícil acreditar que o PSDB aceite indicar o vice de Esperidião Amin, se o ex-governador não consegue nem aglutinar o seu partido para ser candidato a governador.

Sangria
O desgaste do MDB pode ser comparado ao do progressista Esperidião Amin. Apesar de figurarem bem nas pesquisas iniciais, o teto é baixo e a rejeição é grande. O MDB pelos 16 anos de governo, o PP pelo desgaste acumulado antes por Amin, cujo nome se confunde à sigla.

Vale muito
Apesar de aparentemente valer pouco, pela construção recente na política catarinense, há um verdadeiro coringa solto no jogo. Falo do DEM. O partido sem grande expressão na política catarinense atual tem um respeitável fundo partidário, grande espaço de rádio e televisão e recentemente reforçou o elenco com uma espécie de “camisa 10”, o deputado Joâo Paulo Kleinubing.

Só reunião
Não houve novidade na reunião da cúpula do PMDB, ontem. Decidiu-se que por mais uma semana Eduardo Moreira e Mauro Mariani vão continuar buscando o entendimento. Se não tiver acordo até segunda-feira o partido fará prévias. É o que parece mais provável.

No PMDB
O governador Eduardo Moreira tem sinalizado às bases que será candidato e que tem consciência de que necessitará disputar a indicação no voto. Ele sugere que os líderes devem ir se preocupando com os convencionais. No PMDB esta será a primeira convenção sem o dedo de Luiz Henrique da Silveira. O raciocínio lógico é que Moreira não perde esta disputa. A dúvida é, se ao insistir na prévia e perder, Mauro Mariani não perde uma segunda opção que seria a vaga para o Senado.

Alemão indignado


O prefeito Helio Cesa Alemao, de Siderópolis, presidente da Associação dos Municípios da Região Carbonífera reclamou em discurso na abertura do Encontro Estadual dos Prefeitos, ontem. O grito foi porque a Caixa Econômico passou a cobrar comissão de até 10 por cento sobre o repasse de emendas parlamentares. Assim, um deputado repassa R$ 1 milhão à prefeitura e a Caixa cobra R$ 80 mil ou R$ 100 mil pela operação.

Da Papuda ao Congresso
Quinze quilos mais magro, o deputado federal catarinense João Rodrigues (PSD) saiu no primeiro minuto que foi autorizada a passar o dia fora da cadeia, ontem. Dirigiu-se imediatamente ao seu gabinete na Câmara dos Deputados, onde passou o dia até retornar à cadeia no início da noite. Chegou à Câmara dos Deputados cumprimentando um a um dos funcionários que encontrou pelo caminho até o seu gabinete. No final da tarde de ontem concedeu entrevista coletiva reafirmando a tese da inocência que defende desde que foi preso. Pelas primeiras palavras parece disposto a sustentar a candidatura da sua esposa, que agora está no DEM, candidata a deputada federal.

NOVO LÍDER

O vice-presidente de Criciúma, Ricardo Fabris, foi escolhido ontem presidente do Diretório Municipal do PSD. A vice-presidência ficou com o suplente de vereador Juarez de Jesus. A indicação é resultado da liderança do pré-candidato a deputado estadual Júlio Garcia.

FORQUILHINHA

O vereador Célio Elias (PT), assumiu ontem a presidência da Câmara de Vereadores de Forquilhinha por 15 dias. É a segunda vez que assume a presidência. No início da legislatura Célio era apenas suplente, mas o dono da vaga, Gerry Elias, trocou de partido, indo do PT para o PDT e perdeu a vaga.

HÁ VAGA

O PT da região carbonífera segue sem candidato a deputado estadual. As lideranças centram forças para convencer Décio Góes a aceitar o desafio. Ele está com as contas do último ano de gestão de prefeito no Balneário Rincão reprovadas, mesmo assim pretendem inscrevê-lo.

SAÍRAM

O PT tinha dois líderes sindicais pré-candidatos a deputado estadual, mas ambos desistiram: Bárbara Teixeira, do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Carlo De Cordes, do Sindicato dos Químicos e Plásticos. Diz-se que a desistência nada tem a ver com a crise que afetou os sindicato com a reforma sindical.

FRASE DO DIA
“Nós do PP não podemos perder esta oportunidade de estar ao lado do Gelson Merísio e estamos atentos a este momento. Esse é o caminho para o nosso partido voltar a ser governo.”
Deputado estadual Sílvio Dreveck, no seu discurso durante o lançamento da pré-candidatura do colega Gelson Merísio, sábado em Chapecó.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest