Camasão quer uma secretaria para as cidades, as movimentações da política entre outros destaques

Na sexta-feira foi a vez de Leonel Camasão (PSOL) ser o sabatinado, na série de entrevistas com os candidatos ao Governo do Estado, realizada pela Super Condá AM 610 em parceria com a Unochapecó.

Durante o programa, Camasão defendeu a criação da Secretaria Estadual das Cidades, que substituirá caso ele seja eleito, as regionais. “Mais de 80% dos municípios tem menos de 20 mil habitantes. É um movimento que começa a crescer no Brasil devido as dificuldades financeiras. Será um setor técnico para descentralizar os serviços”, afirmou.

Quando questionado a respeito do artigo 170 e, se o mesmo pode beneficiar apenas as universidades públicas e comunitárias, Camasão disse que poderá pensar. Além disso, ele pensa na ampliação do ensino público e gratuito e, proporá a redução do repasse do duodécimo aos demais poderes, para que as sobras possam ser revertidas para a educação.

A respeito do combate as drogas, o candidato do PSOL defende que seja tratado como questão de saúde pública e, anunciou que se eleito, não pagará as aposentadorias aos ex-governadores, para sobrar mais dinheiro que se reverterá em serviços à população. “Eu desafio os ex-governadores a entrarem na justiça querendo o direito adquirido”, disse Camasão.

Em relação a previdência, Camasão pedirá uma auditoria, pois, segundo ele, o dinheiro dos aposentados foi utilizado pelo governo para outros gastos, tornando o setor previdenciário insustentável.

Comunicação

Eu tenho visto as coordenações de campanha ao Governo do Estado, extremamente preocupadas apenas com os programas e os debates na TV. Acreditam piamente que é um fator determinante para o pleito. Sim, a televisão tem o seu papel, é importante e influente, mas não se pode desconsiderar o rádio. Uma verdadeira estratégia deveria não menosprezar o rádio, mas, sim, entender que nas grandes cidades a TV aberta chega a casa das pessoas, porém, nos municípios menores, no interior e até mesmo em parte das cidades grandes, predominam a parabólica e a TV a cabo, o que atrapalha o acesso aos programas eleitorais aqui do estado. É só fazer uma simples pesquisa para saber que é assim. É aí que entra o rádio, que tem a sua tradição, pode ser ouvido além de casa, no carro e no trabalho sendo a exemplo da televisão, um veículo de massa. Vejam, a nossa TV estadual é extremamente importante e realiza um trabalho grandioso, além de ter o seu glamour. Eu acredito muito na televisão. Mas meu objetivo aqui, é dizer que o rádio também é influente e tem a sua força. Além disso, tem os portais a exemplo do SC em Pauta, que são voltados à política. Nós sabemos em números, o quanto somos representativos. Portanto, que os candidatos valorizem os espaços para entrevistas e debates em todas as plataformas.

Lula, e a (in)sensatez

O Partido dos Trabalhadores insiste em manter o discurso do golpe. O alvo da vez é o Tribunal Superior Eleitoral, que impediu a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso em Curitiba. O governador mineiro, Fernando Pimentel, que tenta a reeleição, disse que seguirá usando o nome de Lula em sua campanha, enquanto que a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, anunciou que o partido irá até as últimas consequências para que Lula tenha o direito de ser candidato. Em meio a tudo isso, a voz da sensatez nas hostes petistas. Logo após o resultado do TSE, o candidato a governador de Santa Catarina, Décio Lima (PT), escreveu em sua página no Twitter que a partir de agora, “Haddad é Lula”. Eu vi no gesto de Lima, uma forma de chamar a militância petista a superar essa situação do ex-presidente, apoiando o candidato real do partido que é Fernando Haddad para participar ativamente do pleito. Se insistir na sangria, os petistas tem muito mais a prejudicar Haddad, sobretudo por impedi-lo de fazer campanha em sua plenitude, participando de entrevistas e debates. Essa, é a verdadeira receita de partidos que não se renovam, centralizam o poder e depois quando esse mesmo líder sai do jogo, se percebem perdidos sem alguém a altura.

Colombo

O pedido da promotora, Rosemary Silva, da 27ª Promotoria de Justiça, pedindo o arquivamento do inquérito pelo Ministério Público sobre o caso Odebrecht, dá força ao ex-governador e candidato ao Senado pela coligação “Aqui é trabalho”, Raimundo Colombo (PSD). Líder nas primeiras pesquisas, o ex-governador se livrando desse caso, não terá mais o desgaste de ter que explicar, podendo centrar a sua eleição em suas propostas para a Câmara Alta. “Acho que Deus não dá uma cruz mais pesada do que a gente pode carregar e tudo isso me ensinou muito e me ajudou a ser uma pessoa ainda mais equilibrada, mais madura. Que Deus ajude que a gente tenha força e possa cada dia vencer os desafios”, salientou Colombo.

Quase centenário

De passagem por Imbituba no sábado (1), o candidato do MDB ao Governo do Estado, Mauro Mariani (MDB), e seu vice, Napoleão Bernardes (PSDB), receberam o apoio de um dos mais antigos líderes emedebistas do Estado. Aos 99 anos, Eduardo Elias fez questão de participar da carreata pelas ruas da cidade. Primeiro prefeito do MDB no Sul, entre 1973 e 1977, o aposentado também tem atuado como cabo eleitoral. Quase todos os dias, ele vai à rodoviária da cidade para entregar santinhos dos seus candidatos. Em sua vida quase centenária, Elias diz que nunca cogitou trocar de partido. “Eu só voto se for 15”, disse ele para Mariani.

SUSC

O candidato petista ao Governo do Estado, Décio Lima, mais uma vez prometeu que se eleito, criará o Sistema Único de Saúde de Santa Catarina (SUSSC). Segundo ele, a rede de filantropia que atende um universo muito maior de pacientes pelo SUS, recebe 30% dos recursos, enquanto a estrutura do Estado recebe 70% e atende menos. “O SUSSC vai reunir a estrutura hospitalar própria do Estado, os filantrópicos e vamos chamar para esse processo todas as políticas que estão no conteúdo do SUS, desenvolvidas pelos municípios. Será um processo integrado, com sinergia, para acabar com o flagelo que vivemos hoje”, afirmou.

Saúde

O candidato a governador, Gelson Merisio (PSD), em sua passagem pelo estado, voltou a falar sobre a PEC da Saúde, projeto de sua autoria que aumentou de 12% para 15% o gasto obrigatório na área da Saúde. Segundo Merisio, a medida representará cerca de R$ 8 bilhões a mais para o setor nos próximos dez anos.

Vá ao Sicredi

Como cooperativa de crédito que tem uma visão diferenciada do mercado, o Sicredi se preocupa com a sua saúde financeira. É por isso, que trabalha na orientação de seus associados para que tomem as melhores decisões quando o assunto for a administração de seu dinheiro. Uma vida financeira organizada tem como resultado, a possibilidade de realizar bons investimentos, podendo render mais prosperidade e a realização dos seus sonhos. Por isso, tanto os clientes pessoa física, quanto jurídica, tem acesso as orientações do Sicredi, inclusive sobre como implementar ações e programas com o objetivo de capacitar funcionários e colaboradores, para a melhor forma de gerir aquela que é a maior contrapartida que recebem pelo seu trabalho: o dinheiro. Procure o Sicredi. Gente que coopera cresce!!

Sabatinas

Seguindo a série de entrevistas com candidatos ao Governo do Estado, numa parceria entre a Unochapecó e a Rádio Super Condá AM 610, amanhã o entrevistado será Carlos Moisés da Silva (PSL). Mauro Mariani (MDB) participa na quarta-feira (05) e Décio Lima (PT) encerra na quinta-feira (06). Os programas começam as 08h45.

Lançou

O deputado estadual, Cesar Valduga (PCdoB), candidato à reeleição, tem concentrado sua campanha em prestar contas do trabalho desenvolvido em seu primeiro mandato no Parlamento Catarinense. Na última semana, o deputado realizou três lançamentos de sua candidatura à reeleição em Chapecó e no sábado na cidade de Capinzal. A grande festa de largada foi na quarta-feira, no bairro São Pedro com a presença da candidata a deputada federal, Angela Albino (PCdoB).

No Oeste

A comitiva do Presidente do PSL-SC, Lucas Esmeraldino, que é o candidato ao Senado do partido de Jair Bolsonaro, no Estado, esteve percorrendo a Região Meio Oeste Catarinense, durante este fim de semana. No sábado Esmeraldino passou por diversos municípios durante o dia, concentrando a reunião com lideranças no início da noite, no município de Lebon Régis. O momento segundo ele, foi para escutar a população e apresentar as propostas.

ATENÇÃO!! As atividades eleitorais dos candidatos à majoritária, são divulgadas conforme são repassadas as informações pelas coligações.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest