Bauer admite que encontrou diretores da Hypermarcas, João Rodrigues deixará o PSD, Mariani responde a Amin entre outros destaques

Bauer poderá declinar da majoritária.
Foto: Marcelo Lula

A reunião da executiva estadual do PSDB na sexta-feira (09) em Florianópolis foi tensa. Todos esperavam uma explicação do senador Paulo Bauer (PSDB), para a denúncia feita por um ex-diretor da empresa Hypermarcas, que motivou uma investigação contra o tucano por uso de caixa 2, na campanha de 2014 ao Governo do Estado.

A situação atingiu o partido em cheio e deu uma esfriada nos ânimos, justamente as vésperas do lançamento do nome de Bauer como o pré-candidato a governador pelo PSDB. Já estava tudo preparado para que num grande ato se fizesse o anúncio, mas, a pedido do próprio senador que se mostrou visivelmente preocupado, e pelo entendimento dos demais líderes da legenda de que a situação é séria, e que gerou um arranhão de grande proporção no ninho tucano, o anúncio do nome de Bauer para a majoritária foi adiado, devendo acontecer mais para o final deste mês.

Segundo uma fonte, o partido ainda teme que venha algo mais em relação a investigação nas próximas semanas e, por precaução, os líderes concordaram em segurar o lançamento. Mas essa não é a única mudança, a situação também obrigou os tucanos a buscarem um plano B, caso Bauer não consiga viabilizar uma candidatura. De olho em todo o desgaste, o senador fez para a executiva tucana, com exceção do prefeito de Blumenau Napoleão Bernardes, um relato por inteiro da situação envolvendo a prestação de contas de sua última campanha. Reconheceu que encontrou pessoalmente algumas pessoas da Hypermarcas, ainda na época do falecido senador Luiz Henrique da Silveira (MDB), a quem ele revelou que tinha uma aproximação maior com a empresa.

Porém, Bauer explicou que no encontro com os empresários, somente foi discutida a PEC de sua autoria, que estabelecia a isenção de impostos para os medicamentos, situação que era de interesse da Hypermarcas e demais empresas do setor. Quanto aos R$ 11,5 milhões, Paulo Bauer afirmou que se tivesse esse dinheiro na sua conta, que teria ganho a eleição, porém, o questionamento entre o tucanato é de que se for sustentada pelo delator a informação de que foi repassado o valor, a investigação poderá mudar o foco, para saber em qual ou quais contas esse suposto dinheiro entrou. “Mesmo assim, o Bauer se mostrou totalmente tranquilo, dando 100% de garantia de que não pegou o dinheiro”, afirmou a fonte.

Antes do fim da reunião, os participantes também se mostraram temerosos com rumores de uma nova bomba que poderia cair em cheio no ninho tucano, mas, ninguém se atreverá a falar em público a respeito disso.

Conversa com Eunício

Ainda na sexta-feira (09), o senador Paulo Bauer (PSDB) teve acesso a delação de Nelson Mello, ex-diretor da Hypermarcas. Ele ficou em seu apartamento lendo todo o conteúdo do que disse o delator. Além disso, Bauer ligou para o presidente do Senado Eunício de Oliveira (MDB), que é o alvo do início das investigações no âmbito da Lava Jato que levaram até o suposto caixa 2 de Bauer. Eles combinaram de conversar hoje em Brasília. Enquanto isso, os tucanos no estado já começam a avaliar as possibilidades, tendo Marcos Vieira e Napoleão Bernardes como as suas principais opções ao Governo do Estado. Mesmo assim, a pré-candidatura de Paulo Bauer será lançada nas próximas semanas, mas, de olho no que acontecerá no âmbito da justiça.

Aproximação

Uma das hipóteses estudadas pelos tucanos é de se aproximar do MDB. De acordo com uma fonte, essa poderia ser a saída, com o presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira sendo oferecido para vice dos emedebistas, ou até ao Senado. Neste caso Bauer ou Vieira teria uma vaga, Jorginho Mello (PR) a outra, e para o governo Eduardo Pinho Moreira ou Udo Dohler, ambos do MDB. Já com o PSD não é considerada impossível uma aliança, mas, neste momento a avaliação é de que seria a aproximação mais difícil por ter apenas uma vaga para os tucanos, muito embora, o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) não queira o MDB em sua chapa na disputa presidencial.

Hypermarcas doou

Na prestação de contas do Tribunal Superior Eleitoral referente a eleição de 2014, aparece a Hypermarcas como doadora para o PSDB nacional, porém, como a página das prestações de contas no site do TSE estava indisponível ontem, não foi possível levantar o valor. Contudo, não há nenhum comprovante de repasse para a executiva do partido em Santa Catarina, apenas de uma doação direta da empresa à campanha de Paulo Bauer a governador, na ordem de R$ 929, 560.75. “Como esse repasse para a estadual não foi formalizado, se é que ocorreu, isso poderia prejudicar ainda mais o senador”, afirmou uma fonte. Outro ponto é que o chamado “Projeto Criciúma” deixou a todos atentos.

Vieira ganha força

É inegável que essa situação dará mais musculatura ao presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, para ser o nome tucano na majoritária. Mas também não pode ser descartado o jovem prefeito de dois mandatos, Napoleão Bernardes de Blumenau.

Rodrigues sairá

O deputado federal João Rodrigues está na expectativa de voltar nesta semana para a Câmara Federal. De acordo com uma fonte, já está confirmado que Rodrigues anunciará que deixará o PSD. Ele tem uma forte aproximação com o Democratas, onde seria mais provável a sua filiação, porém, outras possibilidades estão sendo estudadas.

Fechados

A decisão do Partido da República de permitir que o deputado estadual Maurício Eskudlark (PR), seja o vice-líder do governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB) na Assembleia Legislativa, foi o aviso de que os republicanos estarão ao lado dos emedebistas na eleição. Uma liderança pedindo sigilo do nome, afirmou que está tudo acertado, mas, ainda será esperada a definição da formação da aliança, para saber a vaga que será dada ao deputado federal Jorginho Mello. O mais provável é que ele dispute uma das vagas ao Senado.

Mello quer um espaço na majoritária.

E agora?

Com a definição do PR que estará na eleição ao lado do MDB, a situação do secretário de Desenvolvimento Econômico de Chapecó e vereador licenciado, Márcio Sander (PR), ficou complicada dentro do partido. Sander faz parte do grupo político que apoia a pré-candidatura de Gelson Merisio (PSD) ao Governo do Estado, portanto, deverá antecipar o que há tempos tem ensaiado, que é a troca de partido. Sander também não descarta disputar a eleição deste ano. O mesmo serve para o vice-prefeito de Chapecó Elio Cella (PR). Terá que decidir se apoiará o projeto emedebista junto com o seu partido, ou se também trocará de legenda.

Kleinubing pelo estado

Ontem eu conversei no Lang Hotel em Chapecó, com o pré-candidato ao Governo do Estado, deputado João Paulo Kleinubing, que agora também é o presidente estadual do Democratas. Ele se recusou a falar sobre definições, ou de quem o seu partido está mais perto. Para Kleinubing o mais importante é discutir os projetos para o estado, pois, dessa forma as propostas afins se aproximarão. O ex-prefeito de Blumenau entende que é fundamental discutir a eficiência, educação e saúde. “Reconheço todo o esforço do Raimundo (Colombo), principalmente no enfrentamento da crise sem aumentar impostos. Mas precisamos ter um Estado mais eficiente, sobretudo na solução de problemas a exemplo da nossa logística”, defendeu Kleinubing.

Kleinubing conversará com todos.
Foto: Marcelo Lula

Conhecendo

João Paulo Kleinubing quer conhecer as lideranças do Democratas em todas as regiões do estado. Ainda ontem a noite ele se reuniu com lideranças demistas de Chapecó, e hoje segue a agenda, incluindo uma entrevista no Estúdio Condá com a Raquel Lang. Kleinubing também planeja trazer o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM), que é pré-candidato à Presidência da República. O evento será em abril.

Resposta do Mariani

Recebi no final de semana a seguinte mensagem via WhatsApp do pré-candidato do MDB ao Governo do Estado, deputado Mauro Mariani, em resposta ao que escrevi na coluna de sábado (10), relatando a crítica feita pelo também pré-candidato a governador Esperidião Amin (Progressistas) aos emedebistas. Segue: “Amim é o último nome que pode atacar o MDB. Não há nada mais atrasado na política catarinense do que este sobrenome. Pra falar mal da lisura do MDB ele precisa buscar referências no RJ. Mas pra falar do PP, a gente nem precisa sair do estado”, escreveu Mariani.

Mariani respondeu a Amin.
Foto: Marcelo Tolentino

Pruner segue

Chama a atenção que Lauro Pruner, fiel escudeiro de Raimundo Colombo (PSD), siga nomeado como chefe de gabinete no Governo do Estado. Colombo não deve voltar a assumir o comando, então, por qual motivo teria deixado Pruner no cargo? Quem tem acompanhado o governador em exercício Eduardo Pinho Moreira (MDB), como chefe de gabinete, é Luiz Temp, liderança do Oeste com forte ligação com o cooperativismo.

Na estrada

Quem está fazendo um giro pelo Oeste nesse início de semana é Fabiano Dadam, presidente do Sindicato dos Fiscais da Fazenda de Santa Catarina (Sindifisco). Ele é pré-candidato a deputado estadual pelo PSB e tem o ex-secretário de Estado da Fazenda Antonio Gavazzoni na coordenação da campanha. O roteiro de despedida aos fiscais e prestação de contas da gestão passa por Dionísio Cerqueira, Chapecó, Joaçaba e depois segue para Lages. Além de reuniões com fiscais, Dadam deverá fazer uma visita ao prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB). Estreante na política, Fabiano tem a experiência de 11 anos à frente de uma das categorias mais respeitadas do Estado.

Gavazzoni (esquerda), é o apoio de peso a Dadam.
Foto: Aline Vaz

Caravana do Lula

O vice-presidente nacional do PT, Márcio Macedo, está em Florianópolis onde se reunirá com a executiva do partido, deputados estaduais e federais, representantes de movimentos sociais e sindicatos. Na pauta, a visita de Lula ao estado nos dias 23 e 24 deste mês. O ex-presidente da República passará por Florianópolis, Chapecó onde dormirá, Nova Erechim e São Miguel do Oeste.

Carelli no PSDB

Em um evento para mais de 500 lideranças na manhã de sábado (10), em Herval D’Oeste, o PSDB de Santa Catarina oficializou a chegada ao partido do ex-prefeito de Videira Wilmar Carelli.

Com a presença do presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, dos Senadores Dalirio Beber e Paulo Bauer, do deputado federal Marco Tebaldi, dos prefeitos Dioclésio Ragnini, o Bigode, de Joaçaba, e Saulo Sperotto, de Caçador, dos vice-prefeitos Vilson Verona, de Água Doce, e Evando Azeredo, de Piratuba, além de vereadores e lideranças de todo o Meio-Oeste, Carelli assinou a ficha de filiação e já se apresentou como pré-candidato a Deputado Estadual nas eleições de outubro. Já o senador Paulo Bauer, reafirmou em seu discurso que deseja que seja investigada a denúncia contra ele, recebendo o apoio de todos os integrantes do partido.

Bauer recebeu o apoio de seu partido.
Foto: Alessandro Bonassoli

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest