Casan apresenta prejuízo líquido, PT aposta no adiamento da eleição deste ano, pessedistas descontentes com Colombo entre outros destaques

A Casan apresentou um prejuízo líquido no ano passado, de R$ 28,48 milhões, o que representou uma retração de 200,37% em relação ao lucro líquido de 2017, que foi de R$ 28,37 milhões. O prejuízo líquido ficou em R$ 101.37 milhões no 4º trimestre de 2017, valor 2.520,99% inferior ao lucro líquido apurado no mesmo período do ano anterior, que foi de R$ 4.19 milhões.

Além disso, o desempenho da estatal foi inferior ao valor médio dos últimos cinco anos, quando teve um lucro médio anual de R$ 25,43 milhões. Por outro lado, a receita líquida da Casan teve um aumento de 11,27% de 2016 para 2017, passando dos R$ 917,43 milhões, para R$ 1.02 bilhões no ano passado, sendo maior que o valor médio desde 2012, quando chegou aos R$ 827,96 milhões.

Quanto aos ativos totais da companhia, chegaram aos R$ 3,23 bilhões, no quarto trimestre de 2017, representando um incremento de 11,31%, superando os R$ 2,9 bilhões em 2016. Os dados apresentados pela própria Casan ao mercado financeiro incluindo a Bovespa, não considera o resultado financeiro das subsidiárias que estão sob o seu controle.

Por sua vez, o patrimônio líquido da estatal apresentou uma queda de 2,42%, quando comparado os valores contábeis que os seus sócios possuíam no fechamento do quarto trimestre do ano passado, que era de R$ 1.31 bilhões, menor em relação a 2016 que ficou nos R$ 1.34 bilhões. Já a dívida aumentou no final do ano passado em 13,68%, chegando aos R$ 961.03 milhões, ou seja, um passivo maior do que no ano anterior que ficou em R$ 845.38 milhões.

Antecipou

No início da tarde de hoje, por volta das 13h30 o governador licenciado Raimundo Colombo (PSD), irá até o gabinete do presidente da Assembleia Legislativa Aldo Schneider (MDB), para entregar a sua carta de renúncia. Após, ele descerá até a sala de imprensa onde concederá uma entrevista coletiva. Vale lembrar que o ato era para ser realizado somente amanhã, o que causou estranheza e uma corrida por informações sobre o motivo da antecipação. Uma fonte chegou a dizer que Colombo quis evitar de ir na Alesc no mesmo dia em que Eduardo Pinho Moreira (MDB) tomará posse oficialmente.

A posse

Eduardo Pinho Moreira (MDB) assume amanhã o Governo do Estado, em sessão especial às 10h30, na Assembleia Legislativa, em Florianópolis. O ato se dá devido à renúncia do governador Raimundo Colombo (PSD). Conforme determina o artigo 40 da Constituição Estadual, a posse de governador e vice é de competência exclusiva da Assembleia, e caberá ao presidente da Alesc, deputado Aldo Schneider (MDB), dar posse a Pinho Moreira, mediante a assinatura do termo em sessão solene no plenário do parlamento. O mandato vai até 31 de dezembro deste ano. Na linha sucessória após Pinho Moreira, virão o presidente da Assembleia e o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rodrigo Collaço.

Golpe

Ontem uma fonte me disse que setores do PSD estariam surpresos com informações de que Raimundo Colombo (PSD), estaria planejando ao lado de Júlio Garcia, o que chamou de um golpe para cima dos que defendem a pré-candidatura do deputado Gelson Merisio (PSD) a governador. A informação dá conta de novas movimentações de Colombo e Garcia para levar o PSD a apoiar o MDB e, que além disso, já haveria uma estratégia para se aproximar do PSDB com o apoio do ex-governador Jorge Bornhausen, apontando o vice dos tucanos. Essa situação irritou lideranças pessedistas que ameaçam boicotar o evento organizado por Colombo para este sábado (07) em Lages, sobretudo pela prometida presença maciça de emedebistas, incluindo o já empossado governador Eduardo Pinho Moreira (MDB).

Mais agressividade

Uma liderança emedebista me disse que o seu partido, será mais agressivo nas conversas com outras legendas a partir deste sábado (07). Segundo a fonte, tem partidos a exemplo do PR e do PSDB que esperam por uma proposta mais formal, pois as primeiras conversas teriam sido apenas de apresentação de intenções. “Vamos sentar à mesa e vamos nos despir. Quem senta a mesa tem que se despir, não pode impor, tem que ter humildade e ouvir os outros”, disse a liderança, mas, chamando a atenção para o fato de que ninguém imagina ver o MDB abrindo mão da cabeça. “Nem passa pela nossa cabeça”, afirmou.

Decisão do STF

Ontem era cerca de 20h50 quando iniciava o voto do ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli, quando publiquei aqui no SC em Pauta que a tendência seria pelo placar de 6 a 5 contra o Habeas Corpus. Acontece que Rosa Weber já havia votado e, apesar de ser contra a prisão em segunda instância, a ministra defende que a decisão da corte deve ser seguida e respeitada, portanto, como em 2016 venceu em plenário a tese da prisão em segunda instância, era dessa forma que ela iria votar. Na sequência, viria Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello e Celso de Mello, todos contrários a prisão nesta fase do processo e, por fim, a presidente Carmen Lúcia que deu o voto de minerva. Portanto, não era preciso uma leitura mais apurada. Apenas observar a posição de cada ministro nos mais diversos temas debatidos no STF, que por muitas vezes sob a cortina dos embates jurídicos, esconde a visão ideológica de mundo que cada um tem. Talvez, o único voto realmente coerente e desapegado foi justamente o de Rosa Weber, que se despiu de suas convicções para simplesmente fazer o que todos os ministros deveriam ter feito: Seguido a jurisprudência.

PT pensa no cenário

No PT as manifestações internas são de que o ex-presidente Lula (PT), será registrado como candidato até vencer os últimos recursos para o registro no TSE até 15 de agosto. Depois,  Fernando Haddad ou José Eduardo Cardozo devem assumir a condição de candidato. Além disso, o partido tomará outra decisão que entender como melhor para ele próprio e pelas demais coligações caso esses nomes não absorvam a intenção de votos para Lula. Uma fonte me disse que sobre o próximo cenário, a percepção dos petistas é de que uma nova denúncia será apresentada a Câmara para o afastamento do presidente Michel Temer (MDB), e Rodrigo Maia (DEM) deverá assumir a Presidência. Neste caso, ele formaria um governo de coalizão e, proporia a prorrogação dos atuais mandatos federais e estaduais e o adiamento das eleições gerais para 2020. No entendimento interno do PT, essa seria a forma de pacificar o país. Outro ponto é que o partido realmente ficou preocupado com a manifestação do comandante geral do Exército, general Eduardo Villas Boas.

Pavan deixa a SOL

Ontem a tarde o ainda secretário de Estado do Turismo, Esporte e Cultura Leonel Pavan, anunciou que hoje fará o seu último ato oficial no setor, pois está se desincompatibilizando para ficar a disposição do PSDB para a eleição. Pavan fez um relatório do seu período de 15 meses à frente da pasta, e antecipou que voltará a defender a continuidade da estrutura da Secretaria junto ao governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), com quem já teve uma conversa preliminar neste sentido.

Política

Sobre o futuro político, Leonel Pavan que reassumirá o seu cargo na Assembleia Legislativa, disse que estará à disposição para uma vaga de vice-governador na chapa majoritária dentro de eventuais composições do PSDB com outros partidos. Ele também afirmou que não pensa em deixar as fileiras tucanas, mas que também pode não concorrer e só ajudar na coordenação da campanha estadual e nacional.

BR-280

O ministro dos transportes Valter Casemiro confirmou para a bancada parlamentar de Santa Catarina, que no próximo dia 11 fará a entrega da Ordem de Serviço para o início do lote 1 da duplicação da BR-280. O deputado federal Marco Tebaldi (PSDB) participou da reunião com o ministro e obteve dele uma declaração exclusiva. “Este trecho vai beneficiar a economia, o turismo e as cidades envolvidas, bem como proteger muitas vidas que correm risco”, avalia Tebaldi. Esta é uma luta antiga de todos os municípios do nordeste de Santa Catarina, e também de todos os setores econômicos que dependem do Porto de São Francisco do Sul.

Trevo de Irani

Palco de muitos acidentes, o conhecido trevão do Irani, é um dos locais mais perigosos da região Meio-Oeste catarinense. O local possui intenso tráfego de veículos, sendo ligação de duas rodovias importantes rodovias, a BR-153 que corta o estado em sentido norte/sul e a BR- 282 que corta no sentido leste/oeste. O deputado estadual Neodi Saretta (PT), voltou a reivindicar melhorias urgentes no local. Ele encaminhou uma solicitação ao Diretor Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), pedindo melhorias na sinalização e a construção imediata de um elevado.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest