Colombo confirma Merisio como o nome do PSD, Temer questiona Pinho Moreira sobre a eleição em SC, Udo anuncia hoje que não renunciará entre outros destaques

Colombo recebeu a bancada para um almoço.
Foto: Claudio Thomas

Ontem o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), recebeu para um almoço na Casa D’Agronômica, a bancada do PSD na Assembleia Legislativa, e mais o pré-candidato a deputado federal Cesar Souza Júnior. O encontro de quase três horas foi considerado como uma despedida dos deputados estaduais, ao ainda governador, além de servir para uma aproximação e a busca pela unidade pensando na eleição. Colombo agradeceu a parceria de seus correligionários e, fez uma avaliação de seu governo. Além disso, pediu para que o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Júlio Garcia, que se filiará neste próximo sábado (24) em Criciúma, seja incorporado as discussões. Apelou para que qualquer diferença seja resolvida, para que não haja uma divisão que poderá enfraquecer a legenda. Colombo não disse abertamente, mas se referiu a polêmica gerada pelas declarações que Garcia fez em relação ao projeto de Merisio, e que rendeu algumas respostas de deputados e demais lideranças.

Todos os presentes concordaram em integrá-lo ao grupo e as discussões eleitorais, considerando a força política do ex-parlamentar. Mas houveram pedidos para que não haja mais declarações no tom adotado anteriormente por Garcia e, que ele respeite o processo em curso no partido.

Foi aí que Colombo apontando para Merisio, disse que o PSD tem pré-candidato ao Governo do Estado. “O PSD tem claramente um pré-candidato que é o Gelson. Agora, vamos construir uma coligação”, afirmou, terminando com as especulações sobre uma suposta intervenção da executiva nacional pessedista.

Outro ponto que parece amadurecido no PSD, é quanto ao MDB. Uma liderança me disse que ninguém ousará a fechar as portas para nenhum partido, mas, pontuou que é praticamente impossível que estejam ao lado dos emedebistas. A reclamação foi grande contra o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira, que foi acusado de estar promovendo perseguições aos pessedistas. “Os gestos de hostilidade para conosco foram muito pesados”, me disse um dos participantes do almoço.

Mas teve outro motivo para reclamação contra o emedebista. Os deputados viram em Colombo uma insatisfação, segundo uma liderança, pelo fato de Pinho Moreira estar fazendo comparativos entre a sua gestão que está iniciando, com a do pessedista. “Ele está diminuindo a própria gestão que ele participou. É um sentimento que mexe com todos nós”, disse um pessedista, afirmando que Colombo evita falar a respeito do assunto, mas que está visivelmente incomodado.

O governador avisou que irá ao parlamento entregar oficialmente a sua carta de renúncia no próximo dia 06 de abril, e no dia seguinte participará de um evento que está sendo organizado na Pousada do Sesc em Lages, que contará com a presença de lideranças de vários partidos, além do PSD, PSB e Progressistas. O ato está sendo considerado o marco zero da campanha de Colombo ao Senado.

Fundam

Segundo uma fonte, durante o almoço na Casa D’Agronômica, o Fundam 2 também foi tema de debate. A fala durante o encontro, é de que o MDB não quer que o projeto seja viabilizado e, se acontecer, que o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB) fará apenas grandes obras, sendo três somente na capital e, que não liberará recursos aos municípios. “Isso não será aceito, porque o Fundam foi criado para ajudar aos municípios”, relatou.

Coordenação política

Após ter sido apontado por Raimundo Colombo como o pré-candidato do PSD ao Governo do Estado, o deputado Gelson Merisio destacou que está sendo formada uma ampla aliança para o projeto eleitoral. Além disso, pediu para que pelo menos, por hora, o partido mantenha aberto o leque para o cenário nacional, já que é preciso observar como se desenhará o quadro eleitoral. Entre os pessedistas, circulam os nomes de Geraldo Alckmin (PSDB) que seria o preferido de Colombo, Henrique Meirelles (PSD) e Jair Bolsonaro (PSL), além de Ciro Gomes (PDT) que também já foi lembrado em outras oportunidades. Na conclusão de sua fala, Merisio fez um convite a Colombo para que seja o coordenador político da eleição, selando assim, a união na legenda. Colombo agradeceu e aceitou o convite, e já na próxima semana marcará uma reunião com um conselho que terá ainda como integrantes, o deputado estadual Milton Hobus, o deputado federal Cesar Souza e o prefeito de Lages Antônio Ceron. Colombo acertará com o grupo, a criação de uma normativa para intensificar o processo de união e fortalecimento do PSD e dos partidos que já estão alinhados.

Conversa em SP

Um fato que ainda não havia sido relevado, é que o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD) participou junto a Gelson Merisio (PSD), do encontro na semana passada em São Paulo, com o presidente nacional de seu partido, o ministro da Ciência e Tecnologia Gilberto Kassab. Servindo como mediador, Kassab pediu a Colombo e Merisio que chegassem a um acordo pelo fortalecimento da legenda, ajudando a desfazer o distanciamento adotado por ambos, devido as diferenças que tinham de pensamento sobre a condução do processo eleitoral. O sim de Colombo ao convite para ser o coordenador político do PSD na eleição, foi mais significativo do que um simples aceite para assumir uma função. Ele começa de fato, a abraçar a causa da legenda.

Será acolhido

Para a próxima terça-feira (27) no tradicional almoço da bancada do PSD na Assembleia Legislativa, o líder Milton Hobus, convidará o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Júlio Garcia. Garcia era para ter almoçado nesta semana com os deputados, porém, uma reunião de última hora na casa do pré-candidato a governador Gelson Merisio (PSD), provocou o cancelamento. O encontro foi para que Merisio relatasse aos presentes, o que foi conversado em São Paulo com o ministro Gilberto Kassab.

Garcia será acolhido pela bancada pessedista na Alesc.

Gravou na memória

Durante o almoço de ontem na Casa D’Agronômica, um dos deputados brincou que iria olhar bem para a residência oficial do governo, pois, neste ano será difícil voltar ao local, já que o governador será Eduardo Pinho Moreira (MDB). “Neste ano será difícil que algum de nós entre aqui. Esperamos que em janeiro tenhamos um governador”, disse, arrancando risadas dos presentes.

De olho nos tucanos

De acordo com uma fonte pessedista, há dentro da legenda um sentimento generalizado que ainda é possível através do senador Paulo Bauer (PSDB), atrair os tucanos para o projeto em que o PSD está inserido. Já no MDB o desejo de alguns caciques é que o prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes (PSDB), possa surgir como um vice do candidato emedebista. Quanto a Bauer, uma liderança do MDB disse que a avaliação é de desgaste até que ele consiga através das investigações, comprovar que não fez o uso de caixa 2. Nomes como Marcos Vieira, e do prefeito de Criciúma Clésio Salvaro, também foram lembrados.

O dia D

Hoje ao final da tarde o prefeito de Joinville Udo Dohler (MDB), anunciará a sua decisão de declinar da renúncia do cargo que ocupa. Dohler não obteve o resultado que esperava nas conversas que participou nos últimos dias. Conforme explicou ontem em um encontro em Jaraguá do Sul, com os prefeitos Antídio Lunelli (MDB), e Napoleão Bernardes (PSDB) de Blumenau, Dohler deixará o cenário para que não haja cisões no partido. Ele também relatou que via uma fresta muito pequena para o seu projeto e que o cenário segue nebuloso. Portanto, apenas se acontecer algo de extraordinário durante o dia, o cenário que aponta para a permanência no cargo não será este na hora do anúncio em que Udo fará, a princípio através de nota à imprensa.

Dohler relatou aos prefeitos sua situação no MDB.
Foto: Jaksson Zanco

Conversa com Temer

O governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), se reuniu ontem no Palácio do Planalto em Brasília, com o presidente Michel Temer (MDB). O deputado federal Rogério Peninha Mendonça (MDB), também participou do encontro. Eles discutiram a questão da saúde no Estado, e analisaram os números da dívida da União com Santa Catarina em relação ao extrateto. Pinho Moreira entregou a Temer e ao ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, um ofício onde aparece o valor do passivo que já está em R$ 212.908.318,20 ao ano. Além disso, o governador pediu que sejam repassados ao Estado, R$ 53.227.079,55 referente a serviços de saúde já prestados nos meses de janeiro, fevereiro e março deste ano, e que não foram ressarcidos. Os serviços realizados sem a cobertura federal causaram um déficit mensal de R$ 17.742.359,85, chegando aos R$ 212,9 milhões ao ano.

Eleição na pauta

O presidente Michel Temer (MDB) que está disposto a se candidatar à reeleição, quis saber do governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), sobre o quadro sucessório em Santa Catarina e, questionou se o partido terá candidato. “Claro que sim presidente, dessa vez é um processo irreversível. O PMDB terá candidato” garantiu Pinho Moreira. A resposta deixou Temer motivado quanto ao cenário catarinense, tanto, que pediu para ser atualizado constantemente do desenho eleitoral, e até se disse disposto a colaborar. “Ele disse que deseja ser um parceiro”, relatou uma fonte. Ao final da conversa, Temer pediu a Pinho Moreira que vá mais vezes a Brasília para conversar com ele.

Apoio a Bernardes

Ontem 170 filiados ao PSDB reunidos em Blumenau, apontaram por aclamação que o caminho do prefeito Napoleão Bernardes deve ser o de participar do projeto estadual e nacional do partido. Bernardes ouviu ao apelo para que esteja na majoritária. Em seu discurso, agradeceu o apoio, e disse que segue conversando e estudando o cenário.

Conhecendo o terreno?

A empresária Fabiana Rodrigues, esposa do deputado federal João Rodrigues (PSD), já está em Brasília. Além de visitas ao parlamentar, ela também tem ido ao gabinete receber lideranças e para participar de reuniões. Ontem, Fabiana ao lado do chefe de gabinete Josué Barbosa, recebeu o ex-prefeito de Guaramirim, Lauro Fröhlich, e Wolmir Matte, que foram prestar solidariedade à família Rodrigues. Vale lembrar que, conforme já confirmado pelo próprio parlamentar em mensagem enviada a amigos, Fabiana poderá disputar uma vaga à Câmara dos Deputados, caso ele não possa se candidatar.

Quebra de decoro

De autoria da Rede Sustentabilidade, o deputado federal João Rodrigues (PSD) também enfrenta um processo para a perda de seu mandato sob a acusação de quebra de decoro parlamentar, devido a sua condenação. Ontem foi protocolado o Parecer Preliminar do relator, deputado Ronaldo Lessa. Já os advogados de Rodrigues em sua defesa preliminar, alegam que não houve a quebra do decoro já que a pena prescreveu, e também baseados no voto do relator do processo no STF, o ministro Luiz Fux, de que não houve dolo e nem dano ao erário público.

Defesa de Lula

O deputado estadual Padre Pedro Baldissera (PT), enfatizou na tribuna da Assembleia Legislativa, que “para além de paixões políticas e ideológicas e analisando os números”, a Era Lula foi a melhor fase da economia brasileira desde 1980. “O conjunto de políticas sociais, como o Bolsa Família, a valorização do salário mínimo, a formalização do emprego, a expansão do crédito e a diminuição de preços relativos de artigos populares por meio de desonerações tributárias, direcionaram parte da atividade econômica para os pobres, o que permitiu um maior poder aquisitivo das famílias de baixa renda”, disse. Baldissera destacou que o seu pronunciamento, foi feito baseado em dados da Fundação Getúlio Vargas, em trabalho realizado por seis economistas.

Cidadão catarinense

A agenda da visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Santa Catarina, sofreu uma modificação, para que ele receba o título de Cidadão Catarinense. A honraria aprovada há dez anos pela Assembleia Legislativa, teve apenas um voto contrário que foi o do deputado Kennedy Nunes (PSD). A sessão deste sábado (24) será presidida pela deputada Ana Paula Lima (PT).

Ana Paula presidirá a sessão.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest