Clima entre MDB e PSD se deteriora a cada dia, Governo do Estado quer desonerar indústrias, Lummertz assume o Ministério do Turismo entre outros destaques

O almoço de ontem da bancada do MDB na Assembleia Legislativa agradou aos parlamentares, sobretudo os italianos, já que foi servido polenta com galinha. Porém, fora o cardápio e a presença do ex-governador Paulo Afonso Vieira, que foi informar que se desincompatibilizou de seu cargo na Secretaria de Estado da Fazenda, onde é servidor de carreira, para ser pré-candidato ao Senado, de resto as conversas podem ser consideradas indigestas.

Primeiro, o projeto de lei de autoria do deputado estadual Maurício Eskudlark (PR), que revoga o título de cidadão catarinense concedido ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi retirado de pauta. O relator da matéria na CCJ, deputado Mauro de Nadal (MDB), decidiu não apresentar seu parecer na reunião de ontem a pedido de sua bancada. A proposta precisa ser analisada pelas comissões permanentes da Assembleia Legislativa para que possa ser votada em plenário.

De Nadal só deverá colocar na pauta na próxima terça-feira, pois ainda não há um consenso entre os parlamentares de seu partido. O principal argumento é que na época em que foi concedido o título, Lula estava no auge e realizou diversas ações em benefício de Santa Catarina. “Se for assim, teremos que fazer um levantamento de todos que receberam o título e foram condenados em algum processo. Se cassar o do Lula, terá que retirar os demais”, me disse uma fonte, que mesmo assim, acredita que os deputados temerão a opinião pública devendo aprovar a matéria. “Apenas os deputados do PT e do PCdoB votarão contra a cassação do título”, afirmou.

Ainda de acordo com um emedebista, outro assunto que tem dominado os encontros não só da bancada, mas do partido, é a relação com o PSD. O entendimento é que os pessedistas não querem uma separação consensual, pois, todos os movimentos tem sido no sentido de um divórcio litigioso. A fonte disse ainda que a posição de seu partido é de que os pessedistas busquem o afastamento e que “sejam felizes”. “Não ficaremos lamentando, pois fomos muito mais úteis para eles, do que eles para nós. Não há o que lamentar, que sejam felizes. O povo irá julgar”, destacou.

Para ter uma ideia do quanto a relação está deteriorada, deputados do MDB reclamam de que as lideranças do PSD estão falando mal de seu partido e do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), o que já está provocando a perda de confiança. Eles entendem que o PSD já se comporta como oposição e adversário que só pensa na eleição.

Ainda durante o almoço, o deputado Carlos Chiodini assumiu a liderança da bancada no lugar de De Nadal. Ele já respondeu pela função em 2013, em seu primeiro mandato como deputado estadual. Chiodini retornou ao parlamento, após ter permanecido por um longo período no cargo de secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Social.

De Nadal de pé, passou a liderança para Chiodini sentado a direita.

Buscando o caminho

Os emedebistas estão buscando o seu caminho sem pensar no PSD. Os principais alvos da cobiça do MDB são o PSDB e o Partido da República, que já está muito próximo de um acordo. Mas ontem chamou a atenção de todos o encontro do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), com o ex-conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Júlio Garcia, que deverá disputar uma vaga à Assembleia Legislativa. A única pauta revelada foi o Campeonato Mundial de Vôlei de Praia, que saiu do Rio de Janeiro e será realizado em Itapema de 16 a 20 de maio. A conversa teve a presença da prefeita Nilza Simas (PSD). Um novo encontro entre Garcia e Pinho Moreira estaria marcado para a próxima semana. “Isso não é novidade. O Júlio tem um ambiente muito tranquilo com o MDB e o governador, com quem tem uma relação de amizade de anos”, afirmou uma fonte.

Contatos imediatos

Ainda não foi possível saber em qual grau, mas uma fonte emedebista garante que o pré-candidato a deputado estadual Júlio Garcia (PSD) tem mantido alguns contatos em separado com deputados estaduais do MDB. Considerado como uma referência na política estadual pelos emedebistas, Garcia estaria “em casa” de acordo com uma liderança, onde tem mantido o que foi definido como um “bom diálogo” com o seu partido. A fonte negou que tenham havido encontros com a bancada, somente conversas individuais teriam sido realizadas.

Vai desonerar

Nos próximos dias deverá chegar a Assembleia Legislativa um projeto de lei, que está sendo trabalhado pelo secretário de Estado da Fazenda Paulo Eli, e sua equipe. A proposta será de desoneração da indústria, sobretudo da agroindústria que passa por um momento de atenção. A ideia é desonerar evitando que haja uma cobrança antecipada, deixando com que as cobranças que se mantiverem, sejam feitas apenas na ponta, ou seja, na hora da venda final. Também está sendo levantado o índice cobrado de impostos em outros estados, pois, a ideia é ajustar o percentual ao mesmo patamar dos que tiverem em vantagem fiscal. “Temos que nos tornar cada vez mais competitivos, por isso essas correções serão feitas”, relatou uma liderança do governo.

Eli assumiu a Fazenda com a missão de manter a competitividade de SC

Conversas

O PSDB mantém o discurso interno de incentivo ao senador Paulo Bauer, que é o seu pré-candidato ao Governo do Estado. Porém, tem quem tema o que acontecerá em relação a denúncia de caixa 2 contra ele, por isso, alguns levantam o nome do ex-prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes. As manifestações não tem sido abertas, mas, em conversas mais fechadas, já que há um grande respeito por Bauer. Além disso, tem os que defendem que o nome do presidente estadual da legenda, deputado Marcos Vieira, não deve ser desconsiderado, principalmente após o seu trabalho de fortalecimento dos tucanos.

Bauer e Napoleão. Quem será?

Blumenau

Após a renúncia de Napoleão Bernardes (PSDB), o novo prefeito de Blumenau Mário Hildebrandt (PSB), começa a querer impor o seu ritmo, já que teve uma atuação intensa como vice de Bernardes. Isso deu a ele um ganho de tempo que agora poderá se transformar em vantagem, já que é dito no Vale que o pessebista trabalhará de olho na próxima eleição municipal. Fontes indicam que Hildebrandt dará a sua cara, mesmo que termine as obras iniciadas pelo ex-prefeito tucano, promete deixar a sua marca. As primeiras ações já indicam isso, quando puxou para o seu gabinete César Botelho, que é o novo chefe do setor, Júlio de Souza Filho que assumiu a Procuradoria Geral do município, e André Espezim na Secretaria de Comunicação e Relações Institucionais.

Hildebrandt começa a dar a sua cara.

Fabiana no DEM

Conforme eu já havia adiantado em primeira mão, Fabiana Rodrigues assinou ficha no Democratas. Ontem o presidente estadual do partido, deputado João Paulo Kleinubing confirmou a informação. Fabiana não entra atoa no jogo político. Ela é a garantia da presença da família Rodrigues no cenário eleitoral, portanto, se João Rodrigues (PSD) não disputar, Fabiana será a pré-candidata demista à Câmara dos Deputados. Mesmo assim, Kleinubing me disse ontem que a ida da empresária para o partido, não a obriga a disputar. “Essa é uma decisão que será tomada por ela”, afirmou.

Fabiana já tem feito contatos políticos.

Rodrigues a caminho?

Uma fonte informou que o deputado federal João Rodrigues (PSD) que segue preso em Brasília, teria assinado ficha no Democratas, porém, que ainda está sendo estudada uma forma jurídica de registrar no cartório, mas essa informação não é confirmada oficialmente. É claro que a situação pessoal de Rodrigues devido a sua prisão deve ficar em primeiro lugar, muito antes da questão política, como pedem familiares e amigos próximos. Mas como liderança política, qualquer movimento seu gera interesse ao cenário político.

Lummertz toma posse

Vinicius Lummertz ao assumir o Ministério do Turismo se tornou ontem o 12º catarinense num cargo de ministro ao longo da história no pós-democratização. Ele assumiu no lugar de Max Beltrão, que disputará uma vaga ao Senado. Lummertz é um dos principais especialistas em turismo no país e, à frente da Embratur levou o Brasil a ser mais reconhecido no exterior. Formado em Ciências Políticas pela Universidade Americana de Paris, Lummertz estava na Embratur desde junho de 2015, por indicação do deputado federal Mauro Mariani (MDB). Ele foi secretário de Turismo, Esporte e Cultura de Florianópolis e diretor nacional e estadual do Sebrae. Ele também foi secretário de Estado do Planejamento e Relações Internacionais de Santa Catarina de 2007 a 2010, além de ocupar o cargo de secretário Nacional de Políticas de Turismo do Ministério do Turismo, de setembro de 2012 a maio de 2015.

Homenagem

Após o ato de posse do novo ministro do Turismo Vinicius Lummertz, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) participou de uma homenagem ao ex-governador Luiz Henrique da Silveira, sendo inaugurada uma placa com a fotografia do político no gabinete de Lummertz. Em seguida, ocorreu a transição de posse, onde o então titular do ministério Max Beltrão passou ao catarinense o comando do órgão. Além de lideranças políticas, a secretária de Articulação Nacional, Lourdes Coradi Martini, e o prefeito de Florianópolis Gean Loureiro (MDB) também estiveram presentes no ato.

ADIN

Fontes dizem que o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) embarcou bufando no voo que o trouxe de volta ao estado, após a posse do ministro Vinicius Lummertz. É que ele soube que foi derrubado na Assembleia Legislativa o veto parcial do então governador Raimundo Colombo (PSD), ao projeto de Planos de Cargos e Salários dos servidores da Defensoria Pública estadual.  Hoje Pinho Moreira terá uma reunião para determinar a entrada em uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no STF, já que a folha salarial do Estado contando ativos e inativos já ultrapassou há tempos o limite máximo determinado pela Lei de Responsabilidade.

 

Coruja no Podemos

O partido do presidenciável Álvaro Dias, e do deputado estadual Natalino Lazare, ganhou mais um reforço de peso. O deputado estadual Fernando Coruja deixou o MDB para se filiar ao Podemos. Assim, a bancada ganha mais um parlamentar, além de ter um pré-candidato ao Senado, pois essa é a intenção de Coruja que também já foi deputado federal. O interessante é que a ligação de Lazare com o pré-candidato a governador, deputado Gelson Merisio (PSD), leva o Podemos para a aliança que está sendo construída pelo pessedista, tendo agora dois pré-candidatos ao Senado que já foram prefeitos de Lages: Raimundo Colombo e Coruja.

Coruja se despediu ontem da bancada do MDB.

Nova pesquisa

O Datafolha divulgará uma nova pesquisa à Presidência da República neste próximo domingo. O nome de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não está nos cartões principais, mas constará na pesquisa. Dependendo de seu desempenho, poderá aumentar ainda mais os discursos do PT, demais partidos de esquerda e movimentos sociais de politização de sua condenação.

Nome de Lula

Todos os deputados federais e senadores do Partido dos Trabalhadores, apresentaram um pedido de registro no painel de seus nomes, acrescentando o apelido Lula. O pedido ainda carece de aprovação do presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM), e do Senado Eunício de Oliveira (MDB). Caso aprovado, aparecerá no painel de votações, nomes como Pedro Lula Uczai, Décio Lula Lima, Gleisi Lula Hoffmann entre outros. Os parlamentares decidiram a adoção do nome baseados na fala do ex-presidente no dia de sua prisão, quando disse que “mais Lulas vão nascer neste país e mais gente vai querer brigar neste país”, afirmou. A Câmara de Vereadores de São Paulo adotou a mesma medida, e vereadores de outros municípios pensam em fazer o mesmo.

Cópia do documento apresentado pelo deputado Paulo Pimenta.

Juros altos

O senador Dalirio Beber (PSDB) participou ontem de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos, com a presença do presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, que destacou o índice de inflação, medido pelo IPCA, que deve fechar em 3,8% neste ano. São esperados 4,1% para 2019 e 4% para 2020. Para o senador Dalirio, a apresentação de Goldfajn foi bastante positiva, mas o que se vê são ainda, são os juros altos que preocupam a sociedade brasileira. Ainda segundo o presidente do BC, algumas medidas dependem do Poder Legislativo, como a aprovação do projeto que trata do cadastro positivo de consumidores, que é de autoria de Beber. O texto já passou pelo Senado e está para ser analisado pela Câmara dos Deputados.

Dalirio cobrou explicações.

Em tempo

No próximo dia 17, a primeira turma do Supremo Tribunal Federal decidirá se receberá a denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), ou se a rejeita. Acatando, o STF terá o tucano como réu por corrupção e obstrução de Justiça. Os ministros que decidirão a situação de Aécio são Marco Aurélio Mello que é o relator, Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Alexandre de Moraes e Rosa Weber. O senador é acusado de pedir propina para Joesley Batista no valor de R$ 2 milhões. A conversa foi gravada e nela aparece Aécio dizendo que a pessoa que pegaria o suposto dinheiro da propina, seria alguém que se mataria antes de delatar. Há tempos Aécio deve explicações não somente por este caso, mas também por outras suspeitas. Se o STF rejeitar uma denúncia com provas tão claras, estará se colocando em uma difícil situação perante a opinião pública.

Aécio deve virar réu na Lava Jato.

Foz do Chapecó

A Foz do Chapecó Energia lança neste mês o programa Vizinho Amigo. O projeto vai recompensar com prêmios em dinheiro produtores rurais e agricultores familiares lindeiros ao reservatório da Usina, que realizam ações de conservação às Áreas de Preservação Permanente (APPs). Para participar, é preciso ler com atenção o regulamento e preencher a ficha de inscrição disponíveis no site da empresa: fozdochapeco.com.br. Mais informações no (49) 3325.1257/1248 ou nas secretarias de Agricultura dos municípios de Águas de Chapecó, Caxambu do Sul, Guatambu, Chapecó, Paial e Itá, em Santa Catarina; e Alpestre, Rio dos Índios, Erval Grande, Faxinalzinho e Itatiba do Sul, no Rio Grande do Sul.

Suspenso

Por cinco dias está suspenso o andamento de uma ação que poderá suspender as prisões em casos de condenação em segunda instância. O ministro do Supremo Tribunal Federal Marco Aurélio Mello, aceitou o pedido do Partido Ecológico Nacional (PEN), que teme a reação da opinião pública, pois a ação entra na pauta justamente em um momento que poderá beneficiar o ex-presidente Lula (PT). Lideranças da legenda negam que tenham entrado com o pedido para beneficiar apenas uma pessoa, no caso, o petista.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest