Aeroporto de Chapecó acima da média nacional, Vignatti no MDB, trocas no Governo do Estado entre outros destaques

Buligon espera a liberação de financiamento com a Caixa
Foto: Marcelo Lula

Esse primeiro mês de governo do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon (PSB), será de freio puxado para dar um fôlego nas finanças. Após ter praticamente custeado dois salários em dezembro do ano passado, com o pagamento dos servidores, mais o décimo terceiro, o caixa do município foi raspado garantindo mais uma vez os vencimentos em dia. Porém, uma contenção de despesa será fundamental para os desafios que a prefeitura terá durante o ano.

Mesmo assim, serão inaugurados na próxima semana os postos de saúde dos bairros Belvedere e Cristo Rei, fora isso, somente os compromissos recorrentes. Buligon sai de férias com a família no próximo dia 15, desligará o celular e somente volta no dia 14 de fevereiro. Até lá, os afazeres ficarão a cargo do vice Elio Cella (PR).

Saindo para descansar, o prefeito ainda pensa na liberação dos R$ 30 milhões através de um financiamento junto a Caixa Economia, o que, segundo ele, já está bem adiantado. Esse valor será destinado ao Elevado da Sadia, Terminal de Integração do São Cristóvão e da Efapi, além da implantação do Binário.

Já quanto ao transporte público, Buligon aguardará o início das aulas na primeira quinzena de fevereiro, para realizar as audiências públicas. O objetivo é que o maior número possível de pessoas sejam ouvidas.

Aeroporto destaque

O aeroporto de Chapecó Serafin Enoss Bertaso, segue com um desempenho superior à média nacional. Para ter uma ideia, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) ainda está contabilizando os números do ano passado, mas, a expectativa é de um aumento de 7% dos passageiros, enquanto que Chapecó apresentou um incremento de 11,44%, com 467.930 usuários entre embarques e desembarques. Foram 48.065 a mais em relação a 2016. A Anac apresentará o anuário do ano passado próximo ao mês de março, mas, é importante avaliar que o Oeste tem um aeroporto que interessará a qualquer empresa do setor, quando for aberto o processo de concessão.

Terminal tem a melhor média de embarque e desembarque.

Câmara

Valmor Scolari (PSD) deixa hoje a presidência da Câmara de Vereadores de Chapecó. A cerimônia de passagem do cargo a Itamar Agnoletto (PSDB) está marcada para as 09h, na sala do presidente. A renúncia estava acertada entre Scolari e Agnoletto que era o vice. A Câmara no retorno dos trabalhos terá uma eleição para vice-presidente, que, segundo informações de bastidores, deverá ser eleito o progressista Joãozinho Siqueira. Acontece que os demais vereadores querem estar aptos a disputar a eleição ao comando da Câmara para os próximos dois anos.

Avaliação

Valmor Scolari (PSD) avaliou como positiva, a oportunidade que teve de assumir a Prefeitura de Chapecó durante 10 dias em dezembro do ano passado. Ele contou que fez visitas e ajudou a encaminhar projetos, os quais, considerou importante. Um deles foi no dia 30, quando foi feito o cadastramento junto ao Ministério dos Esportes, para um recurso que permitirá a construção de um novo espaço para a Secretaria de Esporte do município.

Vignatti no MDB?

 Mais uma vez o nome do ex-deputado federal Claudio Vignatti (PT), aparece ligado ao MDB. Tudo teria começado com o convite do senador Dário Berger (MDB), que presidiu a Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, para que Vignatti o auxiliasse nos trabalhos, já que o petista presidiu a mesma comissão, só que na Câmara. A amizade entre Berger e Vignatti, além da aproximação maior com o trabalho, rendeu um convite do emedebista para que Vignatti troque de partido, para disputar uma vaga a deputado federal.

Solução?

Claudio Vignatti (PT) não teria dado resposta ao convite do senador Dário Berger (MDB), porém, não está descartada a troca de partido. Tudo será resolvido nesses primeiros meses e, depende do que acontecerá dentro do Partido dos Trabalhadores, que poderá ter uma desgastante disputa entre Vignatti e Pedro Uczai pela candidatura à Câmara dos Deputados, ou com Luciane Carminatti para a Assembleia Legislativa. Tanto Uczai quanto Luciane, não abrem mão de disputar a reeleição, enquanto que Vignatti se nega a abrir mão de uma candidatura. Não é de hoje que o ex-deputado se sente sem espaço no PT.

Capella assume

O deputado estadual Vicente Caropreso (PSDB) retorna à Assembleia Legislativa, após deixar a Secretaria de Estado da Saúde. O governador Raimundo Colombo (PSD) já nomeou Murillo Capella, que era o adjunto. Ele fica a frente do setor até fevereiro, quando Acélio Casagrande assumirá o cargo de secretário, tendo como adjunto, Marcelo Reis, que está deixando a Superintendência dos Hospitais, conforme eu já havia adiantado no ano passado.

Capella fica no cargo até fevereiro.
Foto: ACM

Casa Civil

Outro nome que já há algum tempo pedia para sair, era o secretário de Estado da Casa Civil, Nelson Serpa. Ele deve deixar o cargo até o início da próxima semana. Luciano Veloso, outro nome anunciado pela coluna, foi confirmado para ocupar o cargo, a exemplo de Paulo Eli que assumirá a Fazenda.

Serpa deixa o governo nos próximos dias.

Deputados saem

No dia 1º de fevereiro haverá um limpa campo no primeiro escalão do Governo do Estado, pois, será o mês que o vice-governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), começará a assumir o comando. Para adiantar a formação de sua equipe que será mais técnica do que política, para não dizer, totalmente técnica, os deputados estaduais licenciados, além dos nomes que desejam disputar a eleição, deixarão os cargos para dar espaço a quem ficará até o final do atual mandato.

Amin na Síria

Hoje o deputado federal Esperidião Amin (Progressistas), embarca rumo a Síria. O grupo que também é formado por mais três parlamentares de origem árabe, Arlindo Chinaglia (PT), Carlos Melles (DEM) e Paulo Abi-Ackel (PSDB), além do presidente da Federação de Entidades Árabes Brasileiras do Estado de São Paulo, Eduardo Elias, fará uma longa viagem, primeiramente até Paris, seguido de embarque para Beirute capital do Líbano. De lá, eles vão em comboio de carro até Damasco. A viagem é a convite do Conselho Popular da Síria (Parlamento), que é presidido por Hammudé Sabbagh, o primeiro cristão a ocupar esse posto em décadas.

Objetivo

O convite do Majlis Ash Abu (Conselho Popular da Síria), que é equivalente a Câmara e ao Senado daqui, já que é unicameral, tem o objetivo de aproximar o país árabe do Brasil. Tanto Esperidião Amin (Progressistas), como os demais integrantes da delegação não podem dar detalhes da viagem por questão de segurança, porém, um encontro com o presidente Bashar Al Assad não está descartado, pois, a agenda está sendo organizada pelos anfitriões. Nem mesmo o hotel aonde ficarão hospedados por quatro dias, pôde ser informado. Amin lembrou que já fez o mesmo trajeto acompanhado de sua esposa, Ângela Amin, em 1993. Ele volta ao Brasil no dia 11, já indo direto a São Joaquim para um evento.

Parlamento sírio será o local de um dos encontros.
Foto: Imprensa/ Majlis Ash Abu

Destaque

“O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), começa a sentir os efeitos das pesquisas que até o momento, mostraram que o tucano não decolou. Se continuar assim, os caciques do partido começarão a defender um outro nome par a disputa e, até o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) já levantou a bandeira. Alckmin está correndo o risco de ser tirado do mapa eleitoral.”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest