A crise gerada no Estado pelos gastos com os servidores, aeroporto de Chapecó sobe de categoria, Bauer segue roteiro de pré-candidato entre outros destaques

Quem assumir o Centro Administrativo terá muitos desafios.

O bloqueio de R$ 100 milhões do Governo do Estado que seria utilizado no Pacto por Santa Catarina, já era uma das medidas esperadas pelo percentual que o Estado atingiu de gasto com a folha de pagamento dos servidores estaduais. Lembro que em 1º de fevereiro divulguei neste espaço, que já naquela época havia sido extrapolado o limite máximo, sendo que 49% do que era arrecadado ia para o pagamento de servidores ativos e inativos.

A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece os limites de alerta, quando um Estado chega aos 44,1% de gasto de sua receita corrente líquida com o pagamento do funcionalismo, seguido do Limite Prudencial quando atinge os 46,5%, e por fim, o Limite Máximo quando chega aos 49%. Também lembrei que uma análise de novembro de 2016 a outubro do ano passado, mostra que o gasto com pessoal chegou aos 49,27%, sem contar os jetons dos conselheiros das estatais, abonos permanência, aposentadoria e pensão de serventuários da justiça que somados, levavam o custo para mais de 50% da arrecadação.

Isso tudo, sem contar as folhas do Tribunal de Contas do Estado, Ministério Público, Defensoria Pública e Judiciário que são custeadas com o duodécimo, que é um repasse constitucional feito pelo Executivo a esses poderes. Isso me faz pensar que esse percentual também teria que ser calculado, além disso, questiono o que farão esses poderes para reduzir o custeio caso os repasses entrem na conta do limite estabelecido pela Lei da Responsabilidade Fiscal?

Na quinta-feira (12) da semana passada conforme já divulgado, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) me disse que entre esta, e a próxima semana devem ser exonerados mais 20% dos cargos comissionados. Agora com o bloqueio dos valores a serem destinados a obras do Pacto e, um possível efeito cascata que poderá complicar a liberação de recursos que estão sendo buscados junto ao BNDES, poderá tornar inevitável uma outra medida antecipada por esta coluna: Possivelmente, servidores concursados ainda em estágio probatório também poderão ser dispensados. Resta saber se essas medidas bastarão e, como será alavancada a receita para cobrir todo o custeio, além de permitir o pagamento dos passivos e ainda fazer o Estado funcionar com investimentos e sem atrasos de salários.

Importante debate

Será inevitável o debate a respeito do custeio do Estado durante a eleição. Quais os candidatos que terão as melhores propostas que permitirão a governabilidade, com o pagamento do custeio que a máquina pública exige, ao mesmo tempo em que será necessário garantir as ações que permitam a Santa Catarina seguir no rumo do desenvolvimento. Uma coisa é certa: Quem vier a governar o Estado no próximo mandato, terá que enfrentar alguns debates difíceis, que podem tornar qualquer governante impopular frente aos servidores públicos ativos e inativos e, principalmente dentro da sua base política, pois, a abertura de cargos aos apoiadores terá que sofrer uma redução significativa. Também não haverá espaço para aumento de salário, e quanto a Previdência, quem terá a melhor proposta para reduzir ainda mais os impactos que atingem a folha de pagamento? Portanto, assumir o Estado no próximo mandato será para quem pretende tomar ações difíceis, de um verdadeiro estadista, mesmo que isso custe a popularidade. Veremos…

Desgaste

Nos bastidores do PSD ainda se comenta a falta de vários prefeitos, ao evento realizado pelo ex-governador Raimundo Colombo (PSD), em Lages. Dos 70 prefeitos entre pessedistas e de partidos coligados, somente 14 compareceram ao ato. Uma fonte me contou que muitos dos prefeitos que não compareceram demonstraram grande irritação com a promessa não cumprida por Colombo, de viabilização do Fundam. Vários inclusive, relataram dificuldades em relação aos seus munícipes, pois já teriam se comprometido com a realização de obras contando com o dinheiro que não será liberado pelo Estado.

Colombo denunciado

O ex-governador Raimundo Colombo (PSD), deverá ter a investigação contra ele sobre um suposto uso de caixa 2 na eleição passada, enviada à Justiça Eleitoral do Estado. A decisão deve ser anunciada nesta semana pelo desembargador do Superior Tribunal de Justiça, Luis Felipe Salomão. Por mais que diga que tem todos os elementos para comprovar que não fez o uso de caixa 2, o desgaste político é uma preocupação nos bastidores.

Decisão está nas mãos do magistrado.

Roteiro

Mesmo sendo investigado pelo suposto uso de caixa 2, a exemplo do ex-governador Raimundo Colombo (PSD), o senador Paulo Bauer (PSDB) que é pré-candidato ao Governo do Estado, segue empolgado com a sua agenda. Ele participou no final de semana da cerimônia oficial do aniversário de 87 anos de Rio do Sul, no Alto Vale. Após ele foi surpreendido com uma ida ao 10º Rodeio Crioulo na Cancha de Laço Tio Guido. Não hesitou ao deixar o paletó e a gravata no carro e encarou o chão escorregadio e a lama provocada pela chuva. Os peões que estranharam a presença rara de um senador em um evento tradicionalista, ficaram ainda mais surpresos ao verem Bauer tomando chimarrão com gosto. O parlamentar demonstrou não só o conhecimento das tradições gauchescas, como também lembrou que o primeiro CTG com iluminação elétrica de SC foi inaugurado por ele, em Joinville, quando era presidente da extinta Eletrificação Rural do Estado de SC (Erusc).

Bauer não negou o chimarrão.

Conversas

O pré-candidato a governador Paulo Bauer (PSDB), e o deputado estadual Milton Hobus (PSD), ex-prefeito de Rio do Sul e pré-candidato à reeleição, conversaram longamente durante o evento de aniversário do município. Bauer demonstrou durante a agenda que não pensa em outro cenário, se não a disputa ao Governo do Estado. Uma fonte tucana garante que o partido está, sim, fechado em não abrir mão da cabeça de chapa na eleição para outra legenda. Outro ponto, é que o nome de Bauer é consenso para ser o candidato ao governo. “Não há um dia em que ele, o senador Dalírio Beber e o presidente Marcos Vieira não conversem positivamente sobre isso”, relatou um tucano.

Aeroporto de Chapecó

Uma importante notícia para o grande Oeste catarinense: O aeroporto Serafin Enoss Bertaso foi promovido à categoria 6, o que permitirá o aumento do número de vôos diariamente, com origem ou destino em Chapecó. Além disso, o aeroporto está apto a receber aeronaves maiores, a exemplo do Boeing 737-800 para 189 passageiros, o que já foi confirmado pela Gol que entrará em operação no Oeste. De acordo com o diretor de Modernização Administrativa do município Diego Ferraz, empresas como a Avianca, Azul, Latam entre outras, serão procuradas para viabilizar novas rotas, a exemplo de Curitiba, Foz do Iguaçu e Rio de Janeiro, além de ampliar as opções para Porto Alegre.

Muda a história

O diretor de Modernização Administrativa de Chapecó, Diego Ferraz, me disse que a nova categoria foi tão comemorada quanto a autorização para a ampliação do atual terminal. Ele compara a situação com o aeroporto de Navegantes, o qual em 2009 ainda com o nível 5, teve 554 mil passageiros, passando em 2010 para o nível 6, o que resultou em 2011 em 1,12 milhão de passageiros. “Essa situação muda a história do aeroporto de Chapecó, podem acreditar”, afirmou Ferraz, que tem liderado todas as ações de desenvolvimento do terminal. Além disso, é importante que a Secretaria de Estado do Turismo observe a situação e pense em ações para fomentar ainda mais o turismo no Grande Oeste, além do setor produtivo que futuramente poderá ter um terminal para as operações de carga.

PDT governista

O PDT que teve na última eleição em Chapecó coligado com o PT, apontando o empresário Gui Pereira como vice na chapa de Luciane Carminatti, passou para a base do governo do prefeito Luciano Buligon (PSB). Informações de bastidores é que uma de suas principais lideranças, Alsari Balbinot, teria até assumido um cargo no governo. As conversas para a formalização da parceria foram realizadas durante algum tempo, quando o vereador e pré-candidato a deputado estadual Jatir Balbinot (PDT), anunciou que apoiará o pré-candidato ao Governo do Estado Gelson Merisio (PSD). A partir dessa situação, Buligon construiu a aproximação e ganhou mais um vereador na Câmara.

Jatir agora é governista.

Refis

O Refis para as micro e pequenas empresas foi promulgado na última semana e os empresários devem aderir ao programa de refinanciamento de débitos até 7 de julho. O deputado federal Jorginho Mello (PR), presidente da Frente da Micro e Pequena Empresa, estima de que 25 mil pequenos negócios de Santa Catarina poderão utilizar o Refis.

Vignatti decidido

Uma fonte do Partido dos Trabalhadores voltou a afirmar, que Claudio Vignatti está confirmado como pré-candidato a deputado federal. De acordo com a liderança, está sendo trabalhado junto a executiva que construa uma candidatura à majoritária para o deputado Pedro Uczai. “Ninguém pode sentar em cima de um mandato. Ninguém é dono de uma vaga, por isso, é preciso respeitar o processo partidário. Quem tem mandato há algum tempo, precisa tentar ocupar cargos mais desafiadores”, afirmou a fonte, se referindo a Uczai.

Bernardes na estrada

Desde a renúncia da Prefeitura de Blumenau, o agora ex-prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) tem mantido uma agenda de pré-candidato ao Senado. Ele já fez roteiros no Sul, Planalto Serrano e nesse final de semana no Meio-Oeste. No Encontro Regional do PSDB Mulher, em Caçador, Bernardes em seu discurso incentivou a candidatura a deputada federal da vereadora Sirley Ceccatto, que já foi presidente da Câmara Municipal de Caçador. Sensibilizada, ela aceitou o desafio, fazendo uma dobradinha com o ex-prefeito de Videira, Wilmar Carelli, que é pré-candidato a deputado estadual. Na foto, Bernardes ao lado de Sirley e Carelli.

Tentando uma audiência

O advogado Nabor Bulhões, está tentando uma audiência com o ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Barroso, que é o relator dos embargos apresentados pela defesa do deputado federal João Rodrigues (PSD). Bulhões aguarda o agendamento da audiência para que em conversa com Barroso, o convença a colocar em pauta a discussão dos embargos contestando a não aceitação da prescrição da pena imposta a Rodrigues.

Barroso é o relator dos embargos.

Homenagem a Divaldo

O médium Divaldo Franco recebeu a medalha Zilda Arns e uma Laelia purpurata, flor símbolo do estado, respectivamente, do Governo e do Parlamento catarinenses. A cerimônia aconteceu na noite de sexta-feira (13) na Assembleia Legislativa. O médium baiano agradeceu às homenagens e convidou as autoridades e a comunidade barriga-verde a construir uma sociedade mais justa. O líder espírita exortou os catarinenses a buscar a paz. “Lutar pela paz é dever de todos nós, vamos fazer da paz a bandeira da ordem e do progresso”, declarou Franco. O deputado Gelson Merisio (PSD) e o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), destacaram a importância das pregações de Edivaldo pela paz.

Em clima

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) e o pré-candidato ao Governo do Estado Gelson Merisio (PSD), tiveram alguns momentos de conversa descontraída nos momentos em que antecederam a palestra e homenagem ao espírita Divaldo Franco. Tanto Pinho Moreira que foi acompanhado da esposa Nicole Rocha, quanto a Merisio que teve a companhia de Márcia Merisio e filhos, esqueceram por alguns instantes das diferenças políticas e trocaram cortesias, a exemplo da conversa na foto entre o governador e a esposa de Merisio. Pelo visto, pelo menos naquele momento o clima de paz tomou conta da Alesc.

Apoio a Schneider

O presidente da Assembleia Legislativa Aldo Schneider (MDB), também recebeu uma palavra de apoio do médium Divaldo Franco. Recuperado de um câncer, Schneider ouviu atentamente o que Franco quis lhe dizer em particular.

Ação pública

O vereador de Joinville Odir Nunes (PSDB), prepara Ação Civil Pública para saber quais os motivos que impedem que os R$ 3,2 milhões parados no Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), sejam repassados para as entidades cadastradas no município. No começo do mês em reunião da Comissão de Saúde sugerida pelo parlamentar, o presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, Dayvid Inácio Espíndola da Luz, informou sobre o valor arrecadado e o que já pode ser destinado às entidades que são R$ 2,5 milhões. Também foi falado sobre o fato do governo de Udo Dohler (MDB) ainda não ter elaborado o edital para liberação.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest