Criciúma discute sistema de previdência do município

O debate sobre o sistema de previdência dos servidores municipais de Criciúma, nesta quarta-feira, é uma espécie de junta médica para discutir a doença que está levando o paciente à morte. A audiência pública sobre o CriciúmaPrevi será às 19h no Teatro Elias Angeloni. Os sistemas próprios são cheios de boas intenções, mas proporcionalmente arriscados, quando geridos com forte influência de decisões ou dependência do Executivo. No caso do CriciúmaPrevi há dois fatores identificados. O primeiro é que o instituto criado em 2001 nasceu sem nunca ter concluído os planos da sua criação, que era torna-lo autossustentável. A segunda e mais nociva causa de consequência fatal são os constantes atrasos nos repasses. Todos os prefeitos atrasaram repasses e renegociaram as dívidas com correção prejudicial ao sistema de previdência. O Secretário de Administração à época da criação do CriciúmaPrev, Laércio Silva lembra que o sistema aposentou servidores que nunca antes tinham contribuído, mas que isso foi planejado. O sistema deveria receber alguns aportes como a propriedade da estrutura do Shopping Pórtico e outros. A ideia era alienar alguns bens para capitalizar o instituto, o que governos seguintes não fizeram. As previsões sobre o futuro do regime próprio de previdência dos servidores são catastróficas.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest