DEM aceita compor de vice, MDB vai às prévias, governador confirma a estimativa de déficit entre outros destaques

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) me confirmou que, de fato, há um déficit bilionário previsto para este ano nas contas do Governo do Estado. A informação que divulguei em primeira mão na quinta-feira, é de que fora colocado a mesa do governador um relatório, apontando o valor de R$ 1,400 bilhão de déficit.

Pinho Moreira só fez uma correção, dizendo que o total previsto é de R$ 1,490 bilhão e, ressaltou que só não é maior, porque através de sua gestão conseguiu que baixasse o valor em mais de R$ 500 milhões. Além disso, ele destacou que muita coisa não foi renovada, a exemplo de convênios entre outros gastos, sendo que um exemplo é o Fundo Social, que em fevereiro deste ano tinha um comprometimento de R$ 104 milhões.

Ainda neste mês, Pinho Moreira anuncia que pagará US$ 62 milhões, e teme que a cada percentual que o dólar tiver de aumento, que onere ainda mais o Estado. “Isso significaria mais US$ 2 ou US$ 3 milhões”, afirmou. Outra dívida que também promete impactar com força as contas do governo, é a do Pacto por Santa Catarina, feita junto ao BNDES e o Banco do Brasil. Já foram pagos os juros e o Estado começará a pagar no próximo mês, a amortização, num total de R$ 90 milhões.

Quanto a ideia de buscar um financiamento junto ao Banco Mundial, o governador informou que essa é uma medida de longo prazo, dando a entender que poderá não acontecer ainda durante o seu mandato. Mas informou que seguirá reduzindo a máquina, o que considera uma obrigação para diminuir a exaustão dos órgãos públicos.

Em relação as dificuldades ocasionadas nas contas do Estado, Pinho Moreira fez questão de afirmar que não é de responsabilidade do ex-governador Raimundo Colombo (PSD). Entende que o crescimento da economia brasileira há alguns anos, tornou os Estados benevolentes, concedendo concessões que hoje estão impactando nos caixas. Uma das medidas que devem ser tomadas até o fim do ano, é o pedido ao Tribunal de Contas para que flexibilize a lei, de forma a não punir caso não consiga fechar as contas, devido a situação financeira que foi ainda mais impactada na greve dos caminhoneiros.

Respondeu

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) também respondeu as críticas feitas pelos deputados estaduais Jean Kuhlmann e Milton Hobus, ambos do PSD, as quais relatei na coluna de quinta-feira passada. Segundo ele, até três meses atrás tudo era bom, mas agora é só críticas. Quanto ao que falou Kuhlmann, sobre a diferença de recursos entre Florianópolis e Blumenau, Pinho Moreira disse que a exceção é o acesso ao aeroporto Hercílio Luz, sendo que as demais foram realizadas pelo ex-governador Raimundo Colombo (PSD). “É do partido dele. O que foi feito até fevereiro pelo Raimundo é de responsabilidade deles”, afirmou. Já quanto ao que disse Hobus, a respeito da ligação de Presidente Getúlio a Rio do Sul, Pinho Moreira destacou que há uma dívida de R$ 7 milhões, afirmando categoricamente que não foi ele quem não pagou. “Quem não pagou foi o governo anterior, não eu”, afirmou.

Foi além…

Eduardo Pinho Moreira (MDB) foi além em resposta aos deputados Jean Kuhlmann e Milton Hobus do PSD. Acusou os pessedistas de terem deixado R$ 400 milhões de restos a pagar neste ano. “Já paguei quase R$ 200 milhões, a metade, e estou pagando os 13% da Saúde do ano passado. Já pagamos R$ 90 milhões”, informou.

Kennedy cobrou

O deputado estadual Kennedy Nunes (PSD), foi o parlamentar que fez a crítica mais contundente a contratação de mais 30 servidores, através de um aditivo com a empresa que terceiriza pessoas para trabalhar na Assembleia Legislativa. Ao ler a informação que divulguei na minha coluna, ele levou para a reunião da mesa diretora, leu a informação e questionou o presidente Aldo Schneider (MDB). Kennedy não concordou com o aditivo e nem com o fato de apenas saber da situação via o SCemPauta. A repercussão de toda a divulgação da imprensa catarinense, levou a presidência a desistir do aumento.

Mais gastos na Alesc?

Após a polêmica envolvendo o aditivo para o aumento de 30 servidores terceirizados na Assembleia Legislativa, agora aparece mais um possível gasto. Pregão aberto pelo setor de Comunicação do parlamento, visa contratar uma empresa especializada para a produção de programas de televisão do legislativo, incluindo a pesquisa dos temas, elaboração de pautas, matérias jornalísticas, roteiros, gravações externas e em estúdios e edição de programas. As empresas devem comprovar experiência em produção televisiva e de emissoras de televisão. O valor segundo o edital poderá chegar a casa dos R$ 3.763.746,96. Mas se a Alesc tem um setor de comunicação com profissionais contratados, para que terceirizar o serviço?

MDB vai às prévias

Os caciques do MDB estadual se reúnem hoje na sede do partido em Florianópolis. O encontro que iniciará por volta das 10h, será decisivo para os encaminhamentos com vistas à eleição. Mas adianto que o partido será levado a uma prévia, para definir entre o governador Eduardo Pinho Moreira e o deputado federal Mauro Mariani, quem será o candidato ao Governo do Estado. Nenhum dos dois desistirá da pré-candidatura. Mariani argumentará que há tempos tem trabalhado para se viabilizar e, que inclusive o próprio Pinho Moreira o apoiou. Por sua vez, o governador dirá que a escolha não pode ser por uma vontade individual, e que caberá as lideranças do partido, dizer quem disputará ao governo. Dessa forma, serão definidos os critérios e a data de uma prévia que promete esquentar o ambiente emedebista.

Proposta de aliança

O deputado federal Valdir Colatto, postou em sua conta no Twitter, que se encontrou com o empresário Antonio Rebelatto de Chapecó. “Levo à executiva estadual do MDB na reunião de segunda feira, proposta de concordância em compor a chapa de vice- governador de Mauro Mariani ou Pinho Moreira”, escreveu. Rebelatto é um das principais lideranças estaduais do DEM.

Olhares eleitorais

As trocas de olhares dessa foto mostram o clima quente do cenário político catarinense. Nem mesmo o forte frio da última sexta-feira, em Nova Veneza, no Sul do Estado, baixou a temperatura das conversas sobre coligações para outubro. Pinho Moreira (MDB) olha para Paulo Bauer (PSDB), que é observado por Marcos Vieira (PSDB). Esse ganha da deputada tucana Geovânia de Sá um também significativo olhar. Manoel Mota (MDB) e João Paulo Kleinubing (DEM) também se miram fortemente. Tucanos e emedebistas não abrem mão da cabeça de chapa. O democrata é, em princípio, pré-candidato, mas uma aliança na chapa de Bauer ou do MDB é opção. Quanto mais passa o tempo, mais se aquecem as negociações.

Soltou a voz

O pré-candidato ao Governo do Estado Esperidião Amin (Progressistas), deu uma palhinha no aniversário de seu filho, o deputado estadual João Amin (Progressistas) no sábado. Cerca de 800 pessoas prestigiaram a festa, com destaque para os discursos do aniversariante, de Amin, Fábio Flor, Márcio Búrigo e do prefeito de Bom Retiro, Vilmar Neckel, o Alemão (Progressistas). O dia começou às 10h com futebol e foi finalizado as 20h em um jantar que teve como prato principal, tainha escalada, preparada cuidadosamente pelo pessoal da Barra da Lagoa. Confira a performance de Esperidião Amin:

Abraço

Também marcaram presença no aniversário de João Amin (Progressistas), outros prefeitos, vereadores e diversas lideranças de todo o estado. Desde o comunicador Roberto Salum e o professor Rodolfo Pinto da Luz, que levaram o seu abraço ao deputado. Os pais Esperidião e Angela Amin marcaram presença em um evento que reuniu parcela importante do grupo político ligado a família. Nos parabéns, um abraço demorado entre pai e filho.

Descansando

Encontrei o prefeito de Chapecó Luciano Buligon (PSB), fazendo compras em um mercado no centro da cidade. Conversamos um pouco sobre o cenário político e as agendas lotadas. Buligon relatou que na semana passada saiu domingo de casa rumo a Buenos Aires, passou por Florianópolis, Itajaí e Brasília, chegando em casa apenas na sexta-feira de madrugada. Segundo ele, os domingos serão destinados à família, mas será que a eleição deixará? Buligon é um dos principais cabos eleitorais do pré-candidato ao Governo do Estado, Gelson Merisio (PSD).

Anticorrupção

O prefeito de Chapecó Luciano Buligon (PSB), assinou um decreto regulamentando, no âmbito do Poder Executivo municipal, a Lei Federal conhecida como Lei Anticorrupção. Essa legislação prevê a responsabilização de empresas pela prática de atos contra a Administração Pública que, no caso do município de Chapecó, será apurada mediante Processo Administrativo de Responsabilização (PAR). São consideradas empresas as sociedades empresariais, simples, personificadas ou não, independente da forma de organização ou modelo societário adotado, bem como fundações, associações de entidades ou pessoas, sociedades estrangeiras, que tenham sede, filial ou representação no território brasileiro, constituídas de fato ou de direito, ainda que temporariamente.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest