Crise afasta Colombo de Pinho Moreira, Bauer será pré-candidato com a benção de Alckmin, primeira PPP será lançada em Chapecó entre outros destaques

O inevitável foi antecipado ontem na coletiva de imprensa no Centro Administrativo em Florianópolis, pela necessidade de explicar e solucionar a grave crise financeira que atingiu em cheio o Estado.

Em ano eleitoral, quem assumiu o comando do governo, no caso, Eduardo Pinho Moreira (MDB), precisa desnudar a situação para que a população e sobretudo, os deputados, entendam o alerta para que se evite o aumento da despesa do Estado neste momento. Mas para isso, é necessário explicar a origem, puxar o histórico dos últimos anos para que fique mais clara a situação que obrigará ao próximo governador a se transformar em um verdadeiro alquimista, para transformar uma situação nada valiosa em ouro, o que significa neste caso, superar a crise e retomar o crescimento de Santa Catarina através da recuperação de sua economia com uma redução drástica do Estado.

Pinho Moreira usou o setor da Saúde como exemplo para comparar as gestões, é claro, sem mencionar diretamente o nome de Colombo. Ao dizer que os estoques de medicamentos subiram de cerca de 30%, para aproximadamente 80%, o governador foi taxativo ao afirmar que antes se comprava e pagava mau. Se Colombo era o governador, a crítica só pode ter sido direcionada à sua gestão e, as reações já começaram do lado pessedista em defesa do ex-governador.

Uma liderança me disse ontem que a respeito da folha de pagamento, o aumento foi de 70% de 2011 até este momento, porém, o que mais impactou foi o magistério que chegou aos 106% de reajuste baseado no piso da categoria definido pelo Ministério da Educação. Outro ponto destacado pelo pessedista que pediu para não ter o nome identificado, é que o Supremo Tribunal Federal determinou que o Estado criasse a Defensoria Pública, obrigando inclusive a abertura de concurso para defensores e administrativos, gerando impacto na folha. “Na realidade o que pressionou o limite prudencial foi a receita do Estado que encolheu e, que não teve pernas para acompanhar o crescimento da folha de pagamento”, afirmou.

A liderança também fez questão de destacar que neste meio tempo durante a crise que afetou ao país, foi feito um acordo com os servidores da Saúde, além da reposição que foi realizada na Segurança Pública, mas, mesmo assim, a folha tem um crescimento vegetativo que fica em média, entre 4% e 5% ao ano.

A criação do SCPrev e a extinção de companhias estatais também foi destacado, ações as quais, segundo a fonte, que resultou numa economia mensal de R$ 10 milhões. E ao final da conversa, a fonte deu uma resposta direta: “Só pra lembrar. O Eduardo Pinho Moreira fazia parte do governo e o Colombo sempre trabalhou com as contas no limite. Tanto que tomou uma série de medidas”, destacou a liderança em defesa do ex-governador, afirmando que o emedebista sempre soube da situação real das contas do Estado. “Não é nenhuma surpresa”, destacou.

A pergunta

Se no início do ano foram cortados mais de duzentos cargos e agora a história se repete, tem algo de errado nessa situação. São mais de 500 cargos que deixam de existir neste momento e, se isso acontece agora, é pelo fato desses ocupantes de cargos não fazerem a diferença, posso estar errado, mas respondam a minha pergunta: Farão falta agora? Seria possível apertar um pouco mais, para reduzir ainda mais os gastos?

Afastamento

Essa situação de exposição das contas do Estado, segundo uma fonte, incomodou consideravelmente o ex-governador Raimundo Colombo (PSD). Um outro ponto que o teria irritado, é quanto a fala de que o Fundam foi extinto, para dar lugar a um programa com recursos do BNDES para a realização de obras. “O Raimundo saiu prometendo o que não tinha. O Fundam não existirá sem os recursos da Caixa Econômica”, criticou.

Dissintonia

O deputado estadual Neodi Saretta (PT) fez um apelo na tribuna da Assembleia Legislativa, pela adesão da Campanha “Direitos Valem Mais, Não aos Cortes Sociais: por uma economia a favor da vida e contra todas as desigualdades”, que é uma petição pública online para a revogação da emenda do teto dos gastos. Segundo o deputado, a mobilização é realizada por redes e entidades da sociedade civil, movimentos sociais, conselhos nacionais e pesquisadores de várias áreas das políticas sociais. O endereço para quem deseja assinar a petição para que a emenda seja revogada é www.direitosvalemmais.org.br e hasthag é #DireitosValemMais. A campanha vai até 28 de abril. Em momento de austeridade e responsabilidade com o gasto público, será que a derrubada do teto ajudará à recuperação do país?

Pesquisa

Ontem na Avenida Getúlio Vargas em Chapecó, as pessoas foram abordadas para responder a uma pesquisa. As perguntas começam com uma avaliação do governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), das Agências de Desenvolvimento Regional, questionando se o entrevistado concordava com a redução das agências e, se havia percebido algum impacto na Saúde e Segurança nos últimos meses. Depois, foram perguntados a respeito dos nomes para serem pré-candidatos.

Bauer pré-candidato

Hoje as 15h30 no Andrade Hotel, antigo Hotel Floph em Florianópolis, o PSDB se reunirá para lançar o senador Paulo Bauer como o pré-candidato do partido ao Governo do Estado. Antes da coletiva haverá uma reunião dos caciques para discutir alguns detalhes. Uma fonte tucana chegou a dizer que esse ato é importante, porque Bauer disputará o pleito, pois, passa a ser o único pré-candidato do partido, encerrando assim, com as especulações sobre os nomes de Napoleão Bernardes e Marcos Vieira. Outro ponto é que essa situação também elimina as especulações de que Bauer poderá desistir. “Agora começamos a avaliar todos os partidos com exceção do PT”, afirmou a fonte.

Não abre mão

Mesmo com as conversas entre lideranças do PSDB e do MDB, os dois partidos começam a ficar cada vez mais distantes. O tucanato reclama que os emedebistas não abrem a possibilidade de uma conversa, para apontarem o vice numa eventual chapa com Paulo Bauer ao Governo do estado.  Dentro do PSDB está totalmente descartada uma definição de cima para baixo, que obrigue a legenda em Santa Catarina a abrir mão da cabeça. Essa situação será clareada hoje com um vídeo gravado pelo presidente nacional do partido, o presidenciável Geraldo Alckmin, que afirmará que não haverá nenhuma imposição dentro ou fora do partido, garantindo a candidatura tucana.

Ministro no ar

O novo ministro do Tribunal Superior do Trabalho Alexandre Ramos, será o entrevistado do programa Estúdio Condá de hoje a partir das 08h45. Estarei ao lado do colega Pedro Vianna, para fazermos as perguntas que os ouvintes desejarem. Vale lembrar que Ramos já atuou na Comarca de Chapecó. A entrevista será disponibilizada durante o dia aqui no site.

PPP

Hoje as 17h30 será feito o lançamento da primeira Parceria Público-Privada. O ato acontecerá no gabinete do prefeito de Chapecó Luciano Buligon (PSB). Na oportunidade será assinado o edital para o Parque Medellín. O Projeto do Parque foi lançado em abril de 2017 durante a visita do Prefeito de Medellín, Federico Gutiérrez Zaluaga. Com o lançamento do edital, as empresas interessadas terão um prazo de 45 dias para apresentar as propostas de desenvolvimento da infraestrutura do local que conta com uma área de 109.418,84 m2. Os projetos apresentados deverão conter espaços de lazer poliesportivos, playground, academia de ginástica ao ar livre, pista de caminhada e também um Memorial em homenagem a cidade colombiana Medellín e à Associação Chapecoense de Futebol.

STF

Com o objetivo de acabar com as indicações políticas para ministros da mais alta Corte do país, o deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB) está colhendo assinaturas em Brasília para apresentar uma Proposta de Emenda Constitucional que institui concurso público para a composição do Supremo Tribunal Federal. Em uma hora, dentro do plenário da Câmara, Peninha colheu mais de 150 assinaturas. Para apresentar a PEC, é exigido o apoio de ao menos 171 parlamentares. Na opinião do deputado catarinense, o Judiciário hoje sofre com tráfico de influência.

Passou dos limites

A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, senadora Gleisi Hoffmann, segue extrapolando todos os limites. Mas parece que a Procuradoria-Geral da República acordou, e poderá abrir um inquérito contra a petista, após a entrevista lamentável concedida por ela à TV Al-Jazira. Gleisi a exemplo de outras lideranças, seguem com uma campanha absurda de desqualificação do Brasil, tentando traçar no exterior um cenário inexistente em nosso país, sem ligar, inclusive, para possíveis prejuízos que possam causar. “Lula foi condenado por juízes parciais num processo ilegal. Não há nenhuma prova de culpa, apenas acusações falsas”, afirmou, chamando o ex-presidente de “preso político”. Ela também convocou a todos do mundo árabe a se juntarem a luta para “libertar Lula”. A situação é tão surreal, que fico imaginando: Será que a senadora sonha em ver o Estado Islâmico entrando no Brasil para libertar o ex-presidente? Me desculpem a ironia, mas essa situação já passou dos limites.

Como assim?

A senadora Gleisi Hoffmann (PT) tem uma intenção além da defesa de Lula (PT). Acontece que ao olhar para o ex-presidente, com certeza ela pensa: “Eu sou você amanhã”. Gleisi sabe que esperneia em causa própria, pois, é ré na Lava Jato e logo terá que prestar explicação à justiça e, se condenada, terá que pagar também. Nós vivemos em um país onde as instituições funcionam. Claro, longe da perfeição e o nosso STF tem tido uma atuação muitas vezes questionável. Mas criar uma fantasia para o exterior somente servirá para prejudicar o nosso país, o que é bem contestável a quem diz defender o Brasil. Outra coisa é essas constantes visitas a cela de Lula para “fiscalizar”. Por favor, quem é tão inocente ao ponto de acreditar que o objetivo é esse? A questão é fazer política, pensando na eleição e chamando a atenção para o nome do ex-presidente. A justiça precisa parar com essas atuações questionáveis, pois Lula está recebendo um tratamento humanitário, afastado dos demais presos por uma questão de segurança, o que é bem justo, portanto, vamos parar com a falácia e começar a ter um pouco mais de seriedade. A Justiça precisa tomar uma atitude.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest