Bauer pode ser investigado por suposta corrupção, Cobalchini quer apaziguar o clima no MDB, Hobus critica o governo entre outros destaques

O que era uma investigação de um suposto caixa 2 contra o senador Paulo Bauer (PSDB), poderá se tornar um inquérito a pedido da Procuradoria Geral da República, para investigar supostos atos de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O relator no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, submeteu o pedido da procuradora Raquel Dodge, para a presidente da corte, Carmen Lúcia, que o manteve como o relator. Vale lembrar que Bauer é suspeito de ter recebido R$ 11,5 milhões da empresa Hypermarcas, quando disputou o Governo do Estado em 2014, dinheiro o qual, segundo a PGR, teria sido repassado através de contratos fictícios com empresas e um escritório de advocacia de Florianópolis.

A delação do ex-executivo da Hypermarcas Nelson José de Mello, indica Bauer como autor de um emenda constitucional para isentar os medicamentos de impostos. Se o inquérito for aberto, será mais um duro golpe às pretensões do tucano de disputar a eleição à Casa D’Agronômica, pois, mesmo sendo um crime o uso de caixa 2, soa menos pesado aos ouvidos da população, do que ser investigado por supostos atos de corrupção e lavagem de dinheiro.

Bauer não irá se pronunciar, mas terá que discutir com o seu partido uma estratégia para tornar o desgaste o menor possível, ou então, poderá até mesmo começar a pensar em mudar os seus planos para o pleito, quem sabe tentando uma vaga ao Senado, dando lugar para o ex-prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes. O certo é que hoje os tucanos começam a avaliar se vale a pena manter uma candidatura que prenderá o partido ao debate moral, tomando o espaço das propostas. Mesmo com a força que o cargo de senador e o recall da última eleição lhe dá, para assumir a cabeça de uma aliança, Bauer terá grandes dificuldades para se manter como pré-candidato.

Clique e leia a petição: 482f3a60261a63716da230e415d1e32b

Resposta da defesa

Segue a nota enviada pelo advogado do senador Paulo Bauer (PSDB):

Na qualidade de advogado do Senador Paulo Bauer, perante o Poder Judiciário, tenho a esclarecer:

 

1 – A Procuradoria Geral da República considerou necessários maiores esclarecimentos a respeito de delação premiada em que foram feitas afirmações contra o Senador;

 

2 – O delator mencionou o nome do Senador como tendo sido beneficiado com recursos da empresa, através de pagamentos por ela realizados pela prestação de serviços contratados e não executados;

 

3 – O Supremo Tribunal Federal recebeu da PGR solicitação para dar seguimento aos procedimentos mediante a abertura de inquérito judicial, especificando os fatos a serem investigados;

 

4 – Em razão de a denúncia em questão NÃO TER nenhuma relação com fatos investigados no âmbito da “Operação Lava Jato”, o Ministro manifestou-se no processo, informando que a denúncia deveria ser analisada isoladamente e, neste caso poderia caber a outro Ministro a incumbência de autorizar ou não o procedimento requerido pela PGR;

 

5 – O procedimento constitue-se em MERO EPISÓDIO PROCESSUAL que não afeta, altera ou acrescenta fatos novos aos já conhecidos e mencionados pelo delator;

 

6 – O Senador Paulo Bauer aguarda a oportunidade legal para manifestar-se perante o Judiciário, certo de que terá sua inocência reconhecida em razão da inexistência dos fatos mencionados pelo delator e da consequente falta de comprovação dos mesmos.

 

Brasília (DF), 15 de maio de 2018.

 

Dr JOSÉ EDUARDO ALCKMIN

OAB/DF 2977

Schneider internado

 Conforme eu divulguei ontem a tarde, o presidente da Assembleia Legislativa Aldo Schneider (MDB), está internado no Hospital Baia Sul em Florianópolis. Enfrentando um tratamento contra o câncer, Schneider sentiu falta de ar quando estava em sua casa na manhã de ontem. Por esse motivo, foi levado para o hospital onde foi internado assim que chegou. O deputado também se encontra com problema na voz, devido aos efeitos colaterais do tratamento. Parlamentares tentaram visitá-lo, mas devido a imunidade baixa, Schneider não pode receber visitas. Não há uma previsão de alta.

Saúde de Pavan

Um boletim médico atualizado as 19h de ontem, sobre o estado de saúde do deputado estadual Leonel Pavan (PSDB), mostrou que o quadro segue inalterado. Ele foi internado no Hospital da Unimed de Balneário Camboriú, após sofrer um AVC quando fazia uma sessão de pilates. A nota assinada pelos médicos Renata Waltrick e Humberto da Silva, informa que Pavan segue na UTI em estado considerado grave, porém, estável. Ele respira por aparelhos e está tendo a atividade cerebral monitorada.

Fake news

Ontem correu no Vale do Itajaí um boato cruel, que falava que o deputado estadual Leonel Pavan (PSDB) havia falecido. Teve gente ligada a Prefeitura de Itajaí que chegou a ir até uma Floricultura, para encomendar uma coroa de flores. É lamentável a falta de caráter de quem cria esse tipo de mentira.

Nossa Senhora de Alexandria

Uma estatueta de nossa Senhora de Alexandria, santa protetora dos catarinenses, ficou sob a mesa da coletiva à imprensa concedida pelo governadores Eduardo Pinho Moreira (MDB), e Hugo Pasalacqua, na província de Misiones, na Argentina. Os governadores destacaram a importância de aproximar os estados, uma vez que a geografia já aproxima os seus povos. “Temos o desafio de inserir o ensino bilíngue nas escolas catarinenses e integrar nossas ações de forma permanente”, disse Moreira, que assinou três acordos de cooperação durante o evento.

Bancada do MDB

A secretária de Estado da Educação Simone Schramm, esteve ontem no almoço da bancada do MDB na Assembleia Legislativa. Ela falou das exonerações dos detentores de funções gratificadas e dará uma enxugada grande na estrutura central para fortalecer a base. “Ela foi corajosa na atitude”, avaliou um deputado. Outra presença foi a do comandante da Polícia Militar, coronel Araújo Gomes. Ele relatou que o estado tem apresentado bons resultados nos índices de criminalidade, os quais, segundo o comandante, já é possível destacar, como a redução de 40% da violência em Joinville, e de 30% em Florianópolis.

Quer apaziguar

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Valdir Cobalchini (MDB), vai buscar o apaziguamento dos ânimos dentro de seu partido, sobretudo após as declarações feitas pelo deputado federal Mauro Mariani, que fez algumas críticas sem citar nomes, contra outros líderes emedebistas. “O Mauro tem que estar onde o Eduardo estiver. E se o Eduardo estiver bem, pode ser bom para o Mauro, seria um grande cabo eleitoral”, afirmou Cobalchini. O líder do MDB na Alesc, deputado Carlos Chiodini também auxiliará Cobalchini na construção de um discurso único dentro do partido.

Conselheiro

Visando alcançar o Senado Federal nas eleições deste ano e fortalecer a sua candidatura, o PSC de Santa Catarina discute fortes coligações dentro do estado. Na tarde de ontem, o presidente do partido, o deputado estadual Narcizo Parisotto, reuniu-se com o presidente estadual do PR, o deputado federal Jorginho Mello. A conversa amigável foi pautada por muitos conselhos e troca de ideias sobre os rumos dos partidos.

Justiça célere

Na sessão de ontem, os deputados estaduais aprovaram na Assembleia Legislativa um requerimento para tornar em regime de prioridade, o projeto de lei que busca uma maior estruturação para a Justiça analisar com rapidez e eficiência os processos de primeiro grau, analisados pelos juízes das comarcas. “Defendo o fortalecimento da Justiça. Com o fim do foro privilegiado, precisamos dar aos juízes de primeiro grau as condições para rapidamente responderem à sociedade. Isso tem que ser prioridade!”, afirmou o deputado Gelson Merisio (PSD). O projeto busca dobrar a estrutura de apoio aos juízes de 1º grau a partir da contratação de 462 novos assessores jurídicos e do reenquadramento de 402 funções gratificadas já existentes. Na prática, cada juiz passará a contar com quatro, ao invés de dois assessores em gabinete.

Energia

Municípios poderão ser dispensados de fazer licitação para contratar concessionária ou permissionária de distribuição de energia elétrica. É o que estabelece o Projeto de Lei de autoria do senador Dalirio Beber (PSDB), que aguarda designação de relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania. Como a análise da matéria tem caráter terminativo na CCJ, caso aprovado o texto segue direto para a Câmara dos Deputados, a não ser que haja recurso para votação no Plenário do Senado.

Hobus critica

O Deputado Estadual Milton Hobus (PSD), de volta às atividades parlamentares, destacou a votação da MP e uma Nota Oficial do Governo, que afirma a redução de impostos a atacadistas e varejistas. De acordo com Hobus, quando o Governo do Estado, em 20 de março deste ano editou o Decreto 1541, que foi pessoalmente conversar com o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), e com o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli. “Fui o primeiro que cobrou do Governo que revertesse o aumento da carga tributária de 12% para 17%.”, destacou. Segundo Hobus, o tributo mais baixo é um fator de competitividade e, por isso que muitos empresários já cogitavam deixar o Estado e passar a faturar para Santa Catarina de outras unidades da Federação. Conforme pronunciamento do deputado, em 04 de abril, após não receber retorno do Governo, e o Decreto 1541, já valendo desde 1º de abril, o parlamentar protocolou na Assembleia Legislativa um Projeto de Decreto Legislativo, para sustar o Ato do Governo. Após esse fato, o governo se prontificou a um novo encontro, através da secretaria de Estado da Fazenda que iria remeter ao Parlamento a MP 220, só que segundo Hobus, as informações levadas à imprensa pelo Governo eram contraditórias.  “O governo anuncia aumento em R$ 70 milhões em receita. Se está baixando imposto, como vai aumentar a arrecadação? Algo estava errado.” Indagou.

MP prejudicava

Ainda de acordo com o deputado estadual Milton Hobus (PSD), a MP 220, prejudicava um dos setores que mais fomenta a economia estadual e gera empregos a cerca de 100 mil catarinenses, o têxtil e de confecção. De acordo com ele, o ICMS teve baixa para 1,5% emitido o crédito fiscal para os varejistas do ramo de confecção e têxtil, já que seria inviável competir com os grandes asiáticos, como a China. Com a MP esse setor que já possuía o regime diferenciado, empresas já estavam prestes a fechar as portas. “O governo não explicou de onde viriam os R$ 70 milhões. “O governo peca, não chama pra conversar e toma decisão errada em final de governo”, destacou.

Conversa

O prefeito de Campo Êre Nego Lima (sem partido), aproveitou que tinha um compromisso na Caixa Econômica para agendar uma visita ao prefeito de Chapecó Luciano Buligon (PSB). Lima acompanhado de Raquel Cristina, conversou sobre o cenário político e assuntos de interesse dos municípios do Oeste. Aproveitou para convidar Buligon para as festividades de 60 anos de Campo Erê.

Colombo recebe homenagem

A Câmara de Vereadores de Itajaí realizou ontem, sessão especial de moção de congratulação e reconhecimento ao ex-governador Raimundo Colombo (PSD), pelos serviços prestados para o município de Itajaí durante o seu mandato de 2011 a 2018. A proposição foi feita pelo vereador Carlos Augusto Rosa, o Calinhos Mecânico (Progressistas), e aprovada por unanimidade. Entre os principais investimentos realizados pelo governo Colombo, estão a duplicação entre Itajaí e Brusque, implantação do binário do São Vicente, nova bacia de evolução no complexo portuário, construção de três novas escolas de ensino médio, construção do complexo Madre Teresa no Hospital Marieta Konder Bornhausen, com mais de 200 leitos, implantação do serviço de prevenção às enchentes no Vale do Itajaí, ampliação do complexo penitenciário e do presídio feminino, além da liberação de recursos para a realização da Volvo Ocean Race para estimular o turismo e o desenvolvimento de Itajaí e região. O ex-prefeito Jandir Belini (Progressistas) e o deputado estadual Milton Hobus (PSD) participaram da sessão.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest