Ana Amélia poderá interferir em SC, pautado o julgamento de João Rodrigues, MDB discute candidatura ao Senado entre outros destaques

Alckmin e Ana Amélia sempre tiveram uma boa relação.

Conforme me disse uma liderança, há um silêncio ensurdecedor nos partidos que estão conversando para definir as alianças. Porém, ontem no início da noite, todos os olhos se voltaram a Brasília e ao Rio Grande do Sul, pois, a senadora Ana Amélia Lemos (Progressistas), anunciava que aceitara o convite para ser vice de Geraldo Alckmin (PSDB), na disputa à Presidência da República.

O acordo somente foi firmado, após Alckmin aceitar intervir na decisão dos tucanos no estado gaúcho, para que aceitem compor com o Progressistas. Para isso, o deputado progressista Luiz Carlos Heinze, deverá se retirar da disputa ao Governo do Estado, para ser o candidato único ao Senado na chapa, tendo o apoio do PSDB.

Em contrapartida, o tucano Eduardo Leite poderá ter um progressista como vice, dessa forma, Alckmin afasta os novos aliados de Jair Bolsonaro (PSL). “Tudo será resolvido amanhã (hoje), temos o prazo para as homologações que encerra no domingo”, me relatou uma liderança próxima a senadora.

Agora o que chamou a atenção, foi a declaração enigmática do candidato progressista ao Governo do Estado, Esperidião Amin, afirmando que haverá reflexo em Santa Catarina. “É lógico que o fato da minha querida amiga, Ana Amélia ser a vice do Alckmin (Geraldo), tem um grande significado. É lógico que isso tem reflexos no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina”, afirmou Amin.

Quando questionado quais os reflexos, ele disse que não sabe, mas voltou a garantir que terão. “Qual, eu não sei. Só se eu fosse um imbecil para achar que não terá reflexo. Quais serão, eu ainda não sei”, disse Amin, lembrando do que diz um amigo próximo. “O que está para acontecer, será muito importante. O fato que está para acontecer será muito relevante”, profetizou.

Ana Amélia é amiga da família Amin.

Mas o fato é que Amin pode estar adiantando, algo que já pode ter sido conversado com a pré-candidata a vice-presidente. Não foi por nada, que ele foi um dos primeiros a ser informado pela senadora da decisão. Amigos de longa data, os Amin receberam Ana Amélia por inúmeras vezes em sua residência em Florianópolis, para jantares com cardápio árabe, onde não podia faltar o quibe tão apreciado pela progressista gaúcha.

Além disso, a relação dela com Santa Catarina é de longa data. Com parentes morando em Tubarão, Ana Amélia é amiga de anos do prefeito Joares Ponticelli e, trabalhou no grupo RBS com o atual secretário de Estado da Comunicação, Gonzalo Pereira.

Conversa

Além de Esperidião Amin (Progressistas), a sua esposa Ângela Amin, o secretário geral do partido, Aldo Rosa e o ex-deputado federal Leodegar Tiscoski, foram ontem a Brasília participar da convenção nacional progressista, quando foi homologado o apoio ao PSDB de Geraldo Alckmin. A conversa ficou em torno dos reflexos para Santa Catarina e, sobre a forma de tentar construir algo casado com a decisão de Ana Amélia Lemos. Ninguém fala nada, mas a expectativa é grande dentro das bases progressista e tucana aqui no estado. É possível que nas próximas horas, sejam anunciadas novidades a respeito da situação. Uma liderança tucana se limitou a me dizer que a vice de Alckmin mexerá aqui no estado.

Ângela candidata?

Aproveitando a conversa que tivemos, questionei o candidato ao Governo do Estado, Esperidião Amin (Progressistas), se a sua esposa, ex-deputada federal Ângela Amin, manteria a candidatura à Câmara Federal, e se João Amin irá à reeleição a deputado estadual, Esperidião respondeu: “Olha, eu não sei disso, eu não sei. Você que divulgou que ela seria candidata. Eu desconheço que ela já tenha dito isso a alguém, porque para mim, ela nunca falou”, afirmou. Pelo visto, Ângela Amin, que estava ao lado do deputado no momento da conversa, começa a se afastar da eleição deste ano.

Reafirmou a candidatura

Esperidião Amin (Progressistas) voltou a afirmar que manterá a candidatura ao Governo do Estado. “Eu sou candidato a governador, e ponto”, me disse. Emendei a pergunta, sobre a possibilidade de ser candidato ao Senado, mas Amin respondeu apenas, ponto, deixando claro que não aceita declinar da disputa à Casa D’Agronômica.

Cinco candidaturas

Já está havendo uma certa impaciência das bases de alguns partidos, com a demora nas indefinições. A novela segue sem que as lideranças abram espaço para um recuo, que poderá favorecer os entendimentos necessários para a formação das alianças. Tem quem ainda aposte na possibilidade de cinco candidaturas.

João Rodrigues

Rodrigues teve o seu julgamento pautado.

Os embargos apresentados pela defesa do deputado federal, João Rodrigues (PSD), foram apresentados para julgamento no Supremo Tribunal Federal para a próxima terça-feira (7). O julgamento será feito pela primeira turma, que pautará tanto o mérito do processo, quanto o reconhecimento da prescrição. O julgamento de Rodrigues deve ser realizado logo após os habeas corpus que estão pautados para o mesmo dia, já que os HCs tem a preferência.

Reaproximação

Merisio e Garcia passaram por confronto.

Quem tem mantido constantes contatos é o candidato a governador, Gelson Merisio (PSD), com o ex-conselheiro do Tribunal de Contas, Júlio Garcia, que é candidato a deputado estadual. Segundo lideranças próximas a eles, os contatos tem sido constantes, após a conversa que tiveram onde chegaram a um entendimento. Garcia que anteriormente era contra a candidatura de Merisio, se tornou um parceiro importante devido a sua habilidade e experiência, para conduzir as conversas com os demais partidos.

Candidata do PSTU

O PSTU confirmou a professora Ingrid Assis, como a sua candidata ao Governo do Estado. Ela terá como vice, o professor Ederson da Silva que também é filiado ao partido. Ingrid nasceu no Maranhão, tem 30 anos, sendo que há 12 mora em Santa Catarina. Entre as suas principais pautas, estão a defesa das pautas LGBTs, dos trabalhadores, mulheres e da população negra”, afirmou.

Procurado

No mesmo dia em que chegou da Itália onde passou 10 dias de férias com a esposa, Nicole Moreira, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) não conseguiu parar por um minuto se quer. Várias lideranças ligaram para Pinho Moreira para falar do cenário. Nos próximos dias, o governador terá que escolher um novo secretário de Estado do Turismo, já que Tufi Michreff Neto deixará a secretaria para trabalhar na campanha de Mauro Mariani (MDB).

Definição

Os emedebistas se reúnem hoje para discutir a chapa ao Senado. Ainda há muitas resistências a Jorginho Mello (PR), como o candidato único da aliança a senador. Valdir Colatto e Paulo Afonso Vieira querem um espaço na disputa. É possível que o partido coloque na convenção como a primeira votação, o sim, ou não, ao apoio a Mello como o único candidato. Se não for aprovado, Colatto e Vieira colocarão o nome. Uma fonte garante que o apoio da executiva é todo ao deputado oestino.

Nota do PSL

A executiva do partido enviou nota. Segue:

“A Executiva Estadual do PSL, diante de notícias veiculadas pela imprensa indicando supostos acordos políticos, reitera que a prioridade absoluta do partido em Santa Catarina é de lançar chapa pura nas eleições deste ano, conforme encaminhamentos anteriores. Em menos de quatro meses, a sigla, sob a liderança de Jair Bolsonaro e seu exército, valorizando sempre a segurança e a família, cresce a cada dia, com um projeto claro de mudança para o Estado e para o Brasil.

O PSL catarinense é hoje referência no país, isto dito por dirigentes nacionais e o próprio Jair Bolsonaro. Nestes 120 dias de atuação do partido, são mais de 140 executivas municipais, mérito de toda a família PSL catarinense. Estamos dialogando com a nossa base, com os partidos que nos procuram para tratar sobre o pleito eleitoral.

A tese de chapa pura deve prevalecer. Só deixará de prevalecer se surgir a necessidade de um palanque maior em Santa Catarina para o um grande desempenho da candidatura do presidenciável Jair Bolsonaro no Estado. Este projeto é a nossa prioridade. Ouviremos as bases, presidentes municipais, candidatos a deputado até este sábado, dia 4. Sairemos unidos, fortes com o Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!” – Lucas Esmeraldino – Presidente Estadual do PSL e pré-candidato ao Senado.

Sobre Colombo

Essa coluna é para informar as pessoas, ou, através das análises provocar o pensamento sobre os mais diversos assuntos. Não lembro de antes, ter passado em minha carreia algo tão vil, como as declarações que tem sido feitas pelo ex-governador Raimundo Colombo (PSD), candidato ao Senado.

Afirmo aqui, que em respeito aos leitores que me acompanham e que não são poucos, o que aproveito para agradecer o grande número de acessos que tanto nos orgulha no SC em Pauta. Que não alimentarei uma discussão sem o mínimo sentido, vocês, meus caros, não merecem tamanha aviltaria, portanto, qualquer troca de farpas, pelo menos de minha parte encerra aqui.

Também reitero que nada tenho contra Raimundo Colombo, pois, o meu papel é apenas de informar e analisar, já as disputas devem ficar para os políticos.

Quando noticiei que a justiça eleitoral havia acatado a denúncia do Ministério Público Eleitoral contra Colombo, por um suposto uso de caixa 2 nas eleições de 2010 e 2014, com dinheiro que teria segundo a acusação, recebido da Odebrecht, eu não estava requentando nada, porque ainda não havia sido feita nenhuma divulgação. Além disso, não se trata de notícia velha, pois, como bem divulgado pelo grande colega Moacir Pereira do Grupo NSC, a ação penal contra o ex-governador está tramitando há pouco mais de dois meses, e o processo está concluso para despacho ou decisão desde o dia 20 de julho, portanto, há apenas 12 dias.

Portanto, não há nada de política de ódio e, nem foi feito qualquer denuncismo covarde, como relatou em uma de suas infelizes notas o candidato ao Senado. Para piorar a situação, ontem foram enviadas mensagens via WhatsApp em nome de Colombo, com o seguinte teor:

“Caros, noticiar um fato ocorrido meses atrás como se houvesse ocorrido hoje, às vésperas do início da eleição, é uma tremenda falta de caráter.  

É por essas e outras que a imprensa tem perdido credibilidade junto à sociedade.

Todas as acusações criminais envolvendo meu nome foram arquivadas pela Justiça. Essa que trata de financiamento eleitoral certamente terá o mesmo destino.”

 Vamos a algumas considerações:

Primeiro: há um erro crasso do autor da nota em nome de Colombo, ao dizer que está sendo noticiado um fato ocorrido há meses atrás. Ao escrever isso, está tentando enganar as pessoas, pois o fato está em plena tramitação;

Segundo: a visão que o ex-governador tem da imprensa é de que ela é canalha, quando divulga um fato que não lhe agrada? Lamento informar, mas se a imprensa tem perdido credibilidade junto a sociedade como diz Colombo, imagine alguns políticos;

Terceiro: será que Raimundo Colombo preferia que a imprensa fosse omissa e, que deixasse tudo para debaixo do tapete para que ninguém saiba que ele responde a esse processo? É essa nova política tão falada por ele nos discursos que tem feito nos eventos políticos? Pelo contrário Sr. Colombo. Essa prática de omitir é que faz parte do modelo da velha política, do coronelismo que faz um bonito discurso público, defendendo a democracia e a liberdade, enquanto que a boca pequena a pessoas próximas, reclama quando a imprensa faz o seu trabalho;

Quarto: cadê a assessoria de uma figura tão importante como Raimundo Colombo (PSD), ex-governador, ex-senador, ex-prefeito entre outros cargos, que não consegue gerenciar uma crise com inteligência emocional, ao ponto de preservar o seu assessorado, ao invés de expô-lo ainda mais a uma situação vexatória com a qual estamos o vendo passar !?!

Portanto, o assunto de minha parte está encerrado. O nome de Raimundo Colombo aparecerá nesta coluna, todas as vezes em que algum fato relevante justifique a publicação. Seja este fato, bom, a favor de Colombo, ou não agradável, afinal, o trabalho jornalístico não deve ser feito para agradar ou desagradar, mas, sim, para informar ao público que nos acompanha.

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest