Coluna do Sul

Jogo de xadrez no parlamento

Já na retomada dos trabalhos legislativos do Estado (dia 6 de fevereiro) o eleitor catarinense “pode” – eu disse pode – assistir um jogo duro de estratégias entre PMDB e Gelson Merísio (PSD). Existe de bastidores um acordo segundo o qual a presidência da Assembleia Legislativa em 2018 ficará com o PMDB (deputado Aldo Schneider, atual vice-presidente). Ocorre que em meio a este acordo existe uma queda de braço entre o PMDB de Eduardo Moreira que estará governador e quase todo o restante do parlamento (40 deputados), que estão afinados com o deputado Gelson Merísio (PSD). Deve ver-se neste momento uma guerra de estratégias que pode colocar em risco o total cumprimento do acordo firmado no início do ano passado.

Conversas

São perceptíveis os movimentos feitos pelo vice-governador Eduardo Moreira na preparação do terreno para uma reviravolta do que o PMDB tem previsto. Hoje vale a regra de que em 17 de março o partido fará prévias para indicar o candidato a governador. Moreira, não disputará a prévia. O provável é que Mauro Mariani se apresente sozinho. Se ele ganhar por “WO” pode ser o indício de que a prévia não valerá. 

Questão de tempo

Nesta semana Eduardo Mariani teve conversa com o deputado federal Jorginho Melo (PR), cujo nome está previamente lançado ao governo do Estado. O convite inicialmente rejeitado por Melo é que ele componha na chapa com o PMDB. Ocorre que a maioria das siglas deve manter o discurso da dissidência de aliança com o PMDB. Este jogo pode mudar mais adiante, se o candidato for o então governador Eduardo  Moreira.

Liderança nata

Em todas as principais siglas, PMDB, PSDB, PP e PSD possuem o mesmo vício interno. São as tentativas das consideradas “segundas forças” tentando se impor. Refiro-me a Mauro Mariano que força sobrepor-se a Eduardo Moreira que além da sua força natural ainda será governador em breve. No PSD não é diferente com Gelson Merísio e Raimundo Colombo. No PSDB outros como Marcos Vieira exercem a mesma “forçação” ante a liderança natural de Paulo Bauer assim como há muito deputados buscam impor-se à liderança natural de Esperidião Amin.

E mais…

A história revela que as acomodações vão acontecendo a medida que o processo eleitoral acontece. Foi assim até agora em Santa Catarina. Sob esta teoria entende-se que as melhores vagas de 2018 também fiquem com Eduardo Moreira, Paulo Bauer, Raimundo Colombo e Esperidião Amin.

Reveza

Neste fim de semana o prefeito Clésio Salvaro deve voltar a tratar da sua licença combinada à licença do vice-prefeito Ricardo Fabris, um procedimento que está virando praxe na administração pública municipal de Criciúma. Prefeito e vice-prefeito licenciados assume o presidente da Câmara, Júlio Colombo. Isso deve ocorrer no dia 6 de fevereiro.

Começa o trabalho

No dia 5 de fevereiro o prefeito Clésio Salvaro irá à sessão que abre o ano legislativo. É previsto na constituição do município está presença, tanto que a primeira sessão ordinária do ano é sempre integralmente dedicada à fala do prefeito com caráter de prestação de contas. Neste ano deve sentir-se nesta visita o desejo do prefeito aproximar-se mais e mais dos vereadores.

IPTU provoca desgaste

O vai e vem na decisão sobre o IPTU colocou em choque o técnico e o político do governo municipal. Respingos existem, mas não o suficiente para gerar rumores de mudança na Secretaria de Fazenda. Se houve, como se especula que o titular da pasta, Robson Gotuzzo esteja saindo, não terá sido só por causa do IPTU. O secretário foi muito bem na defesa do político e o prefeito foi firme na defesa dos técnicos. Pode ter exagerado quando deixou dúbia a interpretação de uma frase pronta que ele gosta de usar: “nós não temos compromisso com o erro”. Mesmo assim, se houver a saída do secretário após as férias não  terá sido por um único episódio.

DIFERENÇA A reação popular ao aumento do IPTU em Criciúma foi proporcionalmente dezenas de vezes maiores que a de população de cidades maiores ou mesmo menores, entenda-se São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis ou Içara. Nestas a mesma correção que Criciúma rejeitou, foi aplicada e mantida.

RUÍDOS No Paço Municipal que hoje é comandado pelo PSDB mais uma vez houve indignação com reação que saiu de gabinete de um vereador do próprio partido tucano. Me refiro ao fato do principal assessor do vereador Júlio Kaminski (PSDB), Adão da Silva, ter liderado discurso contra o governo na Vila Esperança nesta  semana.

RADAR O Radar Meteorológico do Sul que será instalado em Araranguá seria transportado de Florianópolis até o seu local definitivo na segunda-feira, mas a previsão do tempo dos outros dois radares indica que o sul terá chuva forte. Por isso o transporte foi adiado para o dia seguinte, terça-feira.

SÃO TRÊS Com a instalação do radar Sul o Estado de Santa Catarina cobre toda sua área. Os outros dois estão instalados estrategicamente em Lontras e Chapecó.

DENUNCIADO Nesta semana a polícia concluiu inquérito daquele atropelamento provocado pelo ex-deputado João Pizzollati, em Blumenau. Ele é denunciado por embriagues ao volante e por provocar um acidente com sabido risco de matar. Pode ser levado inclusive a julgamento.

MISTÉRIO A equipe de limpeza e corte de grama do canteiro central da avenida Centenário em Criciúma anda intrigada. A cada vez que foi feito o corte, ao longo do ano, alguém passava em trecho da avenida espalhando jornal recortado. O lixo ficava acumulado. No último corte isso não ocorreu. A curiosidade é se o autor parou ou está de férias na praia.

FRASE DO DIA

“Sempre disse que tudo aquilo que acontece no município é de pura responsabilidade do seu gestor, o prefeito. Por isso chamo para mim a total responsabilidade sobre qualquer ato. Não transfiro aos técnicos ou quem quer que seja a responsabilidade destas medidas do IPTU”.

Clésio Salvaro, prefeito de Criciúma, ao comentar respingos e desgastes em virtude do processo de revogação de decreto sobre parte de aumento do IPTU.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest