Amin se empolga com a disputa ao governo, empresário de Chapecó pode compor na majoritária, deputados sentem a pressão e tiram assinatura de CPI entre outros destaques

Amin está animado com a possibilidade de ser candidato.

A decisão do MDB de escolher Mauro Mariani para disputar o Governo do Estado, motivou ainda mais o pré-candidato Esperidião Amin (Progressistas), a querer antecipar a decisão de seu partido quanto a eleição. Amin entende que não pode perder tempo, pois, uma aliança precisa de um nome que a lidere na busca de mais partidos, para formar uma forte aliança.

Além disso, ele quer aproveitar o desempenho nas pesquisas, como uma forma de convencer os partidários do Progressistas a lhe apoiar, para ser o nome que capitaneará a disputa estadual. Até o momento, Amin lidera em todos os levantamentos realizados, tanto para o governo quanto ao Senado.

Neste próximo sábado em Criciúma, está sendo preparado um grande evento, para o lançamento do deputado progressista como o pré-candidato do partido. “É difícil convencer o povo a não votar no Amin ao governo”, defendeu ontem uma liderança em rápida conversa.

Por outro lado, lideranças a exemplo do presidente do partido, deputado Silvio Dreveck, defendem a manutenção da aliança com o PSD, que tem no deputado estadual Gelson Merisio, o seu pré-candidato. “A nossa prioridade é de estarmos unidos, depois veremos quem será o candidato, o Merisio ou o Amin”, disse Dreveck.

Se por um lado, a busca pela manutenção do enlace com os pessedistas, também visa mantê-los longe do MDB, partido que é o maior adversário do Progressistas, por outro, Amin ainda tenta buscar o PSDB para compor uma aliança mais robusta. Neste caso, aumentaria para três o número de postulantes, com o senador Paulo Bauer (PSDB) também querendo ser o candidato à majoritária.

Amin sugeriu o próximo dia 20 de julho para a realização da convenção, porém, Dreveck me disse ontem que a definição da data será feita por toda a executiva, podendo ficar o evento entre os dias 26 e 30 do próximo mês. Amin quer se antecipar aos pessedistas, para o caso de ser apontado pelos convencionais como o candidato, tentar negociar com Merisio uma solução que leve o PSD a apoiá-lo.

Outro nome que tem sido visto constantemente ao lado de Esperidião Amin, é o do pré-candidato demista, deputado João Paulo Kleinubing, que também sonha com a possibilidade de compor com Amin, muito embora, esteja aberto a qualquer casamento, que o leve e o seu partido, para uma vaga majoritária em alguma aliança.

Rebelatto no jogo

O deputado federal Valdir Colatto (MDB), entende que um nome do Oeste na chapa poderia equilibrar o jogo na região em relação ao pré-candidato do PSD ao Governo do Estado, deputado Gelson Merisio (PSD). Por questões geográficas não teria espaço para uma chapa Mauro Mariani (MDB) – João Paulo Kleinubing (DEM), por isso, a ideia de Colatto é que o empresário Antônio Rebelatto (DEM) seja o indicado para vice do emedebista. Resta saber se Kleinubing, que tem mantido o discurso de que o seu partido terá candidato a governador, abrirá mão de estar na majoritária. Uma outra opção é justamente contra o maior rival do MDB, o Progressistas de Esperidião Amin.

Rebelatto pode aparecer na majoritária.

Agradou

Uma liderança emedebista me disse que a ideia do DEM indicar o nome do empresário Antonio Rebelatto, como uma possibilidade de concorrer como vice de Mauro Mariani (MDB), é boa, mas que não cabe ao seu partido dizer quem o Democratas deve indicar. O temor é de gerar ruídos entre os demistas, por isso, defende que a conversa seja institucional com o presidente João Paulo Kleinubing.

Bancada

Os deputados do MDB na Assembleia Legislativa realizaram ontem, o tradicional almoço das terças. O encontro o qual segundo alguns participantes, foi de total tranquilidade, sem o semblante de preocupação carregado por alguns, devido ao entendimento entre Eduardo Pinho Moreira e Mauro Mariani. Como convidado, apenas o ex-governador Paulo Afonso Vieira, que se colocou à disposição para uma disputa ao Senado, mas ouviu como resposta que é quase impossível que tenha espaço, já que os emedebistas querem apenas a vaga de candidato a governador, deixando em aberto a de vice e as duas ao Senado. “Somente em uma eventual sobra nós ficaremos com uma das vagas de senador”, disse uma das lideranças durante o almoço. A justificativa é que não se pode inviabilizar uma aliança, por querer o maior número de espaços na majoritária.

Gesto…

Conversei com uma das lideranças emedebistas que participou do almoço da bancada na Assembleia Legislativa, que chamou a atenção dos demais integrantes para o recuo do governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), que abriu espaço para que o deputado federal Mauro Mariani seja o pré-candidato do partido ao Governo do Estado. O emedebista com quem conversei, pediu para que todos sempre copiem o gesto de Pinho Moreira, o qual considerou uma grande demonstração de desprendimento.

Plano A

Para os emedebistas o PSDB segue sendo o seu “plano A’”. PPS, Podemos e PTB já teriam as conversas adiantadas, mas, a dificuldade é de convencer os tucanos a serem o vice. O PSDB é o plano A. PPS, Podemos e PTB estão próximos.

Segue firme

Conversei com o presidente estadual do PSDB, deputado Marcos Vieira, que voltou a rechaçar qualquer possibilidade de seu partido ocupar a vaga de vice. Segundo ele, o MDB pode ir com a sua aliança, apoiando o senador Paulo Bauer (PSDB).

Vieira não abre mão da cabeça para o PSDB.

Defesa

O deputado federal João Rodrigues (PSD), apresenta a sua defesa hoje no Conselho de Ética na Câmara dos Deputados, a partir das 14h30. Como testemunhas do parlamentar devem comparecer o ex-prefeito e atual vice-prefeito de Pinhalzinho, Darci Fiorini, o ex-prefeito Pinhalzinho e ex-vice-prefeito de João Rodrigues, Anacleto Gallon, e o mecânico da prefeitura Ariberto Bertasso. Em vídeo, Fiorini assegura que Rodrigues não é responsável pela aquisição da retroescavadeira. “Ele somente assinou o início do processo licitatório, seguindo orientação da equipe da Prefeitura. Quem conduziu e homologou toda a compra da retroescavadeira fui eu”, relata Fiorini.

Fiorini voltará a se responsabilizar pela licitação.

Lamentável

É no mínimo curiosa a postura do ex-governador Raimundo Colombo (PSD), ou de sua assessoria, de se fechar para parte da imprensa ao invés de aproveitar todos os espaços para se manifestar. Já que deseja disputar uma vaga ao Senado Federal, a sua assessoria precisa entender que a exposição não é ruim, pelo contrário, se houvesse a facilitação do contato a exemplo do que fazem as demais assessorias, Colombo com certeza poderia passar a sua versão sobre muita coisa que acontece no Estado. Se chegar ao Senado, não vai

Mas…

Para não dizer que não falei das flores, é importante destacar que o ex-governador Raimundo Colombo (PSD) tem razão quando atribui à crise, as dificuldades enfrentadas pelo seu governo. Ele também foi surpreendido com os precatórios e outras dívidas que se arrastaram durante anos. Foi corajoso ao aceitar o conselho de Antonio Gavazzoni para manter o ICMS abaixo dos demais estados, fazendo de Santa Catarina um Estado muito mais interessante aos investidores, além de enfrentar com firmeza a questão da Previdência, muito embora, ainda seja necessário um novo ajuste para reduzir ainda mais o peso que o setor previdenciário gera para as contas do governo.

Porém…

Raimundo Colombo (PSD) pecou ao prometer o que não poderia entregar, no caso, o Fundam, deixando os municípios na mão. Antes não tivesse prometido e saiu constrangido do BNDES ao ouvir que o recurso não poderia ser liberado devido ao modelo do programa. Perdeu a oportunidade de reduzir a máquina, incluindo a extinção das Agências de Desenvolvimento Regional que em seu governo, se tornaram meramente decorativas, sem o mínimo poder. Pobre dos secretários executivos, que em sua maioria, são homens e mulheres capacitadas, mas sem o mínimo poder. Sem falar na questão política, onde mantém uma extrema dificuldade de revelar qual é o seu projeto para a eleição. Será pessoal, buscará a atender ao establishment ou apoiará o seu partido? É preciso ser claro.

Segurança no Trânsito”

A grande maioria dos acidentes de trânsito envolvem motociclistas, mas a responsabilidade é de todos. Para alertar sobre essa necessidade, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), lançou a campanha “Mais Segurança no Trânsito”, na tarde de ontem. Acidentes de motos representam 40% dos óbitos do trânsito, no Brasil. A principal causa de mortes entre pessoas com idade entre 15 e 29 anos, são acidentes rodoviários. A média mensal de atendimentos a acidentes de motociclistas nos cinco principais hospitais de SC é de 475. “Vamos juntos mudar o trânsito? Contamos com todos vocês”, foi o pedido de Pinho Moreira durante o evento de lançamento, em Florianópolis.

Mariani no lançamento

O primeiro evento público de Mauro Mariani como pré-candidato único do MDB ao Governo do Estado, foi durante o lançamento da pré-candidatura do vereador Rodrigo Fachini, de Joinville. Fachini se lança em agosto candidato a deputado estadual. O evento, que ocorreu na noite de segunda-feira (18), com a presença de mais de 700 pessoas, atraiu lideranças de todas as regiões do Estado, principalmente vereadores, ex-vereadores, prefeitos e ex-prefeitos do Norte e Planalto Norte, como o prefeito Udo Döhler, o deputado estadual Carlos Chiodini e o ex-governador Paulo Afonso. Udo Döhler, até ontem distante de declarar seu apoio, não perdeu tempo e defendeu pela primeira vez o nome de Mariani ao governo.

Reativou?

A Secretaria de Estado de Assuntos Estratégicos, foi fechada pelo governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) ao assumir o mandato. A pasta era ocupada pelo ex-prefeito de Florianópolis Cesar Souza Júnior, porém, no início desta semana foi reativada para abrigar Ari Vequi, que será o novo secretário de Estado. Qual será o gasto que isso representará?

Lava Jato

A participação de quatro deputados federais catarinenses em apoio à instalação de uma CPI, para investigar a Operação Lava Jato, levou o Centro Empresarial de Chapecó (CEC) a encaminhar aos parlamentares um expediente no qual lamenta a atitude e pede explicações. “Surpreende-nos o fato de vossa excelência constar no rol de parlamentares signatários em apoiamento ao referido pleito”, expressa o ofício enviado aos deputados Celso Maldaner, Rogério Peninha Mendonça e Valdir Colatto, do MDB, e Pedro Uczai, do PT. O documento do Centro Empresarial, instituição que congrega 16 entidades e sindicatos empresariais que representam todos os setores da economia, com área de abrangência em 109 municípios do Oeste de Santa Catarina, questiona a assinatura do requerimento RCP 43/2018, que inclui entre suas finalidades investigar atos ocorridos no âmbito da Operação Lava Jato.

Em Brasília

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), cumpre agenda hoje, em Brasília, em busca de recursos para ações em infraestrutura, saúde e investimentos para a manutenção de serviços em Santa Catarina. As audiências ocorrem no Palácio do Planalto e nos ministérios da Integração Nacional e do Trabalho e Emprego. Pinho Moreira se reunirá com o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, onde pleiteará aportes a serem aplicados no custeio da saúde. O governador também estará reunido com o ministro do Trabalho e Emprego, Helton Yomura, para tratar sobre a liberação de recursos para a manutenção das unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine). Ao todo, são 124 postos de atendimento em Santa Catarina, sendo 23 de execução direta e os demais com parcerias técnicas com os municípios.

Contrariados

A posição do CEC é justificada com a afirmativa da contrariedade veemente a “todo e qualquer ato de corrupção, especialmente aqueles que criminosamente se apropriam dos recursos do contribuinte. Nos últimos anos, acrescenta o ofício, o país tem atravessado a maior crise política de sua história, pautada pela corrupção endêmica que tomou conta dos Poderes da República, fragilizando o Estado e colocando sub judice a democracia representativa. Em duas semanas, é a segunda vez que as entidades se manifestam contra alguma pauta que desagradou a sociedade. A anterior foi assinada pelo presidente da ACIC, Cidnei Barozzi criticando a contratação de mais terceirizados para a Assembleia Legislativa.

Maldaner nega

O deputado federal Celso Maldaner (MDB), me enviou um e-mail, onde explica que é totalmente a favor da Lava Jato, tendo sido o único deputado federal catarinense que votou 100% de acordo com as Dez Medidas de Combate à Corrupção encampadas pelo Ministério Público Federal. O parlamentar se diz fã do juiz Sérgio Moro, de sua equipe e que defende as delações. Em relação a CPI, pelas informações repassadas a ele quando assinou, a mesma tinha proposta de investigar as denúncias de irregularidades feitas contra Antônio Figueiredo Basto e outros. “Infelizmente alguns pontos da proposta não foram totalmente colocados no requerimento de criação da mesma, ficando em discordância com seu posicionamento e da população que representa. Em virtude disto, estou retirando a minha assinatura da lista de criação da CPI conforme requerimento nº 8880/2018”, afirmou em resposta ao que escrevi na coluna de ontem.

Colatto também

Através de nota o deputado federal informou que também está retirando a sua assinatura da CPI da Lava Jato. Segue: “Protocolei requerimento de retirada de minha assinatura da lista para criação da CPI, cuja ementa propunha investigar as denúncias de irregularidades feitas contra Antônio Figueiredo Basto e outros, inclusive envolvendo escritórios de advocacia, ocorridas no âmbito de alguns processos de delação. Tendo em vista, os pontos obscuros constantes da proposta, solicitei a retirada da minha assinatura. Os trabalhos da Lava-Jato têm sido essenciais para o combate à corrupção e por isso, tem meu apoio. No meu entendimento, a delação premiada deveria ser, inclusive, estendida para crimes como o de tráfico de drogas” – Valdir Colatto – Deputado federal.

LDO em Brasília

A Comissão Mista de Orçamento aprovou ontem, o relatório preliminar do senador Dalirio Beber (PSDB), com as regras para apresentação de emendas ao projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) de 2019, com a inclusão de emendas. Com a aprovação do texto, se inicia o prazo de apresentação de emendas à LDO, que vai dos dias 20 a 26. Pelo novo cronograma de tramitação do projeto, a votação do relatório final, construído pelo relator com base nas emendas, ocorrerá no dia 10 de julho na comissão. A partir daí, o texto poderá ser apreciado a qualquer momento no plenário do Congresso Nacional em sessão conjunta da Câmara e do Senado, última etapa da tramitação. A sessão do Congresso é marcada pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB).

Lançamento

A Rede Sustentabilidade realizará amanhã o lançamento oficial da pré-candidatura ao Governo do Estado, do professor de Direito Ambiental da UFSC, Rogério Portanova, bem como da ambientalista Miriam Prochnow e do consultor em relações internacionais Diego Mezzogiorno ao Senado Federal. O evento acontecerá às 11h na aldeia guarani Yynn Moroti Wherá (“reflexo das águas cristalinas”), também conhecida como M’Biguaçu e localizada no km 190 da BR-101, em Biguaçu.

Encontro da imprensa

O jornalista, radialista e psicólogo Luiz Carlos Prates, será homenageado em Chapecó, no dia 4 de agosto, durante o 11º Encontro da Imprensa Catarinense, programado para iniciar às 11h, na sede social da CDL Chapecó. A organização é da Associação Catarinense de Imprensa (Casa do Jornalista) através de seu presidente Ademir Arnon, e da MB Comunicação através de Marcos Bedin, dupla que há anos trabalha em prol da união da imprensa do estado. O evento assinalará os 50 anos de fundação da Casa do Jornalista e os 86 anos da ACI, e consistirá de solenidade festiva, homenagem aos profissionais de comunicação com 50 anos de atividades e almoço festivo. Estarão reunidos, na ocasião, cerca de 500 profissionais de todo Estado.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest