Celesc vai negociar com inadimplentes da Grande Florianópolis com isenção de juros e multas

Nestes tempos de grana curta, alto desemprego, com famílias passando dificuldades para manter suas contas em dia, inclusive de água e luz, iniciativas que visem contribuir para a retomada de força econômica dos contribuintes são meritórias e muito bem vindas. É o que fará a Celesc a partir do dia 27 de novembro na Grande Florianópolis.

Faturas em atraso, ações administrativas ou judiciais por falta de pagamento da conta de luz podem ser negociadas com a Celesc durante a 12ª Semana Nacional de Conciliação, realizada pelo Tribunal de Justiça, em parceria com a Prefeitura de Florianópolis, de 27 de novembro a 1 de dezembro, no Fórum Central da Capital.

O acordo será feito com isenção de juros e multas, sendo que após o acordo o cliente terá um boleto para pagar uma entrada de 15% do valor devido. O pagamento restante poderá ser feito em até 11 parcelas, cobradas diretamente na fatura mensal da Celesc.

A advogada da Celesc Distribuição, Miriane Heidrich, explica que todos os moradores da Grande Florianópolis inadimplentes até novembro de 2017 podem aproveitar a oportunidade para quitar as dívidas. “O serviço será oferecido a pessoas físicas ou jurídicas, sejam clientes residenciais, empresariais, industriais ou rurais”, disse.

A Celesc vai disponibilizar dez estações de trabalho com oito atendentes diários, todos capacitados para fazer a conciliação financeira. O atendimento será de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 17h, com sistema de distribuição de senhas.

“É importante ressaltar que cada atendimento demora, então as pessoas devem procurar o serviço com tempo para resolver a situação”, explica Miriane, ao lembrar que todas as senhas geradas serão atendidas no mesmo dia e o cliente sairá com um boleto bancário no valor do ato, de 15% do valor conciliado.

Acordos podem recuperar o dobro em relação a 2016
Em 2016, a Celesc estendeu em uma semana, por conta própria e encerrou o período com 441 acordos, que representaram R$ 2 milhões negociados. A previsão para este ano é recuperar em torno de 50% a mais.

Os documentos necessários para fazer a quitação da dívida são o CPF e o comprovante de que o cliente é o titular da conta. Caso a pessoa não possa comparecer, deve fazer uma procuração simples, registrada em cartório, para um representante.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest