Acordo encerra com a polêmica do ICMS, Pinho Moreira e o recado a respeito das finanças do Estado, futura presidência da Câmara de Chapecó gera polêmica entre outros destaques

Eram 19h em ponto de ontem, quando liguei para o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB). Já no avião que lhe traria de volta de Brasília a Florianópolis, ele me disse que poderia falar, mas não muito, pois, logo o piloto ligaria as turbinas e começaria a taxiar.

Pinho Moreira havia passado a tarde na capital federal, onde levou um trabalhador de Brusque, Walter Orthmann, reconhecido pelo livro dos recordes como o homem de maior tempo de serviço em uma mesma empresa, são 80 anos na indústria especializada em tecidos. O governador e o presidente Michel Temer (MDB) homenagearam Orthmann, mas também conversaram rapidamente, quando Pinho Moreira solicitou a Temer, que reforce o pedido junto ao BNDES para a liberação dos R$ 723 milhões, que devem ser usados em obras. Temer disse que já conversou com o presidente do banco de desenvolvimento.

Questionei o governador se uma das obras mais reivindicadas no Oeste seria atendida, no caso, o elevado da Sadia. Ouvi como resposta que neste período é difícil licitar obras que não estão iniciadas, mas, que nada está definido. Quanto as próximas medidas que devem ser tomadas para a contenção de despesas, não estão descartadas novas exonerações. “Terão mais. Para nós é necessário”, afirmou.

Pinho Moreira aproveitou para se defender, dizendo que as suas declarações a respeito da situação financeira do Estado, não tem o objetivo de transferir a responsabilidade. Comentou que leu nesta coluna o artigo escrito pelo ex-secretário de Estado da Fazenda, Antonio Gavazzoni, e perguntou: “O que que eu vou fazer? Você acha que eu não tenho que dizer para a sociedade a realidade, que nós ultrapassamos o limite máximo? Estou fazendo por absoluta necessidade. Agora, eu não estou transferindo culpa. Se for preciso, eu mostro os números e o motivo do Estado estar assim. As dívidas são reais”, afirmou Pinho Moreira.

O tom dado à conversa pelo governador mostra que se for preciso, mais números serão apresentados. Aliás, dentro da Secretaria de Estado da Fazenda, a equipe ligada ao secretário Paulo Eli, trabalha levantando todos os números envolvendo a renúncia fiscal no governo Colombo. A palavra que tem sido utilizada é de abrir a caixa preta.

Medo de bloqueios

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB), tem pedido o controle diário dos números do Estado e já pensa em novos cortes de cargos. Ontem ele me disse que tem buscado passar a imagem que o Estado está bem, mas a receita mesmo crescendo, ainda está abaixo do esperado. Ele lembrou que segue a geração de empregos, mas que o problema é a máquina pública inchada. “Não fui eu que inventei os limites. O Tribunal de Contas enviou em fevereiro um aviso que o Estado passou do limite legal. O documento do TCE é referente ao último quadrimestre do ano passado, ou seja, em dezembro já havíamos passado. Se não dermos uma solução, não conseguiremos liberar o dinheiro no BNDES, tranca tudo”, afirmou o governador. Antes do avião decolar, Pinho Moreira recebeu em seu celular que a arrecadação de abril foi de R$ 2,18 bilhões, um aumento de 7,01% em relação ao mesmo período do ano passado.

Polêmica do ICMS

Será votada na próxima terça-feira (08), a admissibilidade da Medida Provisória (MP) que reduziu de 17% para 12% a alíquota do ICMS, para operações com mercadorias destinadas a contribuintes para comercialização, industrialização e prestação de serviços. A data foi definida em uma reunião ontem no gabinete do presidente da Assembleia Legislativa Aldo Schneider (MDB), que contou com a presença de parlamentares, representantes da Fiesc, que é a favor da medida, e da Fecomercio contrária a proposta. Antes, durante a amanhã, o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) recebeu o presidente da Fiesc, Glauco Corte, e da Fecomercio Bruno Breithaupt. Ele disse aos representantes da classe empresarial, que poucas empresas estão sendo beneficiadas e, que é necessário mudar a aplicação da alíquota para beneficiar toda a cadeia.

O acordo

Antes de irem à Assembleia Legislativa, o presidente da Fiesc Glauco Corte, e da Fecomercio Bruno Breithaupt, se reuniram com o secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, em encontro que também contou com a presença do líder do governo no parlamento, Valdir Cobalchini (MDB). Através das discussões foi construído um consenso. O Governo vai deixar os setores têxtil e calçadista fora da Medida Provisória, o que resolve definitivamente a questão. Ainda hoje, Cobalchini irá anunciar se fará uma emenda à MP, ou se o Governo retirará a MP e enviará uma nova com a inclusão desses dois setores. Portanto, da discussão gerada entre Gelson Merisio (PSD) e o governo de Eduardo Pinho Moreira (MDB), nasceu um consenso que beneficiará a todos os setores, pois, o próprio Pinho Moreira reconhece a situação das empresas, que já adquiriram a próxima coleção de roupas e calçados. Ponto para Merisio e Pinho Moreira.

Mais um partido

O Partido Social Liberal em Santa Catarina, que tem como presidente nacional o pré-candidato à Presidência da República, deputado Jair Bolsonaro, estaria se alinhando ao PSD. As conversas teriam sido articuladas com o pré-candidato a governador Gelson Merisio (PSD), que fechando o acordo, contabilizará mais um partido para a extensa aliança que já conseguiu costurar.

Presidência da Câmara

Em reunião ontem a tarde na sede do Progressistas em Chapecó, a informação que divulguei neste espaço, de que estaria sendo articulado por Eron Giordani e Júlio Garcia, a eleição dos próximos dois presidentes da Câmara de Vereadores, foi tema de debate. O encontro que tinha na pauta a organização do projeto eleitoral do pré-candidato a deputado estadual Altair Silva, ganhou mais uma discussão a pedido do presidente do diretório, Nicolau Buraseska. Os progressistas não aceitarão ficar de fora, pois, alegam que tem a segunda maior bancada, tendo feito 16.038 votos na soma de seus três vereadores na eleição, o que na opinião de Buraseska, dá todas as credenciais para eleger um presidente. Pelos votos que fez, Claimar de Conto deverá ser o indicado em conversa com Alves e Siqueira.

Vai cobrar

O encontro de ontem do Progressistas de Chapecó, reuniu o presidente Nicolau Buraseska, o pré-candidato a deputado estadual Altair Silva, o atual presidente em exercício da Câmara de Vereadores Joãozinho Siqueira, e os vereadores Claimar de Conto e Diego Alves. Todos foram unânimes que não aceitarão que o partido fique sem um dos dois anos da próxima presidência. A situação deve cair no colo do prefeito Luciano Buligon (PSB) e da secretária de Governo e Gestão Fernanda Danielli. Enquanto que por um lado, Eron Giordani e Júlio Garcia, conforme informei em primeira mão, articulam a eleição de uma chapa com Valdemir Stobe, o Tigrão (PTB), e Aderbal Pedroso (PSD). Por outro lado, caberá a Buligon e Fernanda tentar atrair os vereadores pessedistas para a sua órbita novamente, afim de construir uma eleição de consenso para o comando da Câmara, evitando assim, um possível desgaste com um de seus maiores parceiros.

Investimentos

Hoje o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Social, Adenilso Biasus, estará em Itajaí acompanhando o governador Eduardo Pinho Moreira (MDB). Na oportunidade o prefeito Volnei Morastoni (MDB), e representantes da Gomes da Costa, empresa que industrializa peixes e frutos do mar, anunciarão um investimento de R$ 300 milhões em Itajaí. Biasus destaca que estão sendo trabalhados novos investimentos para o estado, que poderá inclusive, incluir o Oeste.

Em Chapecó

O pré-candidato ao Governo do Estado, deputado Esperidião Amin (Progressistas), e o seu filho, deputado estadual João Amin (Progressistas), cumprem agenda em Chapecó amanhã. Eles palestrarão em uma universidade da capital do Oeste.

Esposa do Bornhausen

Descansou ontem de sua luta contra o câncer, Dulce Buendgens, esposa do ex-governador Jorge Bornhausen. Já há algum tempo, Bornhausen resolveu se instalar em São Paulo, onde Dulce realizava o tratamento. No mês passado ela chegou a passar por cerca de duas semanas internada. Lembro de ter conversado com o ex-governador que revezava com familiares o acompanhamento no hospital, chegando a dormir no local. Dulce que teve grande destaque devido a sua atividade na sociedade catarinense, tinha 64 anos. O corpo deve chegar ao estado entre a madrugada ou na manhã de hoje.

Processo

Ontem por 9 votos a 1, o Conselho de Ética da Câmara dos Deputados decidiu abrir um processo de quebra de decoro parlamentar contra o deputado federal João Rodrigues (PSD). O parecer do relator, deputado Ronaldo Lessa (PDT), foi favorável a abertura do processo. A defesa de Rodrigues após ser notificada, terá 10 dias úteis para a apresentação da defesa. Provas serão juntadas e testemunhas ouvidas, para depois, Lessa produzir um relatório final que será votado em plenário. A punição vai desde uma sanção, até a cassação do mandato de Rodrigues.

Empréstimo para Joinville

A Prefeitura de Joinville assinou na tarde de ontem, oficializou a contratação de empréstimo com o Banco do Brasil de R$ 61 milhões. O acordo faz parte do programa Eficiência Municipal e foi assinado pelo prefeito Udo Döhler (MDB) e pelo vice-presidente do BB, José Eduardo Pereira Filho. Também estavam presentes na assinatura os secretários municipais Romualdo França da infraestrutura, Miguel Bertolini da Administração e Planejamento, e Marco Aurélio Braga, o Marcão, da Comunicação. Pelo banco compareceram o diretor João Pinto Rabelo e o gerente executivo Emmanuel Robson. O convênio contemplará a pavimentação em cerca de 200 ruas do município. Os editais estão previstos para serem lançados no segundo semestre deste ano.

Encontro do PSD

Lideranças pessedistas se reuniram ontem a noite em Nova Erechim no Oeste. A pré-candidata a deputada estadual Marlene Fengler, aproveitou para conversar com os filiados. Também participaram do encontro, o vice-prefeito Ramires Tápia, vereadores Edilson Ferla e Vianei Cremonini, e o prefeito de Águas Frias Ricardo Rolim de Moura. Na oportunidade foi formado o diretório pessedista no município.

Lummertz atende prefeitos

O ministro do Turismo Vinicius Lummertz, ao invés de receber os prefeitos em Brasília, veio a Santa Catarina para ouvir as reivindicações. A agenda foi marcada pelos deputados Rogério Peninha Mendonça (MDB) e Aldo Schneider (MDB), e o encontro ocorreu no escritório que os parlamentares mantêm em Balneário Camboriú. As audiências também tiveram a presença do senador Dário Berger (MDB). Os principais pedidos feitos ao ministro do Turismo foram os seguintes:

Ilhota – R$ 2,7 milhões para a revitalização do Centro.

Porto Belo – Liberação do restante dos recursos para a reurbanização da Avenida Governador Celso Ramos, que inclui a pavimentação asfáltica, drenagem e ciclofaixa; apresentou projeto de revitalização da Praça em frente à Igreja Bom Jesus dos Aflitos, no valor de R$ 1 milhão e apresentou proposta para o 5º Festival do Camarão, no valor de R$ 100 mil.

Brusque – R$ 1,5 milhão para integração de três importantes complexos já existentes: Pavilhão de Eventos, Arena Multiuso e Parque de Esculturas.

Itapema – R$ 1 milhão para projeto de revitalização da orla do calçadão no Centro.

Gaspar – R$ 1,5 milhão para implantação do Parque Municipal e pavimentação da Estrada da Carolina.

Botuverá – R$ 1 milhão para pavimentação asfáltica do trecho até as cavernas.

Ibirama – Três propostas: acesso à tirolesa, no valor de R$ 920 mil; construção de Apoio ao Turista, no valor de R$ 320 mil, e sinalização turística, no valor de R$ 290 mil.

Alfredo Wagner – R$ 450 mil para obras de acesso ao Museu de Arqueologia de Lomba Alta.

Camboriú – R$ 1,2 milhão para pavimentação, construção de mirante e tirolesa.

“Me ouça de segunda a sexta as 13h15 na Super Condá AM 610”

“Também me leia no jornal Sul Brasil”

Deixe seu comentário:

Pin It on Pinterest